Os apelidos existem desde que mundo é mundo, apelidos estranhos então nem se fala. Na época da escola é a fase de maior diversidade de nomes engraçadinhos e apelidinhos “carinhosos”, que muitas vezes podem ate causar traumas na criança para o resto da vida.

Normalmente os pais tem essa mania de apelidar seus filhos, muitas das vezes de forma realmente carinhosa com abreviações do nome ou ate mesmo com apelidos que tenham ligação a forma física da criança, ao cabelo e ao modo da criança ser. Mas será que esses apelidos fazem bem? Claro que existem exceções, não podemos generalizar, pois existem os apelidos que realmente soam com carinho, mas outros só servem para virar motivo de piada e chacota principalmente se ditos perto de outras crianças. Hoje em dia conhecido como bullying, os apelidos estranhos em crianças nas escolas tomaram força e motivo para brigas judiciais entre pais, devido aos traumas e danos que podem causar a vida de uma criança ou adolescente.

O ano letivo se inicia os professores vão se apresentando e os alunos se conhecendo. Passado alguns dias, não precisam de muito tempo pra se conhecer já estão brincando e dando apelidos estranhos um para o outro. Apelidos que muitas das vezes magoam, machucam por estar relacionado a algum problema físico ou ate mesmo emocional da criança. Quando estão acima do peso, ganham o apelido de gordo, bola 7, bola de sebo e muitos outros . Se muito magro, pau de vira tripa, magrelo, caveira, e outras descrições carinhosas mais. Se a criança usa óculos, vira o quatro olhos, se é baixo demais é anã, pintor de rodapé. Algumas crianças sabem lidar muito bem com isso, levando na brincadeira e no meu ponto de vista é a melhor maneira de não se pegar o apelido, ou melhor, de se livrar dele. Quanto mais atenção der, mas será incomodado com esses apelidos estranhos e tão incômodos.

Mas já outras crianças não só se incomodam como acabam sofrendo, perdem a vontade de ir à escola e criam ate uma dificuldade para se relacionar com as demais pessoas. A alta estima é afetada e os medos aparecem, receio de como o mundo esta o enxergando, de como estão vendo essa criança.

Como Agir Quando a Criança Sofre com os Apelidos Estranhos?

Temos que tomar cuidado redobrado com essas tais brincadeiras, conversar com nossos filhos e saber o que está acontecendo na escola e no seu dia-a-dia, sempre que notarmos algo diferente no comportamento deles. Muitas das vezes uma boa conversa na escola, resolverá o problema chamando os pais do amiguinho que insiste em colocar os apelidos estranhos ou ate mesmo ofensas e xingamentos.

Os cuidados devem ser tomados no convívio do lar também, que muitas vezes nós pais não damos conta de que um apelidinho carinhoso pra nós pode causar prejuízos emocionais a eles também. Ainda mais quando atingem a adolescência e morrem de vergonha quando chamamos eles com os apelidos de infância perto dos amigos e namoradas. O constrangimento deve ser evitado, se demos um nome próprio a eles porque envergonha-los com apelidos estranhos?

Crianças podem se afastar do convívio de outras crianças por traumas

A não ser que estejam em um ambiente bem intimo, apropriado e longe de qualquer risco de risadas e piadinhas e claro que seu filho ou filha não se incomode com os nomes que ganhou desde a infância. Caso não consiga resolver de forma amigável os ataques com apelidos estranhos em crianças, com uma boa conversa, talvez seu filho esteja precisando de ajuda médica. O acompanhamento de um psicólogo ou terapeuta pode auxilia-lo a se livrar dos constrangimentos e aprender a lidar com essa situação de uma maneira mais natural antes que isso afete a vida pessoal dele.

Veja também: Nomes de Bebês – Como Escolhi e Sugestões

Foto: grazie davvero, Vale