Para começar, sou mãe de uma linda menina. Quando engravidamos, logo no início, já descobrimos que era gestação gemelar… Nossa! Quanta surpresa! Ainda mais que não temos histórico de múltiplos em nossas famílias, mas o que realmente senti? Que ali estava sendo abençoada com uma gravidez de gêmeos e escolhida para dar muito amor a dois seres lindos!!!

Descobrimos que seriam duas lindas meninas e, ao confirmar, o mundo cor de rosa estava ao nosso lado rsrs. A escolha dos nomes foi algo bem “divertido” e estudado, então decidimos: Milena e Mirela, que significam, respectivamente, amorosa/carinhosa e sábia. A gravidez foi uma fase maravilhosa em minha vida, curti muito e a doce espera era em dobro!!! Criamos expectativas, ficávamos imaginando cada detalhe, como seriam os rostinhos, as personalidades, compras e modelinhos em dobro e, o principal como educá-las da melhor maneira possível. Posso dizer que a gravidez à espera de duas bebês foi muito saudável, continuava com minha vida e atividades normais. Como disse, fase maravilhosa em nossas vidas!!!

No entanto, com 26 semanas de gestação, de maneira espontânea, entrei em trabalho de parto, comecei a sentir leves contrações e que cada vez mais aumentavam. Cheguei à maternidade e tudo indicava que elas teriam que nascer naquele dia. Cada vez mais, a dilatação e contrações aumentavam e não sendo mais possível segurá-las, Milena e Mirela nasceram prematuras. Na realidade, era um misto de sentimentos, pois estava nascendo nossos amores, mas por outro lado, muitas dúvidas e muito medo que elas não sobrevivessem.

Ah! Nesse dia, meu esposo estaria retornando de uma viagem, mas com todo jeitinho, foi avisado que nossas princesinhas estavam nascendo… imagino como deve ter se sentido…Queria demais a presença dele ao meu lado naquele momento, pois se tudo estava indo tão bem, como iríamos imaginar que elas pudessem nascer tão prematuras? Ainda que imaginássemos que a gravidez gemelar não iria chegar em 40 semanas. Milena nasceu com 765g, 31,5 cm e Mirela com 630g, 30 cm, foram direto para a UTI Neonatal e, naquele momento, começava nova etapa em nossas vidas. Como queríamos levá-las logo para casa…Após oito dias, Mirela não resistiu devido sua prematuridade e virou um anjinho que hoje penso que estará sempre nos guiando e iluminando, principalmente, sua irmãzinha que ficou se desenvolvendo até receber alta.

Geralmente, quem é pai ou mãe de bebê prematuro sabe dos riscos, das possíveis intercorrências quando o filho está na UTI e de como é uma vitória cada grama que ganham. Aprendi muito sobre esse mundo (prematuro), conheci grandes histórias de bebês prematuros e fiz novas amizades na maternidade…Muitas orações vindas de familiares e amigos que até hoje sou muito grata! E todo esse momento, buscando manter a FÉ! Após 96 dias, chega o grande dia: O dia da alta e Milena vai pra casa conosco. Quanta felicidadeeeeeee!!! Todos estavam muito felizes e a esperavam. A casa estava decorada com balões, doces e muita alegria no ar!

Obrigada por compartilhar com vocês um pouco de nossa história com nossa filha que veio para nos ensinar muita coisa e multiplicar o nosso amor com ela! Sou Larissa, mãe da Milena e escrevo no meu blog:

http://http://www.maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

Larissa Andrade.

Veja também: Ser Mãe de Gêmeos, Como É? – Thais Ujvari

Fotos: Acervo Pessoal