Conhecido como um dos períodos mais delicados na vida de uma mulher, a gravidez pode trazer diversas incertezas e pequenos problemas que surgem para incomodar esse momento tão especial. Problemas esse como a alergia na gravidez, que pode aparecer a qualquer momento.

Para as mães que já tiveram filhos e são mais experientes, talvez essas pequenas coisas não incomodem tanto, ou são até mesmo evitadas com mais facilidade, mas para as mães de primeira viagem, tudo o que envolve essa fase é uma novidade.

Será que a alergia na gravidez afeta o bebê? Será que pode ser prejudicial para a gestante? Pode-se tomar remédios contra a alergia na gravidez? Muitas dessas dúvidas aparecem frequentemente, mas para as respondermos, precisamos analisar como e por que ocorre cada tipo de alergia na gravidez.

O que é Alergia?

Alergias são, por definição, reações do sistema imunológico a algum tipo de substância, variando desde pelos de animais, poeira e pólen até diversos tipos de medicamentos, alimentos ou até mesmo produtos de limpeza.

São diversos os motivos de uma pessoa possuir alergias. O primeiro deles é o fator hereditário, que faz com que as carreguemos como herança de nossos ancestrais, mas também deve-se levar em conta o estilo de vida de grandes cidades, que nos faz conviver em meio a poluentes e incentiva o aparecimento de diversos tipos de alergia.

Como já dissemos anteriormente, a gravidez é um período onde diversas mudanças ocorrem no corpo de uma mulher. Por isso, é possível que alguns tipos de alergia se desenvolvam na gravidez, mesmo que nunca tenha ocorrido ao longo da vida.

Isso ocorre normalmente porque o corpo da mulher está mais sensível durante esse período de alterações hormonais, o que deixa o corpo mais vulnerável e causa a alergia na gravidez.

Tipos de Alergia na Gravidez

Existem basicamente três tipos de alergia que ocorrem por causa da gravidez:

  • Alergia Alimentar
  • Alergia Respiratória
  • Alergia na Pele

Cada uma delas pode se manifestar de formas diferentes no corpo das mulheres grávidas e exigem diferentes tipos de cuidados específicos. Vamos falar sobre cada uma delas mais profundamente para que possamos entender melhor do que se trata.

Alergia Alimentar

Acontece principalmente com alimentos industrializados e processados, mas também pode acontecer com leite de vaca, amendoim, soja, ovo, frutos do mar e até mesmo frutas cítricas como limão ou laranja. Por essa razão, o que causa a alergia é mais os aditivos do que o próprio alimento.

Os efeitos são geralmente dificuldades na digestão, o que pode causar um grande incômodo. Ela também pode gerar reflexos na pele como erupções ou coceiras em locais específicos.

Alergia Respiratória

Os casos mais comuns de manifestação de alergia respiratória na gravidez são os de rinite e asma, que podem se agravar se a mulher já apresenta esse tipo de problema antes de ficar grávida.

Coceira no nariz, coriza, espirros constantes e falta de ar são alguns dos sintomas que as mulheres grávidas sentem. A rinite pode piorar e acabar causando a asma, mas em alguns casos, ainda que mais raros, a doença pode até mesmo desaparecer depois do parto.

Alergia na Pele

Uma alergia na gravidez muito comum é a na pele, que pode se manifestar de diversas formas diferentes, desde pequenas coceiras até urticárias, erupções polimórficas e manchas. As causas para que esse tipo de alergia se manifeste podem vir de alimentos, mas o corpo também é mais sensível a picada de insetos, por exemplo, o que pode causar efeitos mais graves nas grávidas.

Como Tratar a Alergia na Gravidez

Tratar uma alergia na gravidez não é a mesma coisa do que tratar uma alergia comum, isso porque se deve tomar muito cuidado para que os medicamentos não interfiram de nenhuma maneira na gestação da mulher, pois há muitos antialérgicos que são contraindicados nesses casos exatamente por trazerem consequências como a malformação do feto e até mesmo o aborto, em casos mais graves.

O mais recomendável é procurar um médico especialista que irá dar o tratamento indicado para cada caso específico de alergia na gravidez. Dessa forma, você consegue garantir que vai ser curada sem afetar o seu bebê.

Apesar disso, existem formas de evitar desenvolver essas alergias, o que acaba evitando também que você tenha que visitar um médico para trata-las. A melhor maneira é manter uma alimentação saudável, longe de produtos industrializados ou muito pesados.

Se a mulher apresenta casos de alergia respiratória antes de engravidar, é importante também que seu médico esteja atento a isso antes que o quadro possa piorar.

Alegria na Gravidez Afeta o Bebê?

Nós já falamos que alguns tipos de tratamentos podem afetar a formação do feto, mas será que a alergia em si também pode trazer consequências? A resposta é sim. Apesar de não serem consequências desastrosas, é comprovado que mães que possuem alergias não tratadas durante a gravidez têm mais chances de ter filhos que desenvolvam algum tipo de alergia.

Isso ocorre porque o sistema imunológico do feto ainda não está completo e maduro o suficiente para combater as alergias, por isso acaba as desenvolvendo também.

Existem diversos tipos de alergia e alguns deles podem ser prejudiciais para a gravidez. Mas apesar disso, sempre existem tratamentos simples e eficazes para que você possa ter uma gravidez saudável mesmo com algum tipo de alergia se manifestando.

O mais importante é saber que você necessita de tratamento e fazer isso o mais rápido possível quando identificar que está com algum tipo de alergia na gravidez que possa te afetar ou afetar o bebê.

São coisas simples, mas que muitas vezes deixamos passar por falta de atenção. Por isso, não importa qual seja o tipo de alergia que você possa ter, é sempre bom procurar tratamento para que não haja nenhuma consequência em sua gravidez.

Veja Também: 9 Dicas para Ter uma Gravidez Saudável
Foto: mijoko