Quando a mulher quer engravidar, a primeira providência a ser tomada é deixar o anticoncepcional de lado, certo? Mas você sabia que a primeira coisa que deve ser feita é iniciar o consumo de ácido fólico?

Benefícios do Ácido Fólico

O ácido fólico deve ser usado antes da gestação e, principalmente, durante as primeiras 12 semanas de gravidez afim de prevenção de más formações no bebê. Além disso, o ácido fólico também reduz as chances de abortos espontâneos. A maioria das perdas são justamente pela má formação que torna o feto inviável para evoluir e, então, a natureza se encarrega de interromper a gestação.

Quantidade de Consumo

A quantidade ideal de ácido fólico na gravidez a ser ingerido é de 0,4 à 0,8mg por dia, e qualquer mulher pode iniciar o uso sem contra indicação, pois o ácido fólico é uma vitamina que está presente em diversos alimentos, como brócolis e leguminosas de cor verde escura.

Algumas fábricas de farinha de trigo tem inserido em sua composição uma quantia imperceptível de ácido fólico, mas que faz diferença na alimentação do dia a dia. Outros alimentos que contém grandes quantias de ácido fólico:

  • Batatas feitas com a casca
  • Aspargos
  • Peixes (salmão principalmente)
  • Ovos
  • Grãos (feijão, grão de bico, lentilha amendoim)

Ácido Fólico Engorda?

O ácido fólico não engorda e é improvável que alguém desenvolva alergias com sua composição. É recomendado que homens e mulheres iniciem o tratamento antes mesmo da gravidez acontecer para fortalecer os gametas e ter uma gravidez mais saudável possível. Para os casais tentantes e gestantes, outra opção é a ingestão de vitaminas do complexo B. A ingestão de polivitamínicos que contenham esses nutrientes é, então, essencial para tentantes. A Famivita, pensando nisso, desenvolveu a FamiFerti que é composta de dose máxima de ácido fólico, bem como de outras vitaminas importantes para aumentar as chances de gravidez, como as do complexo B. A FamiFerti contribui para o equilíbrio metabólico ideal para a concepção e a manutenção da gravidez, e você pode adquirir a sua vitamina aqui na nossa loja virtual.

Problemas que o uso do Ácido Fólico na Gravidez Previne

Alguns problemas são resolvidos com a ingestão da quantia certa de ácido fólico e o ideal é fazer o uso até o primeiro trimestre de gestação, que é quando os órgãos estão se formando. Após esse prazo, apenas o ácido fólico presente na vitamina materna é suficiente. Além do aborto espontâneo, o ácido fólico na gravidez ajuda a prevenção de:

Deficiência no desenvolvimento do tubo neural (espinha bífida)

O tubo neural é a primeira estrutura a se formar no feto. Normalmente com cerca de 30 dias de vida, o embrião termina essa formação e começa a se fechar. O tubo neural é localizado no final da coluna do bebê quando já formado, e quando não acontece o fechamento correto, caracteriza-se o problema como espinha bífida.

Má Formação Craniana

Além da espinha, a calota craniana também pode apresentar má formação, como anencefalia (falta da formação do cérebro)e encefalocele. A calota craniana apresenta um defeito logo acima dos olhos do bebê e pode afetar a medula, causando atrofiamento dos membros inferiores.

Hidrocefalia

Esta é outra doença que o ácido fólico na gravidez ajuda a prevenir. Ela se trata de uma doença que faz o acúmulo de líquido no crânio e faz com que ele cresça com a pressão dos líquidos existentes.

Lábio Leporino

O lábio leporino é uma fissura pelo mau fechamento das partes da cabeça ainda na fase inicial da gestação. Os sulcos que temos entre a boca e nariz são o resultado desse encontro e cicatrizes naturais. Pessoas com lábio leporino não tem esse fechamento completo que podem causar fissuras superficiais e, também, mais severas como o palato do céu da boca.

Doenças Cardíacas

O ácido fólico durante a gravidez também previne má formações do coração e doenças cardíacas no bebê, como arritmia, sopro e outras doenças. Além disso, o ácido fólico também proporciona menor risco de pré-eclâmpsia em mulheres com DHEG, pré-hipertensas ou com diabetes. Foi comprovado cientificamente que os bebês provenientes de uma gravidez com suporte de ácido fólico são mais inteligentes, falam melhor e andam antes do que bebês que não tiveram esse suporte nutricional anteriormente à concepção.

Mulheres que tem histórico de fetos com má formação ou com abortos recorrentes devem fazer o uso do ácido fólico durante toda a gestação e em quantias mais elevadas, podendo chegar a 5mg diárias. O ideal é ingerir alimentos como laranjas e frutas ácidas assim que tomar o ácido fólico, pois elas ajudam na absorção da vitamina no organismo.

A vitamina B9 também ajuda a absorção do ácido fólico e, por isso, ingerir em complexos vitamínicos é ideal! A empresa Famivita, pensando nas necessidades nutricionais e também dificuldades das mulheres durante a fase gestacional, desenvolveu um polivitamínico gestacional completo chamado FamiGesta. A FamiGesta contém em sua composição ácido fólico dentre outras vitaminas e minerais necessários na fase gestacional. Você pode adquiri-la aqui na nossa loja virtual.

Tratamento à base de hormônios sintéticos podem atrapalhar a absorção, por isso se ainda está tomando anticoncepcional, não adianta fazer a suplementação de ácido fólico. Seria pertinente abandonar a cartela primeira antes de começar.

Não se esqueça que tanto o homem quanto a mulher devem fazer o uso do ácido fólico para ajudar a conceber bebês saudáveis e prevenir o risco de abortamento. A falta de ácido fólico aumenta os riscos de má formação do tubo neural do bebê que ocorre nas primeiras semanas de desenvolvimento.

Veja também: Tentando Engravidar? Coisas que Toda Tentante Deve Saber

Foto: mathrong