Cama compartilhada nada mais é do que dividir a cama de casal com o seu bebê claro, em conjunto com o seu companheiro. Esse método de cama compartilhada é um tanto polêmico pois há especialistas que são totalmente contra porém outros a favor pelos seus benefícios. A cama compartilhada cria um vínculo bem forte entre os pais e o bebê, e esse vínculo pode trazer problemas futuros. Inicialmente a cama compartilhada é benéfica para os pais, mais para a mãe, pois o conforto de amamentar sem precisar se levantar várias vezes a noite é muito atrativo. Posteriormente com o crescimento do bebê, a cama compartilhada pode trazer segurança para o bebê e a criança.

Porém alguns cuidados devem ser tomados quando se pratica a cama compartilhada com o bebê. Além de evitar o método quando um dos pais dorme um sono bem pesado e também mães que amamentam na cama devem prestar atenção quando estiver muito cansada, amamentar deitada requer cautela, pois o seio pode “sufocar” o bebê, então se estiver muito cansada procure se sentar para amamentar. Uma alternativa para cama compartilhada são os extensores de cama, moisés lateral, os co sleepers também são uma boa opção. Esses podem ser encontrados em lojas especificas para bebês e é novidade total, eles permitem que o bebê ainda fique pertinho da mãe, mas em seu próprio espaço. Outra alternativa pra estender a cama é tirar a grade do berço se esse for da mesma altura da cama do casal, e então encostar. Pode ajudar e muito. Dicas de segurança são sempre bem vindas, que tal colocar uma grade lateral na cama do casal para evitar que a criança caia?

Saber a hora de encerrar o método também é importante. Claro que não tem um período especifico para que isso aconteça, cabe aos pais limitarem e gradualmente incentivar a criança a dormir em sua própria cama com o passar do tempo. E a sexualidade do casal como fica com a cama compartilhada? Claro que para tudo se dá um jeito, porém é importante o casal prestar atenção nesse fator. A vida sexual é muito importante em um casamento e reservar um tempo a sós é fundamental. Mas quais são os prós e contras na visão de quem vive a cama compartilhada com o bebê? Suas alegrias e dificuldades diárias? Veja o relato de duas leitoras e suas diferentes experiências com a cama compartilhada.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

Mamãe Kethleen Erdman 21 anos e bebê Murilo Erdman 1 ano e 13 dias.

Trocando Fraldas: Como aconteceu a cama compartilhada, foi natural ou era algo planejado?

Kethleen: Foi natural, eu planejava deixar ele no quarto dele, montei tudo direitinho, berço e tals, só que meu filho teve muuita cólica quando rn então quase não dormia a noite e quando dormia ficava comigo, comecei a ter dó de deixa-lo sozinho no berço mesmo eu dormindo numa cama de solteiro ao lado, foi aí que ele veio pra minha cama e até hoje não saiu.

Trocando Fraldas: Qual a vantagem de fazer o método da cama compartilhada com o bebê?

Kethleen: Bom sinto que é um dos únicos momentos que podemos se curtir sozinhos mesmo ele dormindo, trocamos afetos, abraços e beijos, muuito carinho e não é uma separação brusca, pois ele ficou 9 meses dentro da barriga da mamãe e assim que nasce, fica em um lugar desconhecido e sozinho, não gosto da idéia rs

Trocando Fraldas: Qual é a desvantagem?

Kethleen: A única “desvantagem” que consigo pensar é a da intimidade, mas relevamos muito bem, como diz meu marido que nossa cama é só pra dormir e mais nada kk

Trocando Fraldas: O marido concordam e apoiam ou apoiaram no começo?

Kethleen: Sim, meu marido até incentivou, e ele também adora, nunca reclamou, e lembro que na época que eu tentei tira-lo da minha cama ele não deixou rs, ele gosta do nosso filho sempre perto.

Trocando Fraldas: Qual a sensação de ter fazer a cama compartilhada?

Kethleen: Amor, apego, afeto, é tudo de bom.

Se imaginam sem fazer a cama compartilhada?

Kethleen: sim, quando ele crescer mais um pouquinho, mais tudo muito natural, sem transição brusca nem nada, tudo no tempo dele.

Trocando Fraldas: Recado pra gravida que pensa em adotar esse método…

Kethleen: Que eu apoio, o bebezino frágil precisa se sentir seguro, é muito bom e não é uma separação brusca nem pra ele e nem pra mamãe, os bebes crescem tão rápido, aproveitem cada instante com ele, inclusive na hora do sono rs..e é mais fácil também na parte da amamentação;
mais claro tudo conversado entre o casal e com a certeza que não irá ter descontentamento de nenhuma parte.

beijos fiquem com Deus

Nota da Blogueira: Além da cama compartilhada existe o quatro compartilhado, eu e meu marido ainda vivemos essa experiência e nos preparamos para tirar a nossa caçula do nosso quarto. Estamos preparando um cantinho junto com seus irmãos e dá pra perceber que ela mesma por sí só já pede para ir dormir com os irmãos apesar de ser bem apegada comigo. O momento certo dessa transição acontecer é com os pais.

Veja também: Crescimento do Bebê e as Suas Crises

Foto: Kelly Sue DeConnick, Acervo pessoal