Após os 6 meses, com a introdução da alimentação sólida, seu bebê já pode dormir a noite toda, desde que não haja recomendação do pediatra para que ele seja alimentado durante a noite. Entretanto, muitos bebês ainda despertam no mínimo 2 vezes durante a madrugada e só voltam a dormir com a ajuda dos pais. Este é o seu caso? No post de hoje, quero falar aqui com as leitoras do Trocando Fraldas sobre os despertares noturnos, tão temido pelos pais que, sem ter noites de sono restauradoras, ficam exaustos e irritados. Basicamente estes despertares acontecem por 4 causas:

  • Fome: se o seu bebê não se alimentou corretamente durante o dia ou mesmo se ainda não aceitou bem a comida sólida e ainda tem o leite como principal alimentação.

O que fazer: nestes casos os pais podem reforçar a alimentação diurna para que o bebê não comece a compensar durante a noite (muitos passam a mamar mais de noite do que de dia).

  • Incômodos: se seu bebê está com algo atrapalhando o sono, como fralda suja, um pijama apertado, frio, calor ou barulhos externos constantes, voltar a dormir quando o ciclo de sono termina pode ser uma grande dificuldade. Geralmente esta é a causa dos despertares dos bebês que dormem bem, porém em algumas noites acordam frequentemente.

O que fazer: Sempre é importante observar se seu bebê está em um ambiente confortável e adequado para o sono, para evitar as constantes acordadas durante a madrugada.

  • Doença: se seu bebê está com dificuldade para respirar, febre ou algum outro problema de saúde, o sono noturno pode ficar bastante prejudicado e a alimentação também.

O que fazer: Nestes casos não há o que fazer. O melhor mesmo é observar e atender as necessidades do bebê.

  • Associações erradas de sono: esta é a principal causa dos despertares. Se o seu bebê dorme mamando, precisa ser embalado ou dorme na cama dos pais e para depois ser transportado para o berço já dormindo, os despertares noturnos acontecem com grande frequência. Saber dormir é algo que precisa ser aprendido pelo bebê e, é muito como que os pais façam a parte dos filhos neste caso.

O que fazer: Lembro primeiro que muitos bebês adormecem desta forma, mas conseguem emendar várias horas de sono e, se esse for o seu caso, não há problema nenhum em deixar seu bebê adormecer desta forma. Entretanto se os despertares forem constantes, seu bebê precisa de um ambiente de sono que dê segurança a ele e promova o desenvolvimento do auto conforto, ou seja, ele precisa aprender a dormir sozinho. Nestes casos, ele deve sim ser colocado no berço ainda acordado e as muletas de sono precisam ser eliminadas. São nestes casos que a ajuda de uma consultora de sono é tão importante, já que existem técnicas bastante gentis onde o choro é evitado e com carinho e paciência, os pais dão a oportunidade de o bebê desenvolver esta habilidade de dormir com qualidade.

Infelizmente, se não houver alguma intervenção dos pais, poucos bebês passam a dormir a noite toda naturalmente antes dos 18 meses, por isso é importante fazer algo para dar qualidade de sono para seu bebê. Além do descanso, dormir é importante para o crescimento e desenvolvimento físico e psicológico da criança, e muitas destas consequências da privação de sono só são percebidas na fase da alfabetização!

Michele Melão é consultora de sono infantil e baby planner certificada pela International Academy of Baby Planner Professionals (IABPP) e International Maternity Institute (IMI), Califórnia. (maternitycoach.com.br) – uma consultoria especializada em diversos serviços para gestantes e bebês.

Veja também: Cinco Razões para as Mães Dormirem Quando os Bebês Dormem

Foto: Thibaud Saintin