Dentre dos principais sintomas da gravidez, alguns são mais lembrados que outros como por exemplo aquele enjoo matinal, sensibilidade no olfato ou dores nos seios. Já os desarranjos intestinais, por sua vez, não são tão mencionados. Por causa deles, as mulheres sofrem de dor de barriga no primeiro trimestre e podem ficar em dúvida se, de fato, é o início da gravidez que dá diarreia.

A notícia consoladora é que tanto a prisão de ventre quanto a diarreia são comuns e chegam a acometer metade das grávidas. A princípio, ela não é grave, mas se esta persistir por mais de dois ou três dias, é importante investigar mais a fundo suas causas.





As primeiras semanas da gravidez são as mais importantes para a formação do feto e, por isso, qualquer doença deve ter prevenida ou cuidada o quanto antes. Diarreias, assim como os enjoos, desidratam o organismo e por vezes é necessária uma reposição de nutrientes com soro, já que configuram um risco de trabalho de parto prematuro e aborto espontâneo no começo da gravidez.

As causas da diarreia variam, e nem sempre estão atribuídas a motivos estritamente hormonais. Por isso, uma dieta saudável e evitando alimentos crus de procedência desconhecida é a primeira medida a ser tomada no início da gravidez.

Possíveis Causas de Diarreia na Gravidez

A variação de hormônios como a gonadotrofina coriônica humana (hCG) é a principal responsável pelo desconforto estomacal e pela hiperêmese gravídica. Muitas vezes, os sintomas de disfunções gastrointestinais têm efeitos duplos, produzindo não só as náuseas e vômitos, como a diarreia. A solução, em todos esses casos, é o repouso e hidratação, com atenção para que o corpo não deixe de absorver água, vitaminas e mineras tão importantes para a saúde da gestante e do bebê.

Além disso, como o corpo da grávida está mais sensível com as mudanças, algumas alterações na dieta durante o começo da gravidez também podem perturbar o sistema digestivo, tendo como resultado aqueles casos de diarreia que “vão e voltam”. As vitaminas receitadas no pré-natal, por exemplo, podem causar isso.

A diarreia causada por mudanças na alimentação é, geralmente, mais leve e se resolve sozinha, na medida em que o corpo “se acostuma” com a dieta. Porém, nos casos mais prolongados da doença, isso pode ser um indício de que a mulher desenvolveu intolerância a certos alimentos. A questão é que, na gravidez, algumas mulheres desenvolvem maior sensibilidade a substâncias antes toleradas – de acordo com algumas pesquisas feitas nos Estados Unidos.

Infecções

Nunca podemos esquecer que intoxicações gastrintestinais são comuns na vida inteira por causa de invasões de corpos estranhos em nossas células: e não estamos imunes a isso na gravidez. As infecções virais ou bacterianas também são responsáveis pela diarreia, e podem produzir os mesmos sintomas durante o início da gravidez.

As infecções por vírus normalmente apresentam sintomas como febre, calafrios, dores musculares e diarreia. As bactérias nocivas, tais como as do gênero listeria, são encontradas em alimentos manipulados de forma inadequada e também podem levar à diarreia. Elas causam doenças que se apresentam com sintomas como febre, náuseas e diarreia, por vezes acompanhadas de dor de cabeça intensa.

Exames e Tratamento

Se a grávida for mais de três vezes por dia ao banheiro durante mais de dois dias, já pode estar com um quadro de desidratação. O ideal, nessas condições, é consultar seu médico, que pode indicar o melhor tratamento e pedir exames. Se as fezes forem se tornando ralas gradualmente ou a diarreia vir com mucosidade ou sangue, a procura médica deve ser imediata.

IMPORTANTE: É importante nunca se automedicar. Os antibióticos apenas serão necessários nos casos de infecção bacteriana grave, e somente o médico pode preceituá-los. Muitos remédios não são indicados na gravidez por serem perigosos para o bebê.

A dieta indicada para os casos de diarreia inclui:

  • Beber muita água (2 litros por dia) e sucos
  • Alimentos líquidos e cozinhados no dia, como caldos e sopas
  • Alimentos que contenham potássio e sódio, como bananas e água de coco
  • Frutas sem casca, evitando as frutas secas
  • Purê de legumes cozidos: cenoura, batata, abóbora, chuchu, batata doce, abobrinha
  • Optar por carnes magras, como frango
  • De carboidratos: arroz branco, macarrão cozido ou mingau de maizena
  • Não comer frituras

Veja Também: Primeiros Dias de Gravidez – Quais São os Sintomas do Início?

Foto: waldryano