A gestação é um dos momentos mais especiais e delicados na vida de uma mulher. É neste período que o corpo e o sistema imunológico da mulher sofrem muitas alterações, por isso, é de extrema importância o cuidado redobrado nessa fase, para que não acarretem em doenças graves na gravidez.

As complicações na gestação podem acontecer em decorrência à algumas doenças graves na gravidez. Essas doenças podem ser pré-existentes ou adquiridas durante esse período.

As doenças graves na gravidez podem envolver a saúde da mãe, do bebê ou de ambos. Se uma complicação é comum ou rara, existem maneiras de gerenciar esses problemas para que a gestação transcorra da melhor maneira.

Doenças Pré-Existentes da Gravidez

Muitas são as doenças graves na gravidez e que podem já vir como bagagem antes mesmo de se descobrir a gestação. Quando se descobrem grávidas, os cuidados devem ser redobrados principalmente se apresentar riscos à saúde do bebê ou até mesmo a evolução da gestação.

Asma

A asma mal controlada é considerada uma das doenças grave na gravidez, e pode aumentar o risco de pré-eclâmpsia, baixo peso fetal, parto prematuro, e outras complicações. Se a mulher grávida parar de usar o medicamento para asma, mesmo a asma leve pode tornar-se grave.

Diabetes

Os níveis elevados de glicose no sangue durante a gravidez podem prejudicar o feto e agravar a doença a longo prazo. Os médicos aconselham controlar o diabetes no mínimo três a seis meses antes de tentar conceber.

Distúrbios alimentares

As alterações da imagem corporal durante a gravidez podem piorar os transtornos alimentares em mulheres que sofrem dessa condição. Os distúrbios alimentares se tornam doenças graves na gravidez e estão ligados a muitas complicações, incluindo baixo ganho de peso e parto prematuro.

Epilepsia e outros distúrbios convulsivos

As convulsões da epilepsia durante a gravidez podem prejudicar o feto e aumentar o risco de aborto ou morte fetal. Mas o uso de medicamentos para controlar convulsões pode causar defeitos congênitos. Para a maioria das mulheres grávidas com epilepsia, é mais seguro utilizar a medição de controle do que parar o remédio.

Hipertensão

A pressão arterial alta também faz parte das doenças graves na gravidez. Essa condição apresenta maior risco de pré-eclâmpsia e descolamento de placenta. A probabilidade de nascimento prematuro e baixo peso ao nascer também é maior.

HIV

O HIV pode ser passado da mãe para o bebê durante a gravidez ou parto e é uma das doenças graves na gravidez. No entanto, esse risco é inferior a 1% se uma mulher tomar certos medicamentos contra o HIV durante a gravidez. Mulheres que têm HIV e querem engravidar devem conversar com seus médicos antes de tentarem conceber. Um bom cuidado pré-natal ajudará a proteger o bebê e mantê-lo saudável

Sobrepeso e Obesidade

Estudos recentes mostraram que a mulher com sobrepeso antes de engravidar tem um risco maior de ter uma série de complicações na gravidez, incluindo préeclâmpsia e parto prematuro. As mulheres com sobrepeso e obesidade que perdem peso antes da gravidez provavelmente terão gravidez mais saudáveis.

Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

Algumas DSTs podem causar o parto precoce, bolsa rota antes do tempo e infecção no útero após o nascimento. Algumas DSTs também podem ser transmitidas da mãe para o bebê durante a gravidez ou parto. As DSTs podem se tornar doenças graves na gravidez e ser prejudiciais ao bebê porque causam: baixo peso ao nascer, infecções perigosas, dano cerebral, cegueira, surdez, problemas hepáticos ou morte.

Problemas na Tireoide

O hipertireoidismo não controlado pode ser perigoso para a mãe e causar problemas de saúde como insuficiência cardíaca e baixo ganho de peso no feto. O hipotireoidismo não controlado também ameaça à saúde da mãe e pode causar defeitos congênitos.

Miomas uterino

Os fibromas uterinos não são incomuns, mas poucos causam sintomas que requerem tratamento. Os fibromas uterinos raramente causam aborto espontâneo. Às vezes, fibromas podem causar parto prematuro. A cesariana pode ser necessária se um fibroma bloquear o canal de parto.

