Durante a gestação, muitas transformações ocorrem no corpo da mulher para proporcionar o desenvolvimento do bebê. A pressão arterial é um dos fatores que sofre bastante alteração durante este período, o que potencializa o risco de algumas doenças cardiovasculares como o AVC.

O que é AVC?

O AVC, Acidente Vascular Cerebral, é um derrame cerebral, causado pelo entupimento ou até rompimento de vasos responsáveis por levar sangue ao cérebro. Esta área cerebral que fica sem a quantidade de sangue adequada sofre uma paralisia. É um acidente que requer emergência médica, quanto mais rápido for o atendimento menores são as chances de sequelas, principalmente no caso do avc na gravidez.

O AVC é uma doença que ameaça tanto homens quanto mulheres. Já para as mulheres os riscos aumentam durante a fase pós menopausa e estudos comprovam que problemas de pressão alta durante a gestação dobram o risco de a mulher sofrer um AVC na gravidez.

Uma pesquisa recente constatou que, apesar do AVC ser mais comum entre mulheres acima de 50 anos, o avc na gravidez é muito comum em mulheres mais jovens. Vale o alerta em observar os sintomas, as causas e se prevenir para evitar este tipo de acidente que pode sim, acarretar em consequências graves.

Grupos de Risco

O AVC na gravidez, acidente vascular cerebral, é quando ocorre a obstrução ou até o rompimento das artérias que são responsáveis em levar sangue ao cérebro. É uma doença que acomete tanto homens quanto mulheres, mas a medicina tem dedicado um olhar especial ao comportamento da doença no universo feminino.

A mulher tem se demonstrado mais suscetível a um acidente vascular e a medicina tem avançado nos últimos anos para mapear alguns fatores de risco e particularidades do organismo feminino que tendem a potencializar os riscos, principalmente do avc na gravidez.

A gestação é considerada um fator de risco, já que devido as alterações de pressão arterial podem dobrar as chances de a mulher sofrer um AVC na gravidez. A enxaqueca é outro fator mais presente entre as mulheres e que também aumentam as probabilidades da doença.

Um estudo recente trouxe dados inéditos sobre a faixa etária da mulher com maiores chances de sofrer um AVC. Em geral, a mulher mais velha realmente está mais propensa a sofrer um derrame, porém de acordo com este estudo, durante a gestação a mulher mais jovem, até os 24 anos, tem maiores chances de ter um AVC na gravidez.

Outros fatores são considerados de risco. Veja alguns deles:

  • Histórico de hipertensão
  • Insuficiência cardíaca
  • Diabetes
  • Stress
  • Tabagismo
  • Fibrilação Atrial
  • Já ter sofrido um AVC

Causas do AVC

Existem dois tipos de AVC: O isquêmico, que se á pelo entupimento dos vasos que levam o sangue ao cérebro e o AVC hemorrágico, que é quando ocorre o rompimento destes vasos.

Em 85% dos casos, o AVC é provocado pela obstrução de uma artéria, o tipo isquêmico. A trombose (formação de coagulo no interior da artéria) ou embolia (quando o coagula é transportado pela corrente sanguínea) são as principais causas deste tipo de AVC.

O tipo hemorrágico representa em torno de 15% dos casos e ocorre quando uma artéria se rompe provocando hemorragia . Em qualquer um dos casos o AVC é considerado uma emergência médica, o paciente deve ler levado imediatamente ao hospital.

O pronto atendimento é determinante para o grau de sucesso do tratamento como também a demora pode ser responsável por danos irreparáveis. Lembrando que o avc na gravidez, além de ser alto risco para a mulher, põe em risco a vida do bebê.

Sintomas do AVC

Os sintomas do AVC são súbitos, portanto é necessário ficar atento para que se identificar qualquer sinal, procurar ajuda médica imediatamente. É constado que os danos são muito mais graves se a vítima for socorrida passadas mais de 3 horas da lesão.

  • Diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna de um lado do corpo
  • Sensação de formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo
  • Perda súbita de visão (apenas em um ou nos dois olhos)
  • Alteração aguda da fala
  • Dificuldade para articular, expressar ou para compreender a linguagem
  • Dor de cabeça súbita e intensa
  • Instabilidade
  • Vertigem súbita intensa
  • Náuseas ou vômitos.

Se acontecer de presenciar um AVC, procure imediatamente ajuda médica, evite tumultuar o ambiente, mantendo a tranquilidade e uma boa ventilação próximo a vítima. Desaperte roupas na parte do pescoço, tórax e abdômen, mantenha a vítima aquecida e fique sempre atenta às funções vitais até chegar o socorro médico.

Tratamento e Sequelas Provocadas Pelo AVC

O tratamento ideal para pacientes que sofreram um AVC na gravidez, dependerá de alguns fatores, que serão avaliados pelo médico. Cada caso pode apresentar sequelas diferentes que requer cuidados e tratamentos específicos.

inúmeros recursos terapêuticos que podem ser utilizados no tratamento para o restabelecimento de funções comumente afetadas com o derrame, e que apresentam resultados bastante satisfatórios.

Especialistas

Geralmente é necessário o apoio de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos neurologistas,fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais de acordo com as necessidades de cada paciente.

O AVC além de ser uma das doenças que mais causam mortes no mundo todo, é também a que mais deixa sequelas em funções básicas, que interfere na execução de atividades corriqueiras do dia a dia, prejudicando a qualidade de vida destas pessoas.

As sequelas podem variar entre leve e muito graves, desde alterações comportamentais, dificuldade na fala e para se alimentar, constipação intestinal, epilepsia vascular e muitas outras complicações.

Para que o risco de sequelas seja o menor possível, a vítima precisa ser atendida o quanto antes, portanto lembre-se que diante de um AVC, o importante é procurar ajuda médica com urgência!!

Veja Também: Terapia de Reposição Hormonal: Benefícios e Consequências
Foto: Alagich Katya