Super meiga e com um sorriso cativante! Essa é a minha definição da convidada de hoje para entrevista aqui no TF. A Daniele, ou Dani Vedovatto como é conhecida no YouTube, iniciou seu canal contando um pouco em seus vídeos como é a vida de uma tentante. Agora como ex tentante, ela fala da sua rotina como gestante e dicas diversas. Esse é um prato cheio para quem gosta de um excelente conteúdo e com uma figura carismática! Bem vinda Dani, João e Bebê Vedovatto!

Trocando Fraldas: Fala um pouco de você, quanto tempo de tentante, o que faz da vida (um pouco do marido também).

Dani: Eu me chamo Daniele, tenho 27 anos, sou advogada, casada com o João e tenho duas cachorrinhas que amo muito, a Malu e a Luma. Eu e o João começamos a namorar quando eu tinha 16 anos e ele 21. Sempre soubemos que um dia seríamos pais, mas queríamos que isso acontecesse da forma mais planejada possível. O João é técnico em informática e trabalha no Município e eu abri meu escritório há dois anos.

Embora quiséssemos um bebê há muito tempo, foi em 2014 que passei a sentir, de fato, esse desejo. Então, comecei a planejar minha gravidez para o ano de 2015. No final de 2014 fiz os exames pré-concepcionais, comecei a tomar o ácido fólico e terminei a última cartela de anticoncepcional em dezembro, tudo isso sem contar para ninguém, nem para o João (ele sempre quis ser pai). Nos meus planos, no máximo até março eu estaria grávida. Porém, os planos que Deus tem para nossa vida às vezes são um pouco diferentes.

No segundo ciclo de tentativas frustrado, fiquei muito abalada com mais um negativo e contei para o João e para minha família. Isso foi muito importante, pois se tornou menos angustiante seguir nas tentativas com o apoio deles. No terceiro ciclo de tentativas sofri um aborto espontâneo, sem nem ter conhecimento que estava grávida. Não tive qualquer atraso menstrual. Apenas estranhei muitos sangramentos no decorrer do ciclo menstrual, resolvi fazer um teste de farmácia e o resultado foi positivo. Por orientação da médica, realizei três Betas HCG quantitativos, sendo que os resultados foram diminuindo com o passar dos dias, o que nos trouxe a certeza que, de fato, eu sofri um aborto espontâneo. Fiquei muito triste naquelas semanas, mas superei tentando olhar pelo lado bom, e agradeci por não ter acontecido com mais tempo de gravidez (sei que acontece com muitas mulheres principalmente até a 12ª semana de gestação).

Depois desse fato triste, minha médica pediu que eu ficasse três meses sem tentar engravidar. Fiquei muito chateada por isso também, pois meu sonho seria adiado. Por outro lado, tinha consciência que meu corpo precisava desse tempo e respeitei a orientação médica. Em junho de 2015 finalmente pude voltar às tentativas. Meu positivo chegou no dia 16/07/2015 (teste de farmácia), com a confirmação em 18/07/2015 por meio do Beta HCG. Nesse vídeo abaixo eu conto como descobri a gravidez e o que fiz no ciclo do meu tão esperado positivo.

Trocando Fraldas: Como surgiu o canal no YouTube?
Dani: Em janeiro de 2013 meu irmão Gustavo fez intercâmbio no Canadá e criou um canal para contar a experiência. Para isso, meus pais compraram câmera, microfone, tripé… Foi nessa época que fiquei sabendo sobre a possibilidade de ter um canal no YouTube. Porém, passei a acompanhar apenas o canal do meu irmão. Em 2014, quando despertou em mim o desejo de tornar-me mãe, procurei muitas ideias no YouTube de como contar a gravidez para o marido. Foi aí que passei a conhecer os canais das meninas que compartilhavam toda a experiência da gestação, parto, maternidade. Lembro que um dos primeiros que assisti foi do parto da Baby V. Daí em diante, acompanhar as meninas no YouTube se tornou rotina.

Ficava assistindo e sonhando com o dia que tudo aquilo aconteceria conosco. É claro que acabei descobrindo canais de maquiagem, entretenimento, etc. Mas os meus preferidos continuam sendo os canais de maternidade. Desde então surgiu meu interesse de fazer um canal no YouTube, pois sempre gostei de câmeras e, acima de tudo, achei que a minha experiência poderia ajudar outras meninas, assim como os outros canais passaram a me ajudar. Como sempre gostei de saber as experiências das tentantes, gestantes e mamães, comecei a me inspirar para criar o meu canal.

Foi assim que há um ano (em outubro de 2014), com a câmera, microfone e tripé inicialmente utilizado pelo meu irmão, fiz meu primeiro vídeo para o YouTube. No início não abordei assuntos ligados à maternidade, pois não me sentia preparada para compartilhar algo tão pessoal quanto às tentativas. Comecei falando sobre assuntos relacionados a casa, pets, etc. E no final de junho de 2015, quando ainda não sabia da gravidez, foi ao ar meu primeiro vídeo falando sobre as tentativa. Desde então, minha gravidez faz parte dos temas abordados no canal e pretendo continuar depois que o bebê nascer. Tenho feito muitas amizades virtuais com meninas que se identificam comigo e com minha história. Acredito que meu objetivo com o canal esteja sendo alcançado a cada comentário ou mensagem que recebo. Isso é muito gratificante e me motiva a continuar compartilhando minhas experiências no YouTube.