Doenças Graves Adquiridas na Gravidez

Algumas doenças podem ser adquiridas após a descoberta da gravidez, o que faz com que os acompanhamento médico, exames e tratamentos sejam ainda mais minuciosos, visando garantir a saúde da mãe e do bebê.

Zika Vírus

É um vírus que causa febre leve, erupção cutânea, dor nas articulações. Embora não haja provas conclusivas de que a Zika provoque microcefalia (defeito congênito que resulta em bebês nascidos com pequenas cabeças e danos cerebrais), estudos mostraram que o vírus pode atravessar da mãe infectada para o bebê através da placenta.

Rubéola

A rubéola é altamente contagiosa e se espalha através da tosse e espirro. Em pessoas saudáveis, provoca sintomas leves de febre, dor de cabeça, dores nas articulações e dor de garganta, mas em gestantes é considerada uma das doenças graves na gravidez.

A rubéola na gravidez pode causar aborto espontâneo, bebês natimortos ou defeitos congênitos, incluindo danos cardíacos e cerebrais, perda auditiva e catarata. Os bebês de mulheres gravidas infectadas durante as primeiras 20 semanas de gravidez desenvolvem síndrome de rubéola congênita, para o qual não há tratamento.

Estreptococo do Grupo B

É um tipo de bactéria frequentemente encontrada na vagina e no reto de mulheres saudáveis. Uma em cada quatro mulheres tem STB, geralmente não é prejudicial para a mulher, mas pode ser mortal para o bebê se passado durante o parto.

Citomegalovírus

Um vírus comum que pode causar doenças em lactentes cujas mães estão infectadas com CMV durante a gravidez. A infecção por CMV em lactentes pode levar à perda de audição, perda de visão e outras deficiências.

Listeriose

As mulheres grávidas são 10 vezes mais propensas do que outras a serem infectadas com Listeria, uma bactéria que causa sintomas leves de fadiga e dores, mas pode levar a aborto espontâneo, parto prematuro ou infecção grave em recém-nascidos. A infecção ocorre de alimentos contaminados, como leite não processado e queijo, carnes frias e peixes crus ou malpassados.

Vaginose bacteriana

Uma infecção vaginal que é causada por um crescimento excessivo de bactérias normalmente encontradas na vagina. Foi associada a bebês pré-termo e de baixo peso ao nascer.

Vírus da hepatite B

Uma infecção viral que pode ser transmitida ao bebê durante o nascimento. Os recém-nascidos infectados têm 90% de chance de desenvolver infecções ao longo da vida.

Isso pode levar a danos no fígado e câncer de fígado. Uma vacina pode impedir que os recém-nascidos obtenham VHB, mas 1 em cada 5 recém-nascidos de mães que são positivos para o VHB não recebem a vacina no hospital antes de sair.

Influenza (gripe)

A gripe é uma infecção viral comum, mas é mais provável causar uma doença grave em mulheres grávidas do que em mulheres que não estão grávidas. A mulher grávida com gripe também tem maiores chances de problemas graves para o feto, incluindo o parto prematuro.

Parvovírus B19

A maioria das mulheres grávidas que estão infectadas com este vírus não tem sérios problemas. Mas há uma pequena chance de o vírus infectar o feto. Isso aumenta o risco de aborto espontâneo durante as primeiras 20 semanas de gravidez.

A doença pode causar anemia grave em mulheres que apresentam transtornos dos glóbulos vermelhos como anemia falciforme ou problemas do sistema imunológico.

Toxoplasmose

Considerada mais uma das doenças graves na gravidez, esta infecção é causada por um parasita, que é encontrado em fezes de gatos, solo e carne crua ou pouco cozida. Se for passado para o bebê ainda no útero, a infecção pode causar perda de audição, cegueira ou deficiências intelectuais.

Infecção do trato urinário

Infecção bacteriana no trato urinário. Se não for tratada, pode se espalhar para os rins, o que pode causar parto prematuro.

Quando se está grávida, é importante não esperar para obter atendimento médico se algo estiver incomodando ou preocupando. Às vezes, mudanças físicas podem ser sinais de um problema.

Veja Também: Primeira Gravidez – Exames e Procedimentos Iniciais
Fotos: DanielReche