Câncer é um tipo de doença que amedronta qualquer um. Claro, a doença já foi um dos maiores desafios da medicina e ainda hoje continua fazendo milhões de pessoas no mundo todos os anos. Apesar disso, para muitos, o câncer de pele é uma doença relativamente leve e que pode ser tratada facilmente. Porém, o que muitas pessoas não imaginam é que esse é um dos tipos de câncer mais comuns no Brasil e que faz, em média, 1900 mortes por ano no país. Então como tratar o câncer de pele? Como evitar? Quais são os sintomas? Vamos responder essas e muitas outras perguntas no texto de hoje. Leia até o fim e confira tudo o que você precisa saber sobre a doença.

O que é o Câncer de Pele?

Antes de mais nada, é importante entender o que é um câncer e por que se trata de uma doença tão perigosa. Câncer nada mais é do que um tipo de doença caracterizada pelo crescimento acelerado de células, que podem invadir órgãos e tecidos do nosso corpo de maneira descontrolada, causando diversas consequências e inclusive levando à morte.

Câncer de pele, portanto, é o crescimento anormal de células que compõem a nossa pele. Como se trata de um órgão bastante extenso e profundo, existem diversos tipos de câncer de pele, que podem ser mais ou menos agressivos, dependendo de que região da pele é atingida. Apesar de se tratar de uma doença que pode ser letal, o câncer de pele pode ser diagnosticado rapidamente, o que é ótimo para que o tratamento seja feito da forma correta e também aumenta consideravelmente as chances de cura.

Sintomas do Câncer de Pele

O câncer de pele é uma doença que pode se manifestar de diversas maneiras. Ainda assim, os principais sintomas que podem se manifestar são:

  • Feridas que não cicatrizam rapidamente ou que durem mais de um mês
  • Pintas que mudam de tamanho, de forma e até mesmo de cor
  • Lesões na pele que coçam, descamam ou mesmo sangram

Cada tipo de câncer de pele se desenvolve de maneira diferente no corpo de uma pessoa. Por isso, a principal recomendação dos médicos é de procurar um hospital assim que você perceber alguns desses sintomas. Lembre-se, quanto mais cedo a doença for tratada, maiores são as chances de cura e de você não ter sequelas graves.

mancha na pele

Principais Causas do Câncer de Pele

Assim como qualquer outro tipo de câncer, o de pele nada mais é do que a aceleração de crescimento de determinadas células que podem destruir tecidos e órgãos. Nesse caso em específico, tal aceleração pode ser acelerada pelo excesso de exposição ao sol, uma vez que os raios ultravioletas podem causar essas mutações nas células. Câmaras de bronzeamento artificial utilizadas em demasia também representam um perigo em potencial. Por essa razão, é muito comum que o câncer de pele surja nas áreas do corpo mais expostas pelo sol, como braços, rosto, orelhas.

O que muitas pessoas não imaginam é que o câncer de pele pode ter outras causas que vão além da exposição da pele a raios ultravioletas. O uso de determinados tipos de drogas, exposição à radiação, tabagismo e até mesmo feridas crônicas na pele podem causar a doença.

Grupos de Risco

Antes de mais nada, é importante saber que o câncer de pele pode se manifestar em qualquer pessoa. Porém, existem alguns grupos que precisam ter certos cuidados a mais, já que são mais suscetíveis a desenvolver esse tipo de doença. Esses grupos são:

  • Pessoas albinas
  • Pessoas acima dos 40 anos
  • Pessoas com alto número de pintas no corpo
  • Pessoas com histórico de câncer na família, principalmente de pele
  • Pessoas com vitiligo
  • Pessoas que fazem tratamento com imunossupressores
  • Pessoas que já tiveram câncer de pele anteriormente

Esse tipo de câncer é considerado raro em pessoas com a pele mais escura e em crianças. Porém, se a pessoa se encaixar em algum desses grupos de risco, é importante que os cuidados para prevenir sejam redobrados.

Tipos de Câncer de Pele

O câncer de pele pode se manifestar em três tipos diferentes. Vamos falar mais profundamente sobre cada um deles e mostrar quais são suas características, formas de tratamento e gravidade. Esses tipos são:

  • Carcinoma Espinocelular
  • Carcinoma Basocelular
  • Melanoma

Carcinoma Espinocelular

Esse é o segundo tipo mais comum de câncer de pele, surgindo principalmente em áreas que ficam mais expostas ao sol, como o rosto, as mãos, orelhas e pescoço. O carcinoma espinocelular muitas vezes se apresenta como uma espécie de verruga, que tem coloração avermelhada, podendo sangrar e escamar também. É muito mais comum em homens do que em mulheres.

Carcinoma Basocelular

O carcinoma basocelular é o mais comum tipo de câncer de pele e, felizmente, possui baixa letalidade. Ele também costuma surgir mais comumente em regiões mais expostas ao sol, como uma pinta que possui uma crosta central, normalmente de cor avermelhada e que pode sangrar ocasionalmente.

Melanoma

O melanoma é um tipo de câncer menos comum, porém, é o mais perigoso e letal dentro todos eles. Normalmente as pintas causadas pelo melanoma mudam de cor e de tamanho e, por essa razão, ficar atento a esse tipo de mudança é essencial para detectar a doença precocemente. Ela também costuma surgir em áreas do corpo mais expostas ao sol, embora possam existir exceções.

Prevenção do Câncer de Pele

Algumas das principais recomendações para prevenir o câncer de pele são:

  • Evitar se expor ao sol em horários onde a radiação é mais intensa (entre as 10h e as 16h)
  • Utilizar chapéus, guarda-sóis, bonés e outros tipos de proteção contra o sol
  • Usar filtro solar sempre que se expor ao sol, com o fator de proteção mais alto possível
  • Utilizar protetor labial

Ainda que o câncer de pele seja uma doença que pode causar preocupação em muitas pessoas, é uma doença que tem cura. A recomendação é que se visite um dermatologista pelo menos uma vez ao ano para verificar se está tudo bem com sua pele. Como já dissemos anteriormente, quando mais cedo esse tipo de doença for descoberto, maiores são as chances de cura e menores as de sequelas graves.

Tratamentos do Câncer de Pele

O tratamento para essa doença pode variar de acordo com diversos fatores, como o tipo de câncer de pele e o estágio da doença. Em tumores malignos menores, a raspagem ou curetagem pode ser o suficiente para remover as células cancerígenas. Já em tumores maiores, o médico deverá analisar e, se necessário, indicar uma cirurgia para a remoção do tumor, que também pode variar de acordo com o tipo e tamanho.

Além das cirurgias, um médico também pode indicar outros tratamentos, como a terapia fotodinâmica, a radioterapia ou mesmo a quimioterapia. A forma como o tratamento será feito sempre vai depender do diagnóstico dado por seu médico e de uma série de outros fatores que serão analisados por ele.

Muita gente sente um medo enorme só de ouvir a palavra câncer. Sim, trata-se de uma doença grave e que pode trazer complicações realmente sérias. Porém, os avanços da medicina fizeram com que os tratamentos do câncer de pele e de outros tipos estivessem muito mais avançados hoje em dia. Isso não significa que você deva ser negligente ou não levar a doença a sério, mas sim que você pode manter a calma e ter mais esperanças de que o tratamento será um sucesso. Entender mais sobre a doença, como ela age em nosso corpo e as formas como podemos tratála é essencial para que você mantenha a cabeça mais calma. E esperamos que o texto de hoje tenha lhe ajudado nesse sentido.