Quando o bebê nasce, os pais querem ficar todo tempo do mundo com o seu bebezinho no colo. Podemos passar horas e horas, ninando, acariciando e admirando o nosso bem maior. Mas até onde isso é saudável para o bebê e para os pais? Será mesmo que existem benefícios do colo?

E a resposta é sim, existem muitos benefícios do colo para o bebê, assim como o afeto, a atenção e o carinho proporcionam diversos benefícios a todos seres humanos. Se você precisava de um argumento para passar horas a fio com seu bebê no colo, agora você tem!

Esse é um assunto que divide muitas opiniões, já que dar muito colo pode ser sinônimo de estar mimando, estragando seu bebê e até mesmo privando de desenvolver. Neste artigo, iremos falar sobre o “colo saudável”, aquele que acolhe, que oferece segurança ao bebê e muito amor e carinho.

Alguns dos Benefícios do Colo

O cérebro do bebê é estimulado com o colo: O contato físico é um dos principais benefícios do colo. Esse contato desde os primeiros dias de vida terá efeitos com longa duração no cérebro do bebê, o deixando mais seguro e mais sociável ao toque. Os bebês que não tem esse contato de pele a pele com os pais, apresentam uma menor sensibilidade, maior insegurança e dificuldade na interação com outras pessoas.

Quanto mais colo você dá, mais seu filho fica confiante quando cresce: Quando os bebês se mantem confortados e calmos, tudo se desenvolve na maneira que tem que acontecer. É importante para o desenvolvimento de uma criança se sentir seguro e acolhido pelos pais, por isso ter o colo sempre que solicitado oferece sensação de segurança, além de muito prazer.

O colo é aliado do fortalecimento de vínculos: O colo além de ajudar a controlar a temperatura corporal, fortalece vínculos entre os pais e o bebê. Sempre que se sentir com medo, aflito ou inseguro, o bebê receber um colo acolhedor faz com que essa relação fique mais sólida, dia após dia. O ato de balançar o bebê no colo oferece calmaria, além de sentir a mesma sensação que tinha quando estava ainda no útero.

Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!

O colo oferece alivio para cólicas e ajuda na digestão – O colo por oferecer uma troca de temperatura corporal, proporciona alivio dos sintomas das cólicas. Por isso quando são colocados “barriga com barriga”, sentem um alivio imediato.

Colo de pai e mãe tem efeito anestésico – Realmente o colo é um dos melhores lugares do mundo, e se for colo de pai e mãe melhor ainda. Claro que é psicológico, mas colo tem efeito de remédio anestésico e oferece calmaria e até cura de algumas dores.

Até Quando dar Colo ao Seu Bebê?

Não existe regra e nem idade certa para você deixar de dar colo ao seu bebê ou ao seu filho. Não importa a idade que tenha, colo é sempre gostoso e acolhedor! No caso dos bebês, enquanto são totalmente dependentes dos nossos cuidados, devemos dar sempre que solicitado e desejado.

Claro, que como o velho ditado diz “que tudo que é demais faz mal”, o colo em excesso e sem necessidade pode oferecer um efeito inverso ao acolhimento e segurança. Bebês com idades de aprender a engatinhar e começar a explorar, necessitam de espaço para se descobrirem, e no colo não conseguem fazer isso.

Ficar com o bebê no colo em períodos desnecessários pode atrapalha-lo também com a interação com as demais pessoas e causar até mesmo problemas para dormir sozinho, deixando-o inseguro.

O colo deve ser dado como um carinho saudável, um momento prazeroso e de troca de afeto entre pais e filhos e não uma substituição de atividades, como brincar, explorar e dormir. Ofereça colo quando for momento de trocar carinho ou até mesmo de acolher, mas jamais prive seu bebê de ter uma rotina saudável e de descoberta, que faz parte da infância e do desenvolvimento saudável.

Vinculo Mãe e Bebê

Quando falamos de vínculo entre mãe e bebê, logo pensamos sobre o vínculo criado no desenvolvimento uterino, no ato do gerar por 9 meses. Mas essa ligação vai muito além disso e após o nascimento do bebê, esse vínculo mãe e bebê é fortalecido dia após a dia.

O toque da pele, o contato físico, o cheiro e o tom da voz, cada detalhe vai fortalecendo esse lindo vínculo entre mãe e bebê. O sentimento é de “como consegui viver sem ele” até hoje? Muitas pessoas podem achar que o vínculo criado é pelo cuidado diário que acaba gerando afinidade, como pode acontecer com qualquer outra pessoa que venha a cuidar do bebê.

Mas vinculo de mãe e bebê é diferente de tudo a ser vivido e diferente de qualquer outro vínculo afetivo. Para algumas mulheres que precisam voltar a trabalhar logo após o termino da licença maternidade, a dor da separação, a insegurança e o desejo de largar tudo para cuidar do seu bem maior é inevitável, mas nem sempre é possível.

Mesmo distante e deixando o bebê aos cuidados de uma terceira pessoa, o vínculo mãe e bebê é mantido fortemente. Sempre haverá aquele cordão invisível que acaba ligando um ao outro, não importa a distância.

O vínculo entre a mãe e o filho é fortalecido a cada dia que passa, através do cuidado, da atenção e da presença. Ser mãe é ser vista como porto seguro, fortaleza de um filho, ser vista como a heroína imbatível e que resolve todos os problemas em um passe mágica. Aliás, ser mãe é algo inexplicável não é mesmo?

A importância do vínculo de uma mãe e um filho é para uma vida toda. Causa efeitos eternos e registra na memória e no coração momentos únicos. O efeito dessa ligação, gera segurança, conforto e muitas lembranças a serem lembradas e lições aprendidas, quando chegar a hora do filho se tornar pai e mãe, ele saberá como fazer.

Veja Também: Cama Compartilhada – Como Será Ter Essa Experiência?
Foto: PublicDomainPictures