O câncer é uma doença que tem crescido cada dia mais o número de pacientes, entre bebês, crianças e adultos. É uma doença que não escolhe idade, etnia e muito menos condição financeira. A palavra câncer é o nome que se deu para um grupo que reúne mais de 200 doenças por todo o corpo e que define o crescimento anormal e descontrolado de células. Quando se fala da doença, inevitável não se assustar e pensar no pior e quando surge o câncer na gravidez então?

Como o tratamento é muito radical e a base de medicamentos fortes como a radioterapia e quimioterapia, a maior preocupação é referente à saúde do feto em contato com o tratamento. Porém, de outro lado à falta do tratamento adequado põe em risco a vida da mãe, o que torna um quadro ainda mais delicado. Dentre os possíveis canceres que podem surgir durante a gestação, o câncer de mama é o que ocorre em média 50% dos casos e o segundo sendo os linfomas e leucemia que fica em torno de 27% das estatísticas.

Qualquer um dos tipos da doença é de extrema importância à descoberta precoce, ainda mais o câncer na gravidez que será essencial para evitar que coloque o feto em contato com o tratamento prejudicial ao seu desenvolvimento. Ao longo de toda a gravidez, o período de maior restrição e cuidados é no primeiro trimestre onde o feto está em total formação e o tratamento deve seguir com a máxima cautela.

Tratamento do Câncer na Gravidez

Segundo os oncologistas é possível oferecer tratamentos seguros para o câncer na gravidez e em alguns casos até o procedimento cirúrgico de retirada ocorrer durante a gestação. Quanto à realização dos exames para diagnóstico através de ultrassom que não utilize radiação ionizante ou mamografia no caso de câncer na mama, o uso do avental de chumbo para proteger a barriga na gestação é indispensável.

Quando confirmado o câncer na gravidez, geralmente a quimioterapia não é indicada no primeiro trimestre da gestação. Neste período, o feto está em formação e o contato com o tratamento pode oferecer riscos a saúde dele. Depois dos 3 primeiros meses gestacionais, o tratamento com quimioterapia pode ser iniciado. Diferente do tratamento da radioterapia, que não é aconselhável realização durante o período gestacional.

Normalmente, os especialistas controlam e tratam o câncer na gravidez de forma que possam controlar ou diminuir até o nascimento do bebê. Onde conseguirão realizar procedimentos mais radicais a fim de deter a doença ou realizar os procedimentos que forem necessários sem oferecer riscos ao bebê. O tratamento desde o descobrimento deve ser acompanhado sempre pelo obstetra e o oncologista, onde a saúde do bebê deve ser garantida e o sucesso do tratamento da mãe alcançado.

Na maioria das vezes, os partos são programados e é a realizada a cesariana. No caso de mulheres que estão em tratamento de câncer e pretendem engravidar, podem ficar tranquilas. Desde que o câncer não envolva o aparelho reprodutor feminino como no útero e ovários e seja necessária remoção cirúrgica durante o tratamento, é totalmente possível engravidar após alta do tratamento.

No caso de mulheres com câncer no útero e ovários é possível durante o tratamento a realização do congelamento de gametas para gravidez futura. Se tiver esse interesse, converse com seu oncologista que te indicará as melhores soluções pro seu quadro. Graças à evolução da medicina, cada dia estamos mais próximos de encontrar a cura do câncer e enquanto isso não acontece, encontram mais alternativas para driblar e recuperar pacientes com a doença.

Foto: Unsplash