Dificilmente você encontrará alguém que não sofre com esse medo ou que pelo menos não sofreu ao longo da infância. O medo de injeção é um dos grandes temores das pessoas, principalmente das crianças e a hora que necessita é um momento de grande desespero. Aquela agulha fininha causa pânico e tremores em muitas pessoas, que chegam a passar mal na hora de receber uma medicação injetável, uma vacina ou ate mesmo para tirar sangue. Infelizmente é um mal necessário e nem sempre pode ter outra solução para substituir.

Bebê tomando vacina

A injeção é utilizada para introduzir líquidos e medicamento no corpo seja de forma intravenosa ou intramuscular. A injeção intravenosa é quando o procedimento é realizado com a administração de medicamento diretamente nas veias que se encontram nos membros superiores ou inferiores, contando com a agilidade de entrar direto na corrente sanguínea alcançando melhor eficácia. Já a injeção intramuscular, é aquela que é realizada diretamente dentro de um músculo. Normalmente utilizada na área glútea ou na região das coxas no caso de bebês.

O que poucos sabem é que a agulha em si não dói, mas sim a profundidade em que ela é aplicada e qual a substância utilizada nessa injeção. Hoje em dia podemos contar com a modernidade e com uma variedade de calibres de agulha, aonde vai da mais fininha quase imperceptível como um fio de cabelo até as mais grossas que quase não são utilizadas atualmente.

Criança com Medo de Injeção – Como Ajudar?

O medo de injeção das crianças causa desespero nos pais também, isso quando os próprios pais tem medo e passam ainda mais insegurança pros filhos. Quando escuta que terá uma campanha de vacinação e não será gotinha, o corpo estremece. O dia da vacinação ou quando precisa tomar uma injeção por causa de alguma infecção ou algum problema de saúde, é um verdadeiro desespero.

Muito choro, grito e tentativas de fuga incansáveis ocorrem deixando todo mundo estressado e piorando ainda mais a situação, que deveria ser bem rápida. O nervosismo dos pais acaba ocasionando ainda mais traumas na criança que já esta apavorada com a situação. Infelizmente não existe método que acabe de vez com o medo de injeção, mas existem formas de tranquilizar a criança esclarecendo sobre como funciona e porque precisa tomar. A tão temida picadinha pode começar a ser enfrentada de forma corajosa e depois da primeira vez ver que nem tinha tantos motivos para tanto medo como pensava.

Informar o profissional de saúde sobre o medo da criança também é outra forma de ajuda-la, afinal com “jeitinho” e mais cuidado é capaz de tornar o momento mais tranquilo e quem sabe assim ate tirar o medo dela? Quando a injeção ocorre em um momento de tranquilidade e calma, com o corpo relaxado o incomodo da picada se torna quase que imperceptível.

Para casos mais específicos onde a criança tem verdadeiro temor pela injeção e é impossível encarar, uma boa conversa com o pediatra pode ser a solução. Em alguns casos, o uso de anestésico é indicado para assim aliviar o incomodo da picadinha, que nem doí tanto assim, mas causa aflição e medo em tanta gente, principalmente nos pequenos. Uma pequena camada de anestésico tópico passado sobre a região aonde a injeção será aplicada será o suficiente para que a criança não sinta exatamente nada.

Para as crianças que passam mal e sentem sensação de desmaio só de entrar no hospital ou laboratório, uma forma de relaxar é posiciona-los de forma confortável. Alguns locais oferecem cadeiras, poltronas ou ate mesmo macas onde possa acomodar este tipo de paciente.

Outras dicas valiosas para não tornar o momento da injeção ainda mais traumática, é dizer a criança para não ficar olhando e sim virar para outro lado. Converse, pense em outra coisa e se distraia, é o melhor jeito de receber a injeção sem estar esperando e acontecer e terminar mais rápido. Se quiser cante, conte até dez ou simplesmente feche os olhos e tente lembrar ao pequeno que durará somente alguns segundos e logo já estarão em casa.

O medo é algo inevitável e o medo de injeção não será o único a ter que enfrentar e nem o maior. Medo de escuro, de trovão, de cachorro ou até mesmo daquele personagem infantil, do palhaço e do Papai Noel, são tantos medos que a criança terá que enfrentar em sua vida. E mesmo quando crescerem e forem pais, ainda sim terão medos. Diferentes dos da infância, mas ainda os terão. Se aprenderem a lidar com esses temores quando pequenos, saberão também lidar quando adultos e quando forem à vez deles de acalmar os seus filhos, saberão exatamente como agir.

Veja também: Criança Com Medo – Como Enfrentar Essa Situação?

Fotos: jacco de boer, Ashley Ringrose