O corpo de uma mulher é talvez o mais complexo que nós temos conhecimentos. Isso, é claro, por conta de todas as especificidades que as mulheres carregam por conta do seu sistema reprodutivo.

E muitos não sabem, mas é extremamente importante conhecer cada detalhe do seu corpo quando se pensa em ter um filho, para que você não tenha dúvidas sobre as mudanças que acontecem durante o processo de gravidez e de como seu corpo reage a cada elemento externo, como exercícios, por exemplo.

As artérias uterinas são um ótimo exemplo de como muitas mulheres não conhecem seus corpos por completo. Afinal, o que elas são e qual é o papel das artérias uterinas durante a gestação? Se você nunca ouviu falar sobre elas e quer saber mais sobre seus efeitos no corpo de uma mulher, o texto de hoje é perfeito para você.

O que são as Artérias Uterinas e Qual é a sua função na Gravidez?

As artérias uterinas são duas, uma à direita e outra à esquerda. Elas são os principais vasos sanguíneos que irrigam o útero. Possuem também diversas ramificações em todo o útero que desempenham um papel importante na manutenção sanguínea no ciclo menstrual com as alterações do endométrio e durante a gravidez.

Durante a gravidez esse transporte sanguíneo é extremamente importante já que é dessa forma, através do sangue, que os nutrientes e vitaminas necessários para o crescimento adequado do feto chegam até ele.

Estudo Doppler

O Estudo Doppler se baseia nos estudos feitos pelo físico Johann Christian Andreas Doppler no século XIX. Através deles criou-se uma nova modalidade de ultrassonografia, o ecodoppler. Esse exame é avaliar e medir o fluxo sanguíneo no corpo.

Grávida após 3 anos!
"Após 3 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." Lidyane, grávida de 3 meses
Saiba mais!

Durante a gravidez é comum a realização desse exame, tanto para medir o fluxo sanguíneo nas artérias uterinas quanto para medir o fluxo sanguíneo do bebê, no coração, cérebro e também no cordão umbilical.

O ecodoppler é indolor para a gestante e para o feto e não costuma durar mais do que 15 minutos. Costuma ser feito via abdominal ou vaginal, sendo esse último o mais recomendado pelos médicos durante os três primeiros meses de gestação.

Resistência Artéria Uterina

Durante a gravidez é preciso estar atenta ao nível de resistência ao fluxo de sangue que é transportado pelas artérias uterinas. Para saber é preciso realizar o Ecodoppler para verificar como está o fluxo de sangue nessas artérias.

Normalmente é realizado entre a semana 22 e 26 da gestação. Esse exame é muito importante pois esses níveis de resistência, quando não adequados ao período gestacional, podem trazer inúmeras complicações.

O ideal é que a resistência abaixe, porém se durante a gestação essa resistência aumentar o risco de pré-eclâmpsia ou hipertensão aumentam, além do risco de um parto prematuro e até mesmo morte do feto.

Problemas Causados pelas Artérias Uterinas

Entre os principais problemas causados pelo aumento da resistência das artérias uterinas estão a pré-eclâmpsia e a hipertensão gestacional. É muito comum que elas apareçam em mulheres que nunca tiveram um histórico de pressão alta e então passam a ser chamadas de DHEG, ou doença hipertensiva específica da gestação. Essas doenças podem trazer problemas muito graves para a mulher e também para o bebê.

Pré-eclâmpsia

A pré-eclâmpsia é caracterizada pelo aumento da pressão arterial na gestante depois da vigésima semana, junto com a perda de proteínas pela urina e que podem ainda vir acompanhados de inchaços.

Essa é uma condição muito grave e que precisa ser tratada, quando isso não acontece a préeclâmpsia pode evoluir para uma eclampsia de fato, ou seja, convulsões, que podem levar à morta tanto a mãe quanto o feto.

Podemos destacar alguns grupos de risco para a pré-eclâmpsia como mulheres gestantes acima dos 40 anos, que já apresentam alguma doença renal, que está tendo gravidez múltipla ou que então já tiveram pré-eclâmpsia em outras gestações ou algum histórico familiar da doença.

Hipertensão Gestacional

Diferente da pré-eclâmpsia a hipertensão gestacional não é tão grave e é caracterizada apenas pelo aumento da pressão arterial durante a gestação e que é exclusiva desse período da vida da mulher, ou seja, quando até então nunca tiveram indícios de pressão alta.

É comum que esse problema apareça no fim da gravidez, mas também pode acontecer de surgir mais cedo, assim como a pré-eclâmpsia, após as 20 primeiras semanas. Porém é preciso também estar atenta e tomar os cuidados necessários para que a hipertensão gestacional não piore. Entre os grupos de risco estão adolescentes e mulheres na primeira gestação.

Como Prevenir e Tratar esses Problemas?

Ambos os problemas estão entre os mais comuns durante uma gestação e são causados por problemas com as artérias uterinas, por isso é muito importante realizar todos os exames prénatais e fazer um acompanhamento médio durante todo esse período.

São doenças que apresentam um grande risco para o desenvolvimento do bebê e a vida tanto dele quando da mulher. Agora, se os resultados para esses problemas forem positivos é preciso tomar alguns cuidados.

Provavelmente serão prescritos remédios para controlar a pressão alta além de ser recomendado muito repouso e cuidado com a alimentação, evitando o sódio, por exemplo. Dependendo do tempo de gestação pode ainda ser indicado a internação da mulher para que possua um acompanhamento mais intenso. Já nos casos mais graves de pré-eclâmpsia pode ser necessário a indução do parto.

Muitas vezes tudo vai depender do funcionamento do corpo da mulher e não há muito o que se fazer. Sabemos que durante a gestação é muito importante levar uma vida mais saudável, fazer caminhadas, ter uma dieta balanceada pois tudo isso pode ajudar a prevenir alguns problemas e amenizar outros que inevitavelmente podem aparecer.

Conhecer seu próprio corpo e as mudanças pelas quais ele passa durante sua vida, especialmente na gravidez, é de suma importância para entender que sintoma é realmente um problema e o que é normal.

Falando especificamente de gravidez, conhecer como funciona cada órgão, como as artérias uterinas, nos proporciona maior segurança na hora de conversar com o nosso médico, além de também nos dar mais tranquilidade durante toda a gestação, o que é muito importante.

Porém, talvez o maior dos pontos positivos de conhecer os possíveis problemas que seu corpo pode ter durante a gravidez é porque você vai saber exatamente como evita-los e como tratalos caso seja necessário. A vida como mãe começa nesse ponto, quando você se preocupa consigo mesma para proporcionar um bom nascimento para o seu filho.

Veja Também: Gravidez e Obesidade – Conheça os Riscos
Foto: Jesper Agrell