A gente ouve e lê por aí: “Não coma glúten!”, “Não coma carne!”, “Cuidado com o leite!”, e por aí vai! Parece que a cada dia surgem mais e mais preocupações acerca do que comer, não é mesmo?

A preocupação com a alimentação tem crescido nos dias atuais, e não somente por questões estéticas, mas também como um cuidado com a saúde e prevenção de doenças. A gente sabe que nossa alimentação exerce grande influência na fertilidade, pois nosso corpo precisa ter os nutrientes ideais para prover as melhores condições de se ter altas taxas de sucesso para uma gravidez.

Já sabemos, também, que algumas vitaminas são fundamentais, como o ácido fólico, zinco, vitamina B6, dentre outras. Mas será que grupos específicos de alimentos, como os carboidratos, podem influenciar nas chances de gravidez?

pote de macarrão

O que são os carboidratos?

De maneira geral, os carboidratos dão energia para as nossas células, sendo também responsáveis por participarem da estrutura da parede celular e da formação de ácidos nucleicos.

Além de geralmente serem encontrados nos cereais, tubérculos e doces, os carboidratos também podem ser encontrados nos vegetais, pois ao realizarem a fotossíntese, as plantas armazenam o carboidrato como fonte de energia para ser usado posteriormente. Sendo assim, todos os vegetais apresentam carboidratos, mesmo que em uma quantidade menor, e isso vale para as frutas também.

Os carboidratos podem ser complexos ou simples. Os simples são aqueles que são facilmente absorvidos pelo nosso corpo, como os doces em geral, e a ingestão exagerada é relacionada com resistência à insulina e níveis altos de colesterol. Já os complexos são absorvidos por meio de um processo mais demorado devido a sua composição e, como exemplos de alimentos que contenham carboidratos complexos, podemos citar o feijão.

Devido à sua importância no fornecimento de energia para as células, os carboidratos são importantíssimos para o corpo e devem ser consumidos com frequência. Aqui vai uma lista com alguns alimentos ricos em carboidratos complexos.

  • Frutas: ameixa, mamão, limão, morango, tangerina.
  • Alimentos integrais: arroz, macarrão e pães.
  • Vegetais: couve-flor, repolho, brócolis.
  • Grãos: feijão, lentilha, grão de bico.
  • Oleaginosas: castanhas, nozes, amêndoas.
  • Cereais: aveia.
  • Tubérculos e raízes: batata doce, inhame, beterraba.

Mas os carboidratos não engordam?

Como tudo na vida, o excesso é prejudicial. O consumo exagerado de carboidratos pode provocar o aumento de peso. Além disso, a forma como são preparados os alimentos também ajuda a aumentar as calorias presentes. Por isso, se você está tentando cuidar do seu peso, ao invés de optar por uma batata frita, o ideal seria uma batata cozida, por exemplo.

Além disso, a preferência por farinhas integrais também é uma ótima substituição já que são ricas em fibras e nutrientes, proporcionando maior saciedade. Evitar, também, a ingestão de açúcares refinados e aumentar a ingestão de legumes e verduras são essenciais para equilibrar a quantidade de carboidratos no corpo.

E como isso influencia na fertilidade?

Alguns estudos apontam que a ingestão exagerada de carboidratos com altas taxas glicêmicas pode influenciar na fertilidade. Assim, a ingestão de alimentos como arroz, batata, dentre outros carboidratos simples deve ser realizada com moderação. Aliás, para mulheres que apresentam ovários policísticos o cuidado com a ingestão exagerada de carboidratos deve ser redobrado devido à resistência à insulina que essa condição impõe.

Mulheres que consomem carboidratos simples podem ter mais chances de apresentar disfunções ovulatórias e, por isso, o consumo deve ser sempre equilibrado. Alguns estudos apontam que mulheres que seguem dietas com um consumo mais moderado de carboidratos têm cinco vezes mais chances de engravidar.

Os benefícios do consumo adequado de carboidratos tem sido pauta até mesmo de pesquisas de Harvard, que afirmam que realizar a ingestão de carboidratos complexos pode sim aumentar suas chances de engravidar.

Um outro estudo apresentado pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva apontou que pacientes de fertilização in vitro que realizaram uma dieta com menor ingestão de carboidratos tiveram maiores taxas de sucesso.

Vale lembrar que, como uma ingestão exagerada de carboidratos causa o aumento de peso, esta é uma variável que afeta as chances de concepção. Para o corpo dispor das melhores condições de concepção, a recomendação é de que as mulheres estejam com o Índice de Massa Corporal – IMC – entre 20 e 24, ou que tenham pelo menos até 22% de gordura corporal.

Como podemos ver, os hábitos alimentares influenciam sim nas chances de concepção e é por isso que o tipo de dieta deve ser pensado cuidadosamente caso a mulher queira engravidar. O acompanhamento com um nutricionista é fundamental para que as substituições e quantidades a serem ingeridas sejam pensadas individualmente para cada mulher, levando em conta suas condições físicas e outras especificidades.