Durante nossa vida diversas doenças aparecem, algumas mais frequentemente, outras menos. Da mesma forma, existem também sinais que indicam que podemos estar com alguma doença mais grave e que nos preocupam mais do que o normal.

Mas apesar de nos assustarem, uma vez que estamos doentes, é necessário saber quais são os procedimentos que devem ser tomados para que o tratamento seja feito da melhor forma possível e, dessa forma, a cura chegue também o mais rápido possível. É o caso da ascite por exemplo.

Um sinal de adoecimento do corpo que poucos conhecem seus verdadeiros efeitos e gravidade, bem como seu tratamento. Continue lendo e saiba mais sobre essa condição tão pouco comentada pela maioria de nós, mas que pode causar danos sérios à saúde.

O Que é Ascite?

A Ascite, também conhecida como barriga d’água, é o acúmulo de líquidos na parte abdominal do corpo, mais especificamente na parte na cavidade peritoneal, que é aquela entre o próprio abdômen e os tecidos que o revestem.

Dependendo da quantidade de água que há acumulada o paciente apresenta um “inchaço” nessa região, essa distensão abdominal faz com que a barriga cresça lembrando a de uma mulher grávida.

É importante ressaltar que a ascite em si não é uma doença, na verdade ela está normalmente associada a outras doenças, principalmente relacionadas ao fígado, mas também podem aparecer devido a problemas no pâncreas, algumas infecções e até mesmo alguns tipos de câncer.

Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!

Tipos de Ascite

A ascite pode ser classificada em 2 tipos: exsudativo e transudativo. Essa divisão está relacionada com a composição do líquido presente na região do peritônio, mais especificamente com a quantidade de proteínas como a albumina.

Há também outros três tipos de ascite.

  • Ascite fetal: Quando o acúmulo de líquido acontece no abdômen do feto ou recémnascido.
  • Ascite quilosa: Quando o acúmulo de líquido se dá devido ao bloqueio das vias linfáticas.
  • Ascite pancreática: Quando o acúmulo é causado pela pancreatite crônica.

O Que Causa Ascite?

A ascite acontece quando os nossos vasos sanguíneos, por algum motivo, não conseguem manter o líquido dentro de si, deixando extravasar para regiões como peritônio, que costumam ter uma baixa concentração de líquido ou nenhuma.

Na maioria das vezes, esse “vazamento” acontece principalmente devido a três fatores, sendo eles o aumento da pressão nas veias da região abdominal, ou a obstrução do fluxo causada principalmente por tromboses e varizes, a queda da proteína albumina que funciona como um bloqueio para manter o líquido dentro dos vasos sanguíneos e também quando o paciente possui retenção de sal e água nos rins.

Normalmente esses três fatores estão ligados às outras doenças, sendo a maioria delas diretamente relacionadas com o consumo excessivo de álcool, ou seja, cirrose do fígado, trombose, hepatite entre tantas outras.

Sintomas da Ascite

Por se tratar de um sinal de outra doença, os sintomas da ascite são os mais diversos, variando de acordo com a doença subjacente. Porém os principais sintomas da ascite são:

  • Inchaço da região abdominal;
  • Ganho de peso excessivo;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor na região abdominal.

Também pode ser comum a falta de apetite e até mesmo dificuldade para respirar.

Como a Ascite é Diagnosticada?

Ao apresentar os sintomas o paciente deverá procurar um médico, que pode ser tanto um endocrinologista, gastroenterologista, hematologista, quanto um clínico-geral.

Dependendo da quantidade de líquido acumulado é possível fazer o diagnóstico no próprio consultório através de palpações na região abdominal. Porém quando há uma baixa quantidade de líquido esse método não é suficiente.

O médico deverá pedir um exame de sangue completo, ou exames de imagem como ultrassom e até mesmo uma punção abdominal.

Ascite tem Cura?

A cura da ascite depende da cura da doença subjacente, ou seja, sem esse primeiro tratamento a ascite não tem cura e pode retornar várias vezes. Dependendo do estágio em que a doença subjacente se encontra ascite precisará ser tratada durante um longo período.

Tratamento para Ascite

Tudo vai depender do tratamento da doença subjacente, porém, para diminuir o volume de líquido na região abdominal o médico poderá receitar diuréticos, para ajudar o paciente a eliminar parte desse líquido.

Ingestão de antibióticos para casos em que há a infecção desse líquido e junto a isso o paciente deve seguir uma dieta alimentar que restringe principalmente o sal e também parar completamente o consumo de bebidas alcóolicas.
Para casos mais graves é recomendado um procedimento chamado paracentese terapêutica frequente, que consiste na punção desse fluído localizado. Esse tratamento é o mais eficiente, já que retira grande quantidade de líquido de uma só vez, porém é necessário aplicação de anestesia local. A paracentese também pode servir como um método de diagnóstico.

Complicações da Ascite

Quando não tratada a ascite pode se desenvolver causando alguns problemas mais graves. Por isso é sempre importante procurar um médico assim que perceber alguns dos sintomas e então iniciar o tratamento rapidamente.

Outro ponto de extrema importância é saber qual a doença subjacente da ascite para poder também trata-la corretamente.
Algumas das complicações mais comuns da ascite são:

  • Peritonite bacteriana
  • Sepse
  • Encefalopatia hepática

Vamos falar um pouco mais sobre cada uma delas.

Peritonite Bacteriana

A peritonite bacteriana se dá pela proliferação de bactérias na região do peritônio, onde há o acúmulo do líquido, causando uma infecção.

Sepse

A Sepse é uma consequência da peritonite bacteriana que quando não tratada se torna uma infecção generalizada que pode levar o paciente à óbito.

Encefalopatia Hepática

A encefalopatia hepática é causada pelo mal funcionamento do fígado, que já não consegue eliminar as toxinas do sangue. Essa complicação se não tratada rapidamente pode levar o paciente a ter confusões mentais e até mesmo a coma.

Muitas vezes só percebemos que estamos doentes por conta de um sinal que o nosso corpo dá. No caso da ascite, o sinal propriamente dito já é uma grande complicação de alguma outra doença, o que não é um bom sinal.

A boa notícia é que existem tratamentos que visam não só diminuir os efeitos que a ascite traz, mas também a controlar essa condição. Cuidar de sua saúde é a coisa mais importante que você pode fazer na sua vida, pois sem ela, você não consegue fazer nada mais.

Então, se estiver com algum dos sintomas da ascite ou suspeita de algo parecido, procure ajuda médica o mais rápido possível. Lembre-se: Quando mais cedi as doenças são descobertas e tratadas, maior a chance de melhora do paciente.

Veja Também: Barriga Torta na Gravidez é Normal?
Foto: Max Pixel