A bolsa estoura e as dores começam do nada! Cena de filme não é? Repentinamente a mocinha do filme, entra em trabalho de parto e as dores vem do nada. Nem sempre as contrações são assim tão doloridas e repentinas como o trabalho de parto que aparece no cinema você sabia? As contrações podem ser até mesmo imperceptíveis mesmo em trabalho de parto latente. Mas o problema é quando não conseguimos reconhecer essa contração. Veja a seguir algumas dicas para identificar quando a contração é para valer.

As contrações são pressões do útero ocasionadas pela proximidade do trabalho de parto ou como sinais do trabalho de parto. A expulsão do bebê é feita através dessa pressão que empurra o bebê para fora em direção à passagem vaginal. O trabalho de parto ativo deixa essas contrações fortes e ritmadas com espaço de 30 segundos entre elas por conta de um hormônio que se chama ocitocina e é expelido naturalmente ou introduzido de forma artificial para ajudar a acelerar o trabalho de parto.

A contração pode ser dolorosa ou indolor, porém um aspecto é sempre presente quando a contração acontece: a barriga ficará mais dura do que de costume. A sensação de barriga mais pesada é um dos principais fatores que determinam a contração indolor. Mas a sensação de um peso que vem das costas para frente também é uma recorrente para ajudar a reconhecer uma contração.

Quando a dor das Contrações Ficarão Mais Fortes?

A famosa dor de contração tão mostrada em filmes e novelas são sim importantes, porém na maioria dos casos ela vem aos poucos e pode levar algumas horas para ficar insuportáveis como mostrado na ficção. A dor característica da contração é aquela que irradia das costas para o abdômen ou o caminho contrário.

Muitas vezes a dor da contração também é confundida com cólica menstrual quando no início, mas a tendência é que elas fiquem cada vez mais fortes e frequentes. No início as contrações são arritmadas e podem durar de 30 segundos a 1 minuto e em espaços de 10, 15 ou 30 minutos. Conforme o parto se aproxima as dores também ficam em mais compassadas e em menor espaço de tempo.

O ideal é anotar o intervalo entre as dores e também cronometrar quanto tempo elas duram. Quanto mais elas durarem e menos tempo entre elas, mais próximo a fase de expulsão do bebê. O ápice do trabalho de parto é a sensação de fazer cocô! Essa sensação diz a mulher que a dilatação está completa e que já é hora de empurrar. Quando as contrações atingirem 5 minutos entre elas, é hora de ir para maternidade.

Durante as contrações o bebê pode parecer mais quietinho e isso é normal devido a pressão que ele está sofrendo, porém é preciso manter vigilância sobre os seus batimentos para saber se está tudo indo bem. Para aliviar as dores a mulher deve fazer a respiração cachorrinho, acelerada e curta inspirando pelo nariz e soltando pela boca.

Também é importante que encontre um apoio para os momentos de maior dor. Ficar de pé pode ajudar e muito nos momentos de pico das contrações. Massagear o quadril alivia e muito a pressão por isso é muito indicado ter alguém para apertar a parte de trás das costas, na lombar.

As contrações também podem ser de treinamento e acontecer a partir da 20ª semana de gravidez. As famosas contrações de Braxton Hicks podem chegar a assustar mas não são fortes o suficiente para provocar um parto prematuro. O ideal é que a mamãe vá a maternidade em caso de duvidas, pois lá eles podem fazer a cartiotocografia que identifica as verdadeiras contrações e o trabalho de parto mesmo que não haja dilatação.

Veja também: Contrações de Braxton Hicks – Identificar as Falsas Contrações

Foto: Chris Martino, Jason Rust