Cardiotocografia – Monitoração Fetal e Uterina na Gravidez

Gravidez é realmente um momento muito mágico na vida da mulher e o pré natal bem feito assegura que esse momento seja ainda melhor. Um bom acompanhamento inclui exames de diversos tipos inclusive a cardiotocografia. Para quem já teve bebê será mais fácil de identificar a cardiotocografia. Sabe aqueles aparelhos colocados na barriga da grávida durante um trabalho de parto? Em filmes onde um parto acontece principalmente se for um parto normal, certamente um aparelho de cardiotocografia e seus eletrodos irão aparecer.

Esse aparelho de cardiotocografia monitora os batimentos cardíacos do bebê e também as contrações uterinas da mãe e pode mostrar se a mulher está em trabalho de parto ou não. A cardiotocografia antes do parto é muito importante para mostrar se a hora do nascimento se aproxima e como está à frequência cardíaca do bebê consequentemente se há sofrimento fetal por desaceleração dos batimentos. É mais comum que o médico recomende a cardiotocografia mais para o final da gestação, assim da para saber se está tudo ok com a mamãe e o bebê. O exame de cardiotocografia é interpretado por um gráfico que mostra os picos tanto do batimento do feto quanto os movimentos uterinos. Se há uma contração os eletrodos colocados na barriga irão sentir e isso se traduzirá em ondas de sobe e desce no papel. Bem semelhante a um eletrocardiograma, a cardiotocografia é muito eficiente.

Durante o exame de Cardiotocografia

Os eletrodos são colocados em pontos estratégicos na barriga da gestante e um profissional especializado irá procurar pelos batimentos do bebê para um eletrodo e o outro irá monitorar o útero. Alguns exames de cardiotocografia ainda tem o aspecto movimentação fetal, se a mãe sentir o bebê se movimentar ela aperta um botão mais parecido com campainha de quarto de hospital, aqueles que servem para chamar a enfermeira. A mãe pode ficar sendo monitorada por volta de 20 minutos, assim se tem um laudo completo dos movimentos, se há presença de contrações e se são ritmadas.

Em pronto socorro de maternidade esse exame é feito com bastante frequência, inclusive, verificar a reação do feto ao ser tocada uma buzina. Buzina? Sim! Esses casos são mais delicados, normalmente se há uma queixa da mãe em relação aos movimentos do bebê, no caso a diminuição ou ausência, esse método pode ser adotado durante a cardiotocografia. O bebê se assusta pra valer podem acreditar. Normalmente também são ativadas as maldosas buzinas quando o bebê está dormindo, a fim de acordá-lo para uma avaliação mais completa. Apesar do bebê não ouvir da mesma maneira que ouvimos do lado de fora, ficamos com a má impressão que foi altíssima, mas calma, ele está protegido por uma manta de líquido amniótico que “amortece” o impacto do som.

cardiotocografia monitoração fetal e uterina na gravidez 1

exame de cardiotocografia

Para levar em conta um possível sofrimento fetal, os batimentos cardíacos do bebê são avaliados. O normal é que fique acima de 120bpm, porém em alguns casos pode chegar a 80bpm. Isso acontece por diversos motivos, inclusive pela compressão do cordão umbilical. Durante uma contração é possível que os batimentos cardíacos desacelerem porém não é tão preocupante, cabe ao medico avaliar cada caso isoladamente. Lembrando que uma desaceleração do coração não é preocupante isoladamente falando, e sim se o bebê apresentar uma série de desacelerações durante o período do exame e por um prazo longo de tempo, acima de 8 minutos. Mas a cardiotocografia também pode diagnosticar a aceleração do coração do bebê, se chegar aos 180 e permanecer por mais de 15 minutos, certamente o medico irá optar em realizar o parto. Gestações acima do prazo para o nascimento são frequentemente submetidas a cardiotocografia, pelo menos a cada 2 dias até o bebê nascer.

Nota da Autora: Quando grávida do Luiz Eduardo, ia e voltava da maternidade por diversas vezes pois já estava com 41 semanas de gestação e nada da hora chegar, então fazia a cardiotocografia frequentemente. Certo dia, ele me mexia menos do que o ideal e então a famosa buzina foi acionada próxima a minha barriga por uns 4 segundos. Ele deu um pulo! Nunca o senti tão agitado! Apesar do meu susto, hoje sei que é praxe o exame e naquele momento estava tudo ok com meu bebê. Ele nasceu 2 dias depois desse pequeno susto. De qualquer forma a cardiotocografia é muito eficiente, seu médico irá pedir em algum momento da reta final e sim vale muito a pena.

Veja também: Trabalho de Parto – Como Reconhecer Que a Hora Chegou

Foto: Enrico Matteucci ☸