Ter que lidar com qualquer tipo de deficiência é sempre um desafio e tanto para a pessoa que possui quanto para a família que precisa se adaptar para se estruturar da melhor forma e proporcionar uma boa vida para o deficiente. Isso não é muito diferente com crianças que possuem deficiência visual e nem com um deficiente auditivo, mas o tipo de cuidado e de adaptação de cada um vai ser diferente.

O que é um Deficiente Auditivo?

A deficiência auditiva, ou surdez, é um tipo de deficiência que se caracteriza pela falta de capacidade de uma pessoa de reconhecer sons ou até mesmo pela baixa capacidade. Ela pode ser um problema existente desde o nascimento da pessoa ou pode ser adquirido através de uma doença ou um acidente grave.

Considera-se surda a pessoa que não consegue ouvir sons com intensidade menor do que 50 decibéis, mas em muitos casos aparelhos e acompanhamento médico podem resolver o problema.

Em outros casos, no entanto, a questão é mais difícil, pois o aparelho apenas ajuda a pessoa até certo ponto, mas não resolve o problema completamente. É importante que, nesses casos mais graves, a pessoa aprenda Libras e a leitura orofacial o mais cedo possível, para que sua educação e seu processo de aprendizagem não fiquem prejudicados.

Infância de Um Deficiente Auditivo

A infância de um deficiente auditivo pode ser normal e saudável, mas isso depende de diversos fatores e diretamente da relação de cuidado que os pais tem com a criança, principalmente em seus primeiros anos de vida, onde a comunicação está sendo desenvolvida.

Isso significa que o acompanhamento médico e a busca por conhecimentos sobre como lidar com uma criança com deficiência auditiva precisam ser constantes. A inclusão de deficientes auditivos na sociedade também é, em boa parte, dever dos pais e garante que, mesmo crescendo com um tipo de deficiência, a criança possa ser saudável e desenvolver as habilidades sociais necessárias para ter uma boa vida.

Como Pode Ocorrer a Perda Auditiva?

Como já dissemos anteriormente, a deficiência auditiva pode ser algo de nascença ou causada por alguma doença ou acidente. Mas antes de falarmos do que pode causar essa perda, precisamos entender que ela pode ocorrer de duas maneiras diferentes:

  • Perda Auditiva Repentina – Diversos tipos de traumas, infecções, tumores e medicamentos podem causar a perda auditiva repentina.
  • Perda Auditiva Gradual – Ocorre naturalmente por causa da idade, ainda que esses casos normalmente não resultem em surdez. Mas também pode ser causada por danos nas células nervosas ou até mesmo excesso de cera no ouvido

Uma vez que já entendemos os tipos de perda de audição existentes, pode citar entre as principais coisas que tornam uma pessoa um deficiente auditivo:

  • Exposição a Ruídos em Excesso
  • Meningite
  • Medicamentos

Exposição a Ruídos em Excesso

Pode se encaixar nos dois tipos de perda de audição, dependendo do tipo de exposição. Normalmente ocorre com pessoas que trabalham em lugares insalubres onde há barulho em demasia e pouca prevenção para os ouvidos, como em grandes obras, por exemplo.

É muito difícil que esse tipo de perda de audição resulte em surdez total, mas pode fazer com que a pessoa tenha que usar o aparelho auditivo.

Meningite

A meningite, principalmente a bacteriana, pode causar perda de audição em diversos níveis diferentes. A perda de audição ocorre por uma inflamação na cóclea, região responsável por transformar sinais acústicos em elétricos para o cérebro, fazendo com que a audição ocorra. Dependendo do nível da inflamação, a meningite pode gerar perda de audição severa e definitiva, principalmente em crianças.

Medicamentos

O uso inadequado de medicamentos pode atingir áreas do cérebro e fazer com que uma pessoa se torne um deficiente auditivo. Por essa razão, é sempre importante consultar um médico para o tratamento de qualquer tipo de doença para que problemas simples não se transformem em coisas tão graves.

Direitos do Deficiente Auditivo

As pessoas com deficiência auditiva têm alguns direitos para que possam viver bem dentro da sociedade. Esses direitos são conquistas para que a inclusão dessas pessoas aconteça de forma mais rápida e organizada, e também para mostrar para a sociedade todas as capacidades que um deficiente auditivo possui. Entre os principais direitos do deficiente auditivo estão:

  • Passe Livre – Garante o benefício de viagens interestaduais para deficientes auditivos que comprovem uma renda baixa da família.
  • Isenção de Imposto de Renda – Trata-se de um benefício para pessoas que possuem deficiência física, visual e auditiva.
  • Emprego – Vagas de emprego destinadas especificamente para pessoas com deficiência auditiva.
  • Acesso à Universidade – O Governo Federal possui um programa destinado a inclusão de pessoas com deficiência em diversas instituições de ensino superior.
  • Concursos Públicos – Também há vagas destinadas para deficientes em concursos públicos. O deficiente auditivo pode concorrer para essas vagas desde que tenha perda de audição bilateral.

Como pudemos perceber, os direitos do deficiente auditivo servem para que essas pessoas não vivam como viveram por muitos anos, às margens da sociedade e considerados inferiores de alguma forma.

Inclusão de Deficientes Auditivos

A inclusão de deficientes auditivos é hoje uma realidade em muitas partes do mundo. Antigamente costumava-se associar a surdez com algum problema mental, pois pessoas que não tinham a capacidade de ouvir tinham muitas dificuldades para desenvolver diversas habilidades.

Essa crença foi acabando conforme a inclusão de deficientes auditivos começou a se tornar cada vez mais presente e provou que, com a educação feita de maneira correta, um deficiente auditivo pode levar uma vida normal.

Por isso é tão importante para os pais saber que a criança precisa conviver com outras crianças com a mesma deficiência, mas também com crianças diferentes dela. Isso é importante para o desenvolvimento social de todas e que, desde cedo, aprendem a lidar com as diferenças.

Um deficiente auditivo, mesmo que tenha problemas e alguns tipos de dificuldades, pode ter uma vida normal e sem muitos problemas de comunicação, com ou sem o aparelho auditivo. É claro que isso não é uma realidade para todos, até porque infelizmente nem todos têm a oportunidade de aprender a Libras e nem a leitura orofacial desde cedo, por exemplo.

Além disso, há muitos pais que não têm informações sobre como lidar com crianças deficientes auditivas e acabam prejudicando seu processo de desenvolvimento sem querer. É exatamente por isso que todos nós precisamos entender a importância da inclusão de deficientes auditivos.

Com todos adquirindo consciência, é muito mais fácil de fazer com que cada vez mais deficientes auditivos possam conviver normalmente em nossa sociedade.

Veja Também: Deficiência Auditiva em Bebês: Como Proceder? Apesar
Foto: daveynin