Irmão mais novo… ai ai só eu sei o que passo na minha casa e parece ter dias em que o ciúme reina absoluto! Bom como vocês devem saber são 3 crianças (11,6 quase 7 e 2 anos) e quando eu engravidei pela segunda vez a minha mais velha já se transformou logo no inicio da gravidez. Mesmo explicando e envolvendo a minha filha aquela menininha doce e calminha foi dando lugar a uma criança manhosa e de certa forma “agressiva” com atitudes que não tinha e não podia nem ouvir a palavra “irmão” que mudava o clima. Todos me diziam que isso era normal, afinal ela era a única criança da família (da minha parte da família, pois já tinha sobrinhos da parte do meu marido) que era apenas para inclui-la na gravidez e explicar que ela era a mais velha, que seria a big sister e que o amor seria igual.

Mas enfim o Dudu nasceu e a coisa só piorou…Todas as visitas que viam a atitude dela tentavam me ajudar dizendo que a envolvendo, ela se sentiria útil e que não ficaria com tanto ciúmes. Fiz de tudo que me ensinaram mas confesso que até hoje é assim, ela parece ter uma espécie de implicância, resistência com ele, mesmo aparentando amar muito o irmão. Bom, quando engravidei da Melissa o Dudu tinha 4 anos, ele sempre foi mais bebezão, menino, caçula… sabe como é né? rs apesar de educar sempre para cresçam e sejam independentes, ainda tenho um vinculo muito forte com meus filhos (isso pode ser ou não tão bom assim, quem vai saber) e no tempo que tiro para ter com um deles, o outro fica batendo na porta e querendo tirar atenção do irmão. Daí quando a Mel nasceu começou a regredir, já grande xixi na cama, queria chupeta e assim por diante. Por fim quando a Melissa nasceu sentia a mais velha contente do que ele, mas era compreensível pois ele assim como a Joana estava perdendo o posto de caçula da família.

Pediatra falando sobre a adaptação da chegada do irmão mais novo

Lembro de minha mãe contando de que quando eu nasci a minha irmã mais velha teve um acesso de ciúmes e desejava que eu morresse. Isso foi até que um dia ela sonhou que eu estava morta dentro de um berço e depois desse dia as coisas melhoraram, mas não se curaram. Afinidade é algo que existe, às vezes a gente tem mais afinidade com um irmão e com o outro nem tanto, sinto essa afinidade entre as meninas, e entre o Dudu com a Melissa, eles adoram brincar juntos, aliás ela fica atrás dele o dia todo, chama para brincar, desenham juntos. É uma belezinha, mas quando os 3 brincam juntos vejo que a disputa pela menor fica bem grande!

Acho mesmo que o ciúme é uma coisa natural do ser humano, eu particularmente sou uma pessoa ciumenta (sim eu confesso!), entendo o ciúme dos meus filhos uns pelos outros e tento me colocar no lugar deles. Sei que isso vai para o resto da vida, apenas tento administrar a situação de uma forma que todos sintam que eu sou justa com todos, dou valor igual a todos e principalmente amo a todos da mesma forma. Quantas e quantas vezes me culpei e coloquei as mãos na cabeça pensando que estava fazendo tudo errado para lidar com esse sentimento deles, mas sabe hoje me perdoo porque tenho certeza de que dou amor suficiente para os 3 e igualmente. Tento ajudar nas carências emocionais que eles possam vir a ter e mostrar que eles serão um pelo outro o resto da vida, afinal pai e mãe não são eternos.

Ciúmes vai da personalidade da pessoa em conjunto com alguma situação e sempre, sempre mesmo vai haver algum tipo de conflito quando se tem mais de um filho ou mesmo que nasça um priminho na família. É perfeitamente normal, agora vai da família conduzir de forma saudável e justa para que a criança sinta que é amada e valorizada tanto quanto o irmão caçula que acabou de nascer e está sendo paparicado pelos papais e visitas. E lembre-se, sempre, sempre, sempre disso, ao visitar um bebê que tenha um irmão mais velho, leve alguma lembrancinha para ele, nem que seja uma balinha. Isso vai ficar registrado e será um gesto de carinho. A mamãe agradece!

Lidar com paciência é uma boa maneira, porém pode demorar um pouco a situação ficar mais tranquila, tente de todas as formas mostrar amor a seu filho que acabou de receber um irmãozinho e saiba que o que parece ser manha pode ser ciúmes embutido. A família sofre em perceber que criança está sofrendo com a chegada do irmão caçula, afinal em um momento de tanta alegria existe a parte da preocupação com o mais velho, como ele vai reagir? Como será o relacionamento de agora em diante? Só sei que excluir não é a melhor forma de lhe dar com a situação, integrar é uma boa solução e às vezes pode resolver por completo todas as diferenças que possam existir.

Três palavras chave: Paciência, Amor e dedicação. Quero muito ouvir a sua opinião, deixe um comentário aqui e não precisa se identificar.

Bj e até a próxima

Veja também: Comportamento – Quando um Casal se Torna uma Família e o Ciúmes

Foto: Brad