Hoje vim relatar o nascimento da minha irmã, ela é mais velha que eu e nem vou dizer quanto porque imagino ela lendo esse relato e acabar vendo que eu revelei a idade dela rs rs. Nos anos 70 pelo menos aqui em São Paulo era tudo muito difícil, mesmo porque os ônibus na época não ajudavam muito (nem hoje em dia pra falar a verdade, mas está melhor) . Então meus pais novinhos, casados a menos de 6 meses se descobriram grávidos, minha mãe tinha muitos enjoos e náuseas, ao invés de engordar como era esperado e natural, ela acabou emagrecendo muito.

As poucas coisas que ela conseguia comer, não paravam no estômago e assim a gravidez foi transcorrendo, relato aqui um dos poucos desejos que ela teve durante a gravidez. O tempo foi passando e as coisas foram acontecendo de uma forma natural, o pré natal dela era de certa forma precário devido as dificuldades de encontrar vaga nos hospitais públicos na época, e assim a gravidez foi desenvolvendo com alguns problemas devido a má alimentação que ela tinha pois não conseguia comer pelas inúmeras náuseas. Para piorar um pouco mais a situação o lugar em que eles moravam era muito baixo e em uma chuva mais forte no mês de fevereiro houve uma inundação onde eles perderam todo o enxoval do bebê que estava por vir.

Mas mesmo com tantas adversidades a barriga ia crescendo mesmo que minimamente (mais parecia uma azeitona como a minha própria mãe diz), e em uma época inimaginável pela atual geração, onde não tinha ultrassom disponível, e muito menos tanta tecnologia que há hoje em dia, era digamos tudo muito manual e simples, sem tantos recursos.

Então o 7º mês chegou, era um final de semana que então a inexperiente futura mamãe começou a sentir dores e mais dores e sem saber direito o que fazer foi aconselhada pelo cunhado a ir ao médico e então lá constataram que o bebê queria nascer antes do tempo. Mas era muito pequena para a idade gestacional,o colo do útero já estava praticamente dilatando e as contrações estavam frequentes. Ela teve que ficar internada e tomando medicação para desacelerar o parto tão prematuro. Durante uma semana ela permaneceu sendo medicada e então foi liberada para ir para casa, mas dois dias depois as dores voltaram e dessa vez não tiveram como segurar que o parto acontecesse.

Minha irmã Márcia nasceu dia 04 de março, pesando 1.900kg e 37cm de parto normal e lembro da minha mãe contando como foi a emoção de vê-la tão pequena e frágil, mas por um milagre de Deus ela não precisou de nada, nem mesmo de oxigênio ao nascer e ela veio para casa junto com minha mãe na alta.

Muitos comentários era de que ela não viveria, pois era tão pequena que até mesmo um lenço masculino de bolso servia de fralda (eram usadas em grande maioria fraldas de tecido) pois uma fralda comum ficava imensa para um bebê tão pequeno. Ela cresceu sim, e cada vez mais bonita, cheia de vida e comilona desenvolveu como uma criança normal e feliz. Se você é mamãe de prematuro não se preocupe, eles crescem rápido e com muita saúde, pois o amor que eles recebem se transformam em saúde.

Veja também: Relato de Ansiedade na Gravidez – Tempo Que Parece Não Passar