Quem nunca optou por fazer uma dieta para perder peso, não é verdade? A busca por um corpo perfeito faz com que muitas pessoas procurem a dieta ideal para ajudar a conquistar o peso tão sonhado.

Hoje em dia, há uma variabilidade grande de dietas. Entretanto, algumas delas são conhecidas não só pela possibilidade de perda de peso, mas também pela variedade de nutrientes dos alimentos que as compõem.

Como tudo o que a gente come influencia o nosso organismo, o mesmo não é diferente para a fertilidade! A quantidade de nutrientes que ingerimos diariamente irá aumentar ou diminuir as chances de concepção e, por isso, ficar atenta à dieta que seguimos é um passo importante para quem quer engravidar.

Uma dieta pobre em nutrientes, além de poder fazer você sair do peso, pode também dificultar as suas chances de ficar grávida, afinal, o corpo é uma orquestra perfeita que precisa estar em sintonia para que todas as suas funções possam ser bem realizadas.

E por falar em dietas que contém um grande número de nutrientes, a dieta mediterrânea é uma das mais conhecidas. Ela nasceu lá na Europa, na região próxima ao Mar Mediterrâneo (daí veio o seu nome!). Ela tem sido considerada um dos padrões alimentares mais saudáveis do mundo. E você sabe por quê?

prato com alimentos

Bom, pra começar, é preciso saber o que é a dieta mediterrânea. Ela é caracterizada pela sua abundância de alimentos frescos e naturais, minimamente processados. Além disso, há muita ingestão de azeite de oliva, sendo esta uma das principais fontes de gordura. Os produtos lácteos, ou seja, aqueles que possuem leite, devem ser consumidos com moderação, bem como a carne vermelha. As oleaginosas e sementes também fazem parte dessa dieta. E, claro, um bom vinho acompanhando tudo isso é super bem vindo, devendo ser ingerido em quantidades moderadas.

Por ser uma dieta que nasceu ali perto do mar, o consumo de peixes é alto, e o resultado da combinação de todos esses alimentos é o provimento dos nutrientes necessários para a manutenção do nosso corpo, preservando as funções básicas e, também, reprodutivas. Na dieta mediterrânea não há espaço para frituras e alimentos industrializados, sendo o predomínio de saladas e alimentos frescos.

Benefícios da dieta mediterrânea

Os benefícios dessa dieta são estudados mundo afora. Devido a todo os nutrientes que estão envolvidos no seu consumo, a expectativa de vida dos habitantes de países onde é adotada a dieta mediterrânea é alta e, por isso, vem sendo uma escolha de outras regiões, também.

Para o coração, a dieta mediterrânea apresenta resultados muito positivos. Devido a ingestão de alimentos mais frescos e redução do consumo de gorduras trans e ultraprocessados, os níveis de LDL – o colesterol bom – são altíssimos, ao passo que os níveis do HDL – o colesterol ruim – são bem baixos. Dessa forma, acabam-se evitando doenças cardiovasculares já que todos os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do coração estão sendo ingeridos.

Para a fertilidade, a dieta mediterrânea contribui devido a sua combinação de pouca proteína animal com bastante proteína vegetal, além da ingestão de fibras. Um estudo realizado em 2010 aponta que a dieta mediterrânea é associada com índices altos de concepção mesmo em mulheres em idade mais avançada.

Há, também, estudos que apontam que são mais altas as taxas de sucesso em mulheres que passam por tratamento de fertilidade e que seguem esta dieta. Um estudo realizado em 2018 apontou resultados positivos em mulheres que seguiram a dieta mediterrânea durante seis meses antes de passar por tratamento de fertilidade. Elas tiveram um significativo aumento de chance de ficarem grávidas quando comparadas com as mulheres que não seguiram tal dieta.

Principais nutrientes que compõem a dieta

  • Ômega-3: presente principalmente nos peixes, o ômega-3 tem um papel importante no ciclo menstrual, bem como no desenvolvimento dos óvulos.
  • Vitamina D: essa vitamina irá regular os níveis de progesterona e estrogênio, possibilitando um ciclo menstrual também regulado, o que possibilita o aumento de chances de concepção.
  • Selênio: esse antioxidante ajuda no controle do colesterol no corpo e atuando no desenvolvimento dos folículos.
  • Zinco: uma ingestão adequada de zinco auxiliará nos estágios iniciais do desenvolvimento do óvulo, melhorando a divisão celular e, assim, as chances de ser fertilizado.
  • Ácido fólico: diminui o risco de malformações do bebê, bem comoproblemas que podem ocorrer durante a gestação, como pré-eclâmpsia e parto prematuro.

Uma dieta que propicie uma grande variabilidade de nutrientes impactará positivamente no corpo e, consequentemente, na sua fertilidade. Por isso, realizar a ingestão de alimentos que são saudáveis e que são ricos em vitaminas e nutrientes é um passo importante para conseguir o tão sonhado positivo. Mesmo que a dieta mediterrânea não seja a sua escolha, o recomendável é que seja feita a escolha de alimentos que contribuam para a manutenção da sua saúde e, também, para o aumento das chances de concepção. Faça boas escolhas e boa sorte!