Menstruar para muitas mulheres é um acontecimento doloroso e terrível. Além de sentir incômodos imensos com cólicas e dores abdominais, o sangramento mensal pode não ser a mais confortável das situações. Por isso vários médicos têm indicado com cada vez mais frequência o uso de anticoncepcional continuo. O anticoncepcional de uso continuo é um alivio para muitas mulheres, mas nem todas sabem como ele age no organismo e nem os prós e contras que ele oferece. Então vamos desvendar o mistério, o que esse medicamento beneficia a mulher além de ausência de menstruação e quais os males que ele pode vir a causar no uso prolongado.

anticoncepcional continuo

O anticoncepcional de uso continuo é seguro desde que indicado pelo médico de confiança.

Grande parte dos anticoncepcionais de uso continuo funcionam a base de estrogênio, já outros a base de progesterona assim como a Cerazette. Como as demais pílulas, apenas com a diferença de dosagem, pois a do anticoncepcional continuo é muito mais intensa que o AC que pede a pausa ao final de um ciclo de 21 ou 24 dias. Pelo contrário do que se pensava há algum tempo, o corpo que não menstrua é muito mais saudável pelo ponto de vista reprodutivo. Uma mulher que se resguarda da menstruação e ovulação teria muito mais chances de engravidar naturalmente mesmo com idade mais avançada, pois, seus ovários estariam em perfeitas condições quando liberados do método contraceptivo. A fertilidade não será atingida pelo uso prolongado desse tipo de contracepção.

Benefícios do Anticoncepcional Contínuo

Além do beneficio de não menstruar, o anticoncepcional continuo também ajuda a mulher em outros quesitos importantes como problemas menstruais:

  • Previne endometriose
  • Elimina ou reduz as cólicas
  • Previne câncer de ovário e endométrio
  • Reduz a TPM em 80% dos casos
  • Elimina o risco de cistos ovarianos
  • Evita anemia

Mulheres com ciclos intensos que chegam a ser incômodos pelo volume de sangramento menstrual se beneficiam e muito pelo uso da pílula continua. Ela deve ser indicada pelo médico, pois cada caso é um caso e é preciso usar a pílula adequada para o seu tipo de problema ou simplesmente porque quer parar de menstruar.

Os contras do anticoncepcional contínuo são problemas recorrentes neste tipo de medicação. Algumas mulheres tem escapes frequentes de borras marrons e até sangramento vermelho vivo se a dose não for a adequada. Se o organismo não se adaptar ao método pode haver um inchaço e também ganho de peso da mulher.

A forma mais comum de se usar o anticoncepcional continuo é a pílula, mas existem outras formas como o DIU, a injeção e o implante para que a mulher não precise mais menstruar. A injeção trimestral é um bom exemplo, se tomada corretamente pode impedir que a menstruação venha, sendo esta a base de progesterona. Já o DIU hormonal também suspende a menstruação da mulher com eficiência, o problema dele é o preço, custa em torno de R$600 a R$800 para colocar em consultório médico. O investimento no DIU dura em torno de 3 anos. O implante também é uma forma de inibir a menstruação. O implante pode ser inserido de forma subcutânea e custa por volta de R$ 1.200,00 e dura cerca de 5 anos. O anticoncepcional de uso continuo mais usado é a base de progesterona sintética ou natural, ele é o mais acessível de todos e custa em torno de R$25,00, porém deve ter indicação de um ginecologista para o seu uso. O estrogênio combinado também é um anticoncepcional de uso continuo, e custa em torno de R$ 40,00.

Deve-se sempre lembrar que a única pessoa indicada para te aconselhar o uso de anticoncepcional é o seu médico ginecologista. Nunca tome pílula por indicação de amigas ou parentes pois, o corpo e organismo de cada uma necessita de uma tipo diferente de pílula e cada corpo reage de uma forma ao anticoncepcional continuo. Muita cautela na escolha do anticoncepcional e qualquer problema que tenha durante o uso reporte ao médico responsável pelo tratamento.

Veja também: Anticoncepcional Injetável – Mais Benefícios ou Desvantagens?

Foto: Tomaž Štolfa, Hoyfarma