Às vezes, parece que seus filhos são um mistério para você? Que, não importa o que você faça como pai e mãe, isso não parece funcionar para eles? Se assim for, você pode estar lidando com mais do que o olho pode enxergar.

Embora seja perfeitamente normal que as crianças às vezes se tornem temperamentais, retiradas, irritadas, tristes ou mesmo francamente hostis, se estiverem apresentando padrões consistentes de comportamento, pode ser hora de examinar a possibilidade de ele ser uma criança insegura.

É importante não esquecer que uma criança insegura, além de sua própria herança genética, é definida por experiências que sofreram ao longo de sua infância e que não foram tratadas, compreendidas ou reconhecidas corretamente.

Quais as Causas Para Uma Criança Insegura?

É comum que uma criança insegura evite fazer algo com medo de falhar. Quando uma criança sente que tem poucas habilidades em uma área específica, como estudos, esporte ou relacionamentos sociais, ela tende a estar preparada para o desastre.

Como resultado, ela evita qualquer atividade que ache que irá fracassar. Uma criança insegura começa a se retirar de certas situações e quando esses sentimentos de inferioridade se generalizam, pode começar a se sentir insegura em todos os aspectos de sua vida.

Uma criança insegura pode experimentar emoções que podem produzir estados de tristeza, ansiedade e até mesmo patologias muito mais graves, como isolamento social, depressão ou culpa, se estas não forem detectadas e tratadas no tempo.

Principais Causas que Geram Insegurança

Um episódio traumático pode ser a origem de uma criança insegura. As causas podem ser variadas como:

Nunca devemos esquecer que a rotina é a fonte de segurança para os mais pequenos. A estabilidade em seus primeiros anos de vida é essencial. Portanto, é necessário que os pais, tutores e educadores sejam compreensivos e empáticos nessas situações e reconheçam a importância da estabilidade para a criança.

Como Saber se é Uma Criança Insegura?

Cada criança aprende a seu próprio ritmo, mas é muito importante que a família esteja consciente para reconhecer os sinais de uma criança insegura. Se a criança mostrar um medo exagerado de falhas e erros.

Se ela tem pouca motivação para se misturar ou jogar; se ela não mostra entusiasmo ou interesse nas aulas; se aceita críticas ou observações muito mal e se, apesar de tentar estudar, os resultados não são satisfatórios, estes são sinais claros de que a insegurança está prejudicando a criança.

Quanto mais cedo reconhecermos que uma criança está lutando com a insegurança, mais fácil será observá-la e assim restabelecê-la em seu comportamento.

Sinais Visíveis de Insegurança

Existem sinais mais visíveis que revelam uma criança insegura:

Desajustes emocionais: se for observado timidez quando em torno de pessoas na escola e até mesmo uma necessidade excessiva de carinho e atenção, isso pode ser um sintoma de insegurança.

Higiene pessoal alterada: se a criança é excessivamente dependente de seus pais para que seja feita sua higiene pessoal, ela pode estar mostrando que se sente insegura em fazer determinada tarefa.

Alteração do sono: o sono, assim como a alimentação são partes básicas do desenvolvimento de cada criança. A criança insegura tem problemas para adormecer, se mostra chateada na hora de ir para a cama, têm pesadelos constantes.

Alteração na alimentação: Uma criança insegura perde o apetite, vomita as vezes que são pressionadas a se alimentar e são até são incapazes de usar talheres. Essa é uma das pistas mais claras.

Comportamentos vagos e desempenho fraco: comportamentos vagos, como mudanças radicais em sua atitude enquanto pratica atividades em grupo ou se sentir muito triste e frustrada na escola trazendo assim a redução de seu desempenho escolar podem mostrar um padrão comum de criança insegura.

Comportamento social solitário: uma criança que prefere ficar sozinha, se isola tanto no ambiente familiar quanto em sociedade, que não gosta de se comunicar pode estar desenvolvendo inseguranças.

Baixa auto estima: a criança insegura evita qualquer atividade que coloque suas habilidades em questão. Ela tende a dizer constantemente que não possui habilidades especiais.

Outras características de uma criança insegura podem incluir:

  • Evitar o contato visual, sorrir ou chorar inconsolavelmente
  • Evitar contato físico
  • Realizar atos auto confortantes, como balançar as pernas, roer unhas ou chupar o polegar.
  • Necessidade de estar no comando e situações de controle

Como Ajudar a Criança Insegura

Uma vez que temos o diagnóstico e detectamos insegurança em uma criança, chega a hora de compreendê-la para poder reestabelecer seu comportamento pouco a pouco.

A primeira coisa que os pais devem fazer é manter a calma. As crianças recebem uma enorme quantidade de estímulos durante a infância e podem passar por diferentes estágios de insegurança.

É importante ter em mente que suas habilidades físicas e psicológicas estão em processo de formação. A empatia será o maior aliado quando se trata de entender uma criança insegura.

Quando a comunicação entre a criança insegura e seus pais ou responsáveis está comprometida é de grande valia que eles sejam carinhosos e compassivos. Seus esforços devem ser direcionados para restaurar sua confiança e autoestima. É essencial que os pais ajudem a criança a quebrar essa linha de pensamento prejudicial.

Os pais devem aumentar sua autoestima e mostrar o quão positivo é se comportar de forma mais ativa e participativa. É altamente recomendável que lhes dê responsabilidades apropriadas para sua idade e habilidades.

Se os pais não pedir a criança insegura para fazer qualquer coisa, estarão reforçando sua crença de que não confiam nela. Se pedirem muito dela e exigir demais, também farão com que ela se sinta mal pois estarão reforçando sua imagem como uma pessoa com falta de talentos e habilidades.

Obviamente, devemos manter um olho atento no comportamento da criança. É importante detectar quais estímulos e situações causam sua insegurança, seja em casa ou na escola. Desta forma, pode-se orientar a situação para que a criança encontre uma rotina mais adequada.

O carinho é muito importante para a criança insegura. Sabendo que ela é amada e cuidada pelas pessoas ao seu redor, que essas pessoas a entende e oferece-lhe o tipo de ambiente tranquilo e rotineiro que ela precisa é uma parte vital de sua recuperação.

Por último, um especialista em psicologia infantil será uma grande fonte de apoio durante esse período. Para lidar com uma criança insegura e saber o que deve ser feito.

Como você pode ver, entender uma criança que sofre de insegurança não precisa ser impossível. Você precisa se encher de paciência, carinho e empatia e começar a trabalhar para evitar que o problema persista e piore.

Veja Também: Xixi na Cama – E Agora?
Fotos: Pixabay