Algumas pessoas por questões pessoais ou ate mesmo por motivos religiosos, éticos e ambientais optam por ter uma vida alimentar diferenciada, retirando totalmente qualquer tipo de carne do seu cardápio. A dieta vegetariana não é considerada uma dieta comum emagrecedora ou com o intuito de melhoria da saúde e muito menos indicada por nutricionistas, mas sim com o conceito de não se alimentar com comidas de origem animal.

Mesmo não se tratando de um foco para perda de peso, pesquisas indicam que pessoas que optam pela dieta vegetariana tem baixa prevalência de sobrepeso, por terem em sua alimentação um número muito baixo de colesterol e de gordura saturada que contribuem e muito para o ganho de peso excessivo. Seu cardápio alimentar basicamente consiste em preparação de pratos com frutas, legumes, verduras, sementes em geral, nozes, cereais e raízes. Em relação aos derivados do leite, alguns optam por ingerir produtos lácteos e ovos, também denominados como ovo lacto vegetariano.  Já outros, denominados lacto vegetarianos não consomem ovos, mas consomem o leite e seus derivados como queijo e iogurtes.

A única desvantagem apontada para os adeptos da dieta vegetariana é que seguindo esse cardápio, muitos nutrientes importantíssimos e essenciais para o correto funcionamento do organismo são deixados de lado, como é o caso da vitamina B12, ferro, zinco e também o cálcio que é encontrado nos alimentos de origem animal.  Contudo, se seguida de forma correta e de forma balanceada, pode-se obter esses nutrientes em alimentos como verduras de folha escura, obviamente toda dieta deve ser seguida e acompanhada de um nutricionista. Uma curiosidade que poucas pessoas sabem é que vegetarianos costumam sofrer mais com gases do que os que ingerem carne. E sabe por quê? Por que a carne auxilia no metabolismo de algumas enzimas digestivas, ajudando a processar os gases criados pelo organismo.

Crianças Vegetarianas

Muitas crianças seguidas pelos ensinamentos e hábitos de seus familiares, acabam seguindo regras e dietas vegetarianas. Mas um fator que deve ser levado em consideração quando optado por essa escolha, é a falta de nutrientes que essa criança possa vir a ter e ser totalmente prejudicial a sua saúde e desenvolvimento. Pesquisas comprovaram que crianças vegetarianas apresentam notas mais altas e comportamento e concentração melhor durante as aulas, porém todo cuidado é pouco para que a cada refeição seja suprido todos os nutrientes necessários.

Crianças em sua plena fase de desenvolvimento e crescimento gastam muita energia e tem como principal suprimento a hora a refeição. Por isso é recomendado à ingestão de alimentos calóricos para que a queima dessa energia seja proporcional. E como na alimentação das crianças vegetarianas existe baixo teor de calorias, o indicado por especialistas na área da nutrição infantil é que seja incluso alimentos com maior teor calórico como o abacate e as nozes por exemplo. A ingestão das demais vitaminas essências para o desenvolvimento correto do organismo é primordial e não pode ser substituída. Caso não ingerida através de alimentos que possuem essas substâncias, o uso de suplementação ou complemento vitamínico é aconselhável.

A falta desses nutrientes podem gerar transtornos graves a saúde da criança e afetar diretamente em seu desenvolvimento, incluindo alterações do seu metabolismo e sistema nervoso, que se estenderá não so a fase da infância, mas também até a fase adulta. A alimentação das crianças é de total responsabilidade dos pais e qualquer adaptação ou escolha diferenciada no cardápio alimentar, deve-se seguir aconselhamento de um especialista da área, que indicará os melhores alimentos para substituição de carnes em geral por alimentos que supram as reais necessidades de nutrientes da criança e seu organismo.

Veja também: Reação Alérgica Alimentar

Fotos: U.S. Department of Agricu, Luiz Fernando Reis