A pele humana é o maior órgão do corpo humano. Também é o que mais fica exposto ao ambiente externo, portanto, é claro que é um órgão que pode adquirir diversos tipos de doenças.

Algumas dessas doenças são mais fáceis de serem encaradas, como a micose ou acne, por exemplo, que são mais comuns e tratadas por nós com certa naturalidade. Mas também existem aquelas mais desconhecidas e que podem gerar dúvidas, como o vitiligo, a rosácea ou até mesmo o cobreiro, também chamado de herpes zóster, que exige um tratamento mais específico, o que pode deixar muita gente assustada de início.

Por ser uma doença pouco conhecida e pouco comentada, o cobreiro muitas vezes pode causar constrangimentos e transtornos em diversas situações, mesmo que a doença não traga tantos malefícios como muitos imaginam.

A verdade é que, muitas pessoas associam o cobreiro apenas ao ao vírus da imunodeficiência (HIV), o que faz com que elas acabem se constrangendo e até mesmo sofrendo certos tipos de preconceito. Mas para que isso possa ser combatido e, mais importante, para que se possa ter consciência do que essa doença realmente faz e como curá-la, é necessário conhece-la, assim como suas causas, sintomas e tratamentos.

O que é o Cobreiro?

Cobreiro é uma doença de pele causada pelo vírus da varicela, o mesmo da catapora. O vírus permanece inativo do organismo da pessoa até que algum dia ele possa ser ativado de novo. Isso significa que apenas pessoas que já tiveram catapora podem ter o cobreiro, ou herpes zóster.

As pessoas que nunca tiveram catapora, mas que entraram em contato com o vírus do cobreiro, primeiramente irão desenvolver catapora e posteriormente a herpes zóster.

Principais Sintomas do Cobreiro

Existem algumas fases da doença e cada grupo de sintomas aparece em uma delas. Saber disso é importante para saber identificar em que estágio a doença está. Os primeiros sintomas que uma pessoa com cobreiro sente são:

  • Formigamento
  • Ardor
  • Coceira
  • Febre
  • Dores de cabeça
  • Mal estar

Depois dessa primeira fase, é comum que o local da coceira fique avermelhado e que pequenas bolhas surjam. Essas bolhas normalmente estão acompanhados de um líquido transparente ou levemente amarelado. Elas geralmente aparecem apenas em um lado do corpo e são mais comuns em algumas regiões como:

  • Tórax
  • Costas
  • Rosto
  • Ao redor da cintura (essa é a região mais comum)

Após um período entre 4 e 6 semanas, essas bolhas tendem a secar, mas podem causar muita dor dependendo do tamanho da bolha e da região onde ela está. Muitas vezes as marcas que elas deixam acabam ficando para a vida toda.

Como Ocorre a Transmissão do Cobreiro?

A transmissão do cobreiro ocorre por contato direto de pessoa para pessoa. Isso significa que qualquer tipo de contato com as secreções produzidas pelas bolhas do herpes zóster pode infectar outra pessoa.

Apesar disso, essa não é uma doença que fica presente em seu corpo 100% do tempo, aparecendo principalmente em situações de alto estresse, quando o corpo está com baixa imunidade ou quando há uma forte exposição ao sol.

Como é Feito o Tratamento do Cobreiro?

O tratamento convencional do cobreiro é feito através de medicamentos antivirais que atacam diretamente o vírus e diminuem os sintomas. É importante ressaltar que a vacina da catapora também é uma vacina contra o cobreiro. Mas ainda existem outros tipos de tratamentos caseiros, feitos para aliviar as férias e os sintomas da doença no geral.

Tratamentos Caseiros

Os remédios caseiros podem aliviar as dores e diminuir as bolhas causadas pela herpes zóster, mas não vão agir no vírus para eliminar os sintomas. Esse tipo de tratamento é ideal para quem está sofrendo com dores ou está com sintomas muito fortes da doença. Os principais remédios caseiros para o cobreiro são:

  • Água oxigenada aplicada em gotas diretamente nas bolhas.
  • Mel puro ou suco de alho-poró para aliviar as coceiras.
  • Farinha de aveia aplicada nas feridas.
  • Chá de folhas de dente de leão. Lembre-se que o chá é para ser ingerido e não aplicado nas feridas.
  • Gel de babosa aplicado nas feridas.
  • Creme de semente de pimentão picante aplicado nas feridas.

Esses são apenas alguns dos tratamentos caseiros que você pode fazer para que os sintomas da doença como a coceira, as bolhas e a dor sejam aliviados, mas é necessário que o tratamento com antivirais também seja feito se você realmente quer melhorar.

Grupo de Risco

Apesar de todas as pessoas que já tiveram catapora possuírem chances de ter o cobreiro, existem alguns grupos que correm mais risco de desenvolver a doença, seja pela baixa imunidade do organismo que essas pessoas têm ou por algum fato ocorrido em suas vidas. Esses grupos são:

  • Idosos – Pela baixa imunidade
  • Portadores do HIV – Também por apresentarem baixa imunidade
  • Pessoas que não tomaram a vacina conta a catapora
  • Pessoas que fizeram algum transplante
  • Pacientes oncológicos

O cobreiro é uma doença que pode aparecer em diversos tipos de pessoa em diferentes épocas da vida, ainda que existam os grupos de risco. Saber o que ela é, quais são as consequências que a doença traz e qual é a melhor forma de realizar o tratamento é muito importante não só para que as pessoas que possuem cobreiro possam ser curadas, mas também para desmistificar a noção que temos sobre certas doenças na sociedade.

É muito importante termos consciência e tomarmos cuidado para não sermos afetados por vírus e bactérias, mas também precisamos saber até que ponto essa nossa proteção não é um exagero e pode constranger outras pessoas.

Veja Também: Dermatite de Contato em Crianças – Causas, Diagnóstico e Tratamento
Foto: Asvmdrn