Castanha do Pará e Seus Benefícios

A Castanha do Pará é também conhecida como castanha do Brasil, pois é característica da região Norte do país. A castanha é uma semente oleaginosa, fazendo parte do mesmo grupo que as nozes e amêndoas. Ela possui muitas gorduras boas, minerais e fitoquímicos, com elevado valor nutritivo.

Para que Serve a Castanha do Pará

A castanha do Pará é rica em vitamina E e substâncias antioxidantes, principalmente o mineral selênio. Em cada castanha já há quantidade suficiente de selênio que precisamos ao dia. Sua alta concentração de glutationa peroxidase também reforça a ação antioxidante.

Ela também carrega em sua composição compostos fenólicos, flavonoides, fitosteróis e esqualeno. Outros minerais presentes na castanha do Pará são magnésio, fósforo, cálcio, cobre, zinco e ferro, além da vitamina C, complexo B e ômega 9.

Propriedades da Castanha do Pará

As propriedades das castanhas do pará são a ação antioxidante e antiproliferativa, reduzindo o risco de certas doenças graves como aterosclerose e câncer. Além disso, a castanha melhora o sistema imunológico, e o metabolismo da glândula tireoide com sua gama de compostos. O selênio da castanha, na dose certa, ajuda o regulamento da glândula, e apenas em altas quantidades pode causar hipotireoidismo.

Uma vantagem dessa semente tão nutritiva é que ela possui pouca quantidade de sódio (sal), sendo liberada para alimentação de hipertensos. Também não possui glúten. A castanha do pará contém muita fibra e gordura. Mas são as gorduras boas, as insaturadas, que diminuem o colesterol ruim (LDL) e aumentam o colesterol bom (HDL), e que, consequentemente, protegem o corpo de doenças do coração.

Já o potássio ajuda a controlar a pressão arterial, e o fósforo melhora a saúde dos ossos. Já as fibras dão mais saciedade e controlam os picos glicêmicos dos açúcares ingeridos, o que é um ponto a mais para quem sofre de diabetes.

A castanha do pará possui também uma proteína chamada arginina, que contribui para o crescimento dos músculos quando se faz exercícios. Segundo alguns estudos, a arginina também aumenta o metabolismo e acelera a queima de gorduras no corpo, sendo então indiretamente boa para o emagrecimento.

A vitamina B6 presente na castanha do pará também ajuda na quebra de gorduras e, junto com o selênio, no funcionamento da tireoide. Porém, o excesso de selênio pode levar a uma intoxicação e um hipotireoidismo, por isso é bom maneirar no consumo da castanha.

Principais Benefícios da Castanha do Pará

  • Protege a saúde cardiovascular;
  • Protege os neurônios do cérebro;
  • Regula a tireoide;
  • Melhora a imunidade.

Indicações de Consumo da Castanha do Pará

Cada castanha do pará contém, em média, 27 calorias. Não é preciso comer muitas por dia para garantir seus benefícios: para o adulto, o consumo recomendado é de 2 unidades por dia. Não é recomendável ingerir mais de 6 unidades por dia, pois corre o risco de ganho de peso, fraqueza e surgimento de manchas brancas na pele e unhas. Isso porque a quantidade máxima de selênio diária é de 400 mcg, e mais de 6 unidades pode ultrapassá-la. Porém, um consumo em excesso ocasionalmente não produz efeitos colaterais.

O uso mais comum da castanha do pará é em lanches ou entre as refeições, sozinha. Mas também é possível colocar pedaços da castanha em iogurtes, cereal matinal ou vitaminas batidas com fruta. Ela muitas vezes é encontrada na granola e em pães integrais.

Contraindicações da Castanha do Pará

A castanha do pará não está indicada para pessoas que por ventura tenham alergia ao alimento, e está liberada para gestantes e crianças. Só não pode ser consumida em excesso, pois corre o risco de uma overdose de selênio, condição conhecida como “selenose”.

Os sintomas do excesso de selênio que aparecem depois de vários dias consumindo altas doses, podem ser náuseas e vômitos, dor de barriga, fadiga, irritabilidade, descamação e manchas das unhas, queda de cabelo, mau hálito e problemas no sistema nervoso.

A castanha do pará contém um pouco de ácido fítico, componente que se acredita contribuir para diminuir a absorção de outros minerais. Ele está presente em outras oleaginosas como nozes, amendoim, nos grãos como feijão, nos cereais e nas folhas verdes, e apenas em quantidades muito elevadas pode levar a essa má absorção.

Por um lado, o ácido fítico é bom para as células e possui propriedades boas para o coração. Portanto, se a quantidade de castanha do pará ingerida for a recomendada, de 2 castanhas ao dia, não há risco de o ácido fítico interferir na absorção de minerais.

Veja Também: Selênio

Foto: Gadini