Você provavelmente já deve ter ouvido algum caso de alguém que tem intolerância a glúten. Essa não é uma condição incomum nos dias de hoje, estamos falando, é claro, da doença celíaca, que atinge geralmente crianças entre 1 e 3 anos e é mais comum nas mulheres do que nos homens.

Causa da Doença

A causa da doença é a dificuldade do organismo de processar o glúten, o que pode gerar reações no corpo inteiro, em especial no intestino. A doença celíaca normalmente afeta pessoas que são geneticamente predispostas a ter esse tipo de intolerância, ou seja, não se pode pegar ou passar para alguém esse tipo de doença.

Ela é uma doença autoimune e não um tipo de alergia e esse é um detalhe importante, pois muitas pessoas acabam confundindo e tentando encontrar a cura através de outros tipos de tratamentos.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença é feito somente através de exames de sangue, já que existem diversos tipos de sintomas que podem indicar outras condições que não a doença celíaca na pessoa.

Essa condição se manifesta de forma muito mais comum em crianças de até um ano de idade, mas há casos em que só aparece na idade adulta, normalmente com um grau de intolerância menor do que o das crianças. Apesar de se manifestar majoritariamente em mulheres, os homens não estão livres da doença, nem mesmo na fase adulta.

O que é o Glúten?

Antes de falarmos da doença propriamente dita, é importante sabermos exatamente do que estamos falando. O glúten é uma proteína encontrada em diversos alimentos, principalmente em massas. Ele tem a função de deixar a massa mais elástica e mais resistente, além de também ajudar no crescimento de alimentos como bolos e pães.

Principais Alimentos Que Contém Glúten

O glúten está presente em diversos alimentos muito comuns para nós. Apesar disso, existem empresas que conseguem modificar e adaptar suas receitas para retirar essa proteína de seus produtos. Os principais alimentos que contém glúten são:

  • Pães, bolos, torradas e bolachas
  • Molhos como ketchup, maionese e shoyo
  • Lanches como cachorro-quente e hambúrguer
  • Pizza
  • Cerveja
  • Salgadinhos
  • Trigo
  • Queijos processados
  • Alimentos industrializados

A lista pode ser muito maior do que isso, contendo diversos detalhes sobre outros tipos de alimentos, mas é importante ter a noção do que uma pessoa com essa condição pode ou não comer em seu dia a dia. No Brasil, existe uma lei que obriga os fabricantes a indicarem em suas embalagens se o produto contém glúten ou não.

Sintomas da Doença Celíaca

Agora que já entendemos o que é essa proteína e onde ela é encontrada, também é importante entendermos como a doença celíaca se manifesta no organismo das pessoas. Ao ingerir alimentos com glúten, o corpo de quem tem essa doença, apresenta dificuldade de processá-los, causando uma série de desconfortos na pessoa.

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa, mas existem alguns que são mais comuns, como por exemplo:

  • Diarreia
  • Barriga estufada
  • Ânsia de vômito
  • Gases
  • Dor abdominal
  • Prisão de ventre
  • Alterações no humor (desânimo ou irritabilidade)
  • Perda ou ganho excessivo de peso
  • Nas mulheres, pode causar infertilidade ou alterações no ciclo menstrual
  • Queda de cabelo
não apresenta nenhum tipo de sintoma, mas as consequências de não conseguir processar o glúten ainda refletem no seu corpo. Nesses casos, o paciente acaba descobrindo por meio de exames que indicam essa condição.

Mesmo que os sintomas não se apresentem ou se apresentem de forma leve, é importante se cuidar para que a doença não traga consequências piores no futuro, como câncer de intestino ou osteoporose.

Tratamento da Doença Celíaca

Não existe cura para doença, somente um tratamento de controle feito através de medicamentos para controlar a doença celíaca. Isso significa que a única forma de não sofrer com a doença é eliminar os alimentos com glúten da sua dieta.

É claro que não existe apenas um grau de intolerância ao glúten, o que significa que algumas pessoas podem sim ingerir pequenas quantidades, enquanto outras precisam se livrar totalmente dos alimentos que possuem essa proteína.

É recomendável que uma pessoa que possua a doença celíaca procure uma nutricionista que possa auxiliar para a dieta mais adequada para cada caso. Pode parecer difícil, mas hoje em dia existem muitas pessoas que não possuem a doença celíaca e que também fazem esse tipo de dieta por considerarem uma vida mais saudável. Isso somado com o avanço da comunicação na internet fez com que diversas dietas e receitas sem glúten aparecessem na internet.

Hoje em dia, existem diversas opções sem glúten para praticamente todo tipo de alimento e, apesar de haver uma diferença nos preços, é uma forma das pessoas que possuem a doença celíaca de viverem normalmente, ingerindo normalmente alimentos que todos comem.

A farinha de arroz, por exemplo, substitui a farinha de trigo em praticamente todas as receitas em que seu uso é necessário. Já o cacau em pó pode substitui os achocolatados convencionais para se tomar com leite ou em outras receitas.

Pessoas celíacas também devem apostar em uma dieta rica em frutas, verduras e legumes, já que esses alimentos, além de livres de glúten, são saudáveis. Existem ainda algumas alternativas para quem não quer deixar de comer o que gosta, receitas como pizza sem glúten são um ótimo exemplo.

Além disso, há uma indústria que está atenta aos que não comem glúten, seja porque não querem ou porque não podem. Segundo estudos, um a cada 600 brasileiros sofre com a doença celíaca.

Sabendo disso, é importante entendermos como a doença se manifesta, quais os seus sintomas e como se livrar de complicações por causa dela. Não importa em qual idade a doença se manifeste, é muito importante sabermos que podemos contar com ajuda de profissionais como nutricionistas e de diversas receitas e alimentos que surgem como alternativas às receitas tradicionais.

Por isso, se você sente algum sintoma citado aqui com frequência, procure um médico e faça exames, é única forma de saber se você possui ou não a doença celíaca e precisa ou não alterar sua dieta.

Veja Também: Crianças com Ossos de Vidro – Diagnóstico e Tratamento

Foto: theimpulsivebuy