Trocando Fraldas: Como conheceu o maridão e como foi a decisão de engravidar?
Dani: O João é natural de Laranjeiras do Sul (PR), cidade onde reside a família do meu pai. Foi em razão disso que no verão de 2004 nos conhecemos e logo engatamos um namoro, rs. Como eu moro em Nova Erechim (SC), namoramos à distância por três anos! Durante esse tempo, nossa relação amadureceu e em 2007 o João finalmente mudou-se para a minha cidade, pois foi aprovado no concurso do Município. No vídeo em que eu conto pro João sobre a gravidez, falamos sobre os anos e fatos que marcaram nossa relação.

Com relação à decisão de engravidar, acho que acabei respondendo na pergunta 1, rs. Mas em resumo, foi em 2014 que passei a sentir o desejo de aumentar nossa família e, assim, comecei a planejar minha gravidez para o ano de 2015. Tem um vídeo eu falei sobre como tomei essa decisão.

Trocando Fraldas: Como foi que desconfiou do seu positivo? (Como foi o seu positivo)
Dani: Eu sempre fui daquelas que faz o teste de farmácia antes mesmo do atraso menstrual, rs. Meu ciclo positivo iniciou no dia 1/6/2015. Meus últimos ciclos tinham sido de 26, 28 e 32 dias. Sendo assim, passei a considerar o atraso menstrual após o 30º dia. Com mais ou menos 8 dias de atraso, no dia 8/7/2015, fiz um teste de farmácia, que deu negativo! Fiquei muito desapontada, pois comecei a achar que havia algo errado com meu corpo, pois meu ciclo nunca havia sido tão longo. Pensei comigo: vou esperar mais uma semana; se der negativo, procuro a médica para saber o porquê de tanto atraso menstrual. Então no dia 16/07/2015 repeti o teste de farmácia sem muitas esperanças, imaginando que novamente apareceria apenas uma listrinha. Tanto que nem filmei o teste desde o início. Liguei a câmera quando meus olhos começaram a enxergar a segunda listra! Naquele mesmo dia coletei o sangue e a confirmação da gravidez, por meio do Beta HCG quantitativo, chegou no dia 18/07/2015. Muita alegria! Esse momento está registrado nesse vídeo:

Trocando Fraldas: Qual foi a reação que o marido teve ao receber a grande noticia?
Dani: Eu sempre quis contar sobre a gravidez para o João de uma forma especial. Ele ficou muito emocionado! Eu que fiquei meio sem saber como agir diante de tanta emoção. Não sabíamos se ríamos ou chorávamos por saber que um coraçãozinho a mais batia dentro de mim. Foi muito legal! Esse momento está registrado nesse vídeo:

Depois que contei pro João, ainda fizemos uma surpresinha para os meus pais e meu irmão. O momento em que contamos para os meus pais está registrado também em um vídeo no canal.

Trocando Fraldas: Teve algum problema referente a fertilidade? Chegou a fazer exames para investigar?
Dani: Não, eu nunca tive problemas de fertilidade. Inclusive depois do aborto espontâneo, fiz uma série de exames e nenhum apontou problemas.

Trocando Fraldas: Você idealiza o parto por alguma via especifica? Como lida com a possibilidade de uma cesariana?
Dani: Olha, antes de engravidar eu sempre achei que teria um parto cesariana, porque foi assim com minha mãe e também por desinformação. Porém, desde que engravidei tenho lido e assistido muito sobre o assunto. Com o apoio da minha obstetra, tenho idealizado um parto normal. Neste momento, sigo amadurecendo a ideia do parto normal, pois acredito que eu, assim como todas as mulheres, tenho a capacidade de dar à luz. Se meu corpo permitir, assim será. Por outro lado, se algo acontecer que inviabilize o parto normal, farei uma cesariana sem culpas, pois tenho plena confiança na minha obstetra e tenho a certeza que ela fará o melhor para a minha saúde e de meu bebê.


Trocando Fraldas: Qual a maior dificuldade de ser tentante? O que faria diferente?

Dani: Com certeza a maior dificuldade para mim foi a ansiedade. Cada ciclo era uma eternidade. O que eu tentaria fazer diferente é não ficar fazendo inúmeros testes antes mesmo do atraso menstrual

Trocando Fraldas: Qual a melhor coisa de ser tentante? O que nunca mudaria?
Dani: Eu acredito que a melhor coisa de ser tentante é a possibilidade de planejar ao máximo a futura gravidez. Além disso, durante o processo de tentativas, adquiri muito conhecimento sobre fertilidade e sobre o funcionamento do meu próprio corpo lendo artigos e blogs e assistindo canais no Youtube. Hoje eu entendo que o período das tentativas, embora difícil, faz parte de todo um processo. Os pontos positivos que mencionei são muito importantes e por isso eu não os mudaria.

Trocando Fraldas: O que espera da maternidade?
Dani: Eu sonhei e esperei muito por este momento, por isso, quando eu tiver meu bebê nos braços, tenho certeza que me sentirei uma mulher completa experimentando o momento mais pleno da vida. Em resumo, é isso que espero, e farei o melhor de mim para que meu filho(a) sinta todo o amor que já dedicamos a ele(a), pois o que mais quero é que ele(a) cresça com saúde em um lar onde encontre apoio e segurança, assim como me foi proporcionado pelos meus pais.

Trocando Fraldas: Um recado para quem está tentando ser mamãe como você
Dani: Meninas, o que posso dizer é que tenham paciência para esperar e entender que tudo irá acontecer no tempo que Deus preparou para cada uma. Pode demorar um pouco mais do que planejou, mas nunca deixe de acreditar e lutar pela gravidez que tanto deseja. Quando menos esperar, Deus mandará um anjinho em suas vidas, e o amor que passará a sentir compensará todo o tempo de espera, angustias e incertezas. Beijos no coração.

Conheça o Canal da Dani

Veja também: Sonhos de Uma Tentante – Gabi Sales Cunha

Foto: Acervo Pessoal