Com muito prazer recebo hoje um dos especialistas mais conceituados no ramo da fertilidade para um bate papo sobre o assunto: Dr Felipe Lazar, médico obstetra com especialização em reprodução humana.

fertilização in vitro 1

Gerar um filho é sonho de muitas mulheres, porém há casos em que a fertilidade pode se tornar um obstáculo e então qual a saída? Quais os procedimentos que pode-se utilizar para driblar problemas cada vez mais frequentes de infertilidade? Também atualmente muitas mulheres querem ser mamães mais tarde do que era em tempos nem tão distantes assim. Graças a evolução da medicina e alguns novos recursos que tem surgido, adiar a maternidade tem sido muito comum e a carreira tem ficado em primeiro plano. Contudo, a medicina avançada pode ajudar, mas em alguns casos, adiar a maternidade pode se tornar uma corrida contra o tempo para se tornar mãe.

A fertilização in vitro tem sido muito mais procurada justamente por esse público, mulheres que optaram por esperar mais tempo para serem mães e assim utilizam esse recurso tão magnifico para encurtar o caminho e conseguir uma gravidez em menos tempo do que seria em uma concepção natural. Mas também tem sido um ótimo recurso para casos mais delicados, casais que não teriam chances de ter uma gravidez “natural” podem e devem se beneficiar desses procedimentos. Para falar melhor sobre fertilização in vitro fui conversar com o Dr Felipe Lazar Junior que é especialista em reprodução humana e lida todos os dias com casos e mais caso de casais que buscam a gravidez por fertilização in vitro seja causa por infertilidade aparente, não aparente ou mesmo por opção. Na entrevista o Dr Felipe esclareceu diversas dúvidas e também explicou bem detalhadamente do que se trata a fertilização in vitro e os tratamentos que podem ser feitos pelos casais.

Na entrevista com Dr Felipe sobre fertilização in vitro pude constatar que a procura por fertilização por mulheres bem próximo aos 40 anos está muito grande. A fertilidade da mulher pode cair em média de 40% para 15% próximo aos 40 anos e ai a procura pela fertilização in vitro se torna uma saída bem atraente. Porém nem só as mamães mais maduras se beneficiam com a fertilização in vitro ou medicina reprodutiva avançada, também podem se tornar mamães mulheres que tem algum problema de infertilidade severo, anovulação, trompas obstruídas, laqueadura precoce sem reversão, casais com homem vasectomizado e enfim, esse método pode ajudar a realizar o sonho de muitos casais.

O Dr Felipe explicou as diferenças entre fertilização in vitro e inseminação artificial. Também falou de como é o procedimento e quem pode realizar o processo de fertilização. Por ser um assunto muito extenso e bem abrangente abri espaço e esse é o primeiro post da série sobre fertilização in vitro e seus procedimentos.

Mas o que é Fertilização in Vitro, Como é Feita e Qual o Novo Procedimento?

A fertilização artificial primeiramente era feita simplesmente com a coleta do esperma masculino e a coleta do óvulo da mulher e simplesmente eram colocados juntos para haver uma fecundação. Esse processo foi muito usado nos primórdios da fertilização in vitro nos anos 80, e inclusive o primeiro bebê de proveta foi feito dessa forma, junção do esperma masculino com óvulo da mãe fora do útero. Essa foi uma técnica inovadora e um passo gigantesco na medicina da fertilidade e uma revolução na época.

Com o tempo e os métodos foram avançando, a fiv (fertilização in vitro) foi evoluindo e ganhou uma nova versão e essa é inclusive a mais usada e mais moderna. A FIV evoluiu para ICSI Intra Citoplasmatic Sperm Inject (injeção citoplasmática) que é nada mais do que a inserção de um único esperma dentro do óvulo em laboratório através de uma agulha super fina. Esse procedimento foi uma revolução, pois, com isso ficou muito mais simples e também mais proveitoso todo o processo com taxa de até 80% ou superior de sucesso contra 60% na fiv. Tudo começa com indução ovular na mulher, medicamentos indutores são usados para que a mulher produza uma quantidade máxima de óvulos possíveis para que possam ser escolhidos os melhores e também feita a coleta do espermatozoide do homem no mesmo dia que a coleta dos óvulos.

Para acontecer a junção do esperma com o óvulo é preciso escolher os melhores, então após a coleta dos materiais, esses são analisados e selecionados os melhores tanto em morfologia, motilidade, tamanho e saúde. Os óvulos são colhidos e também selecionados no grau de maturidade ideal e ai uma vez juntos a evolução vai realmente dizer se será um zigoto apropriado para a transferência para o útero materno e assim possibilitar o nascimento de um bebê lindo e cheio de saúde. Podemos dizer que apenas os melhores dos melhores são transferidos e os excedentes podem ser guardados (congelados) para uma nova tentativa caso essa primeira não tenha sucesso. A quantidade de embriões a serem transferidos podem ser decididos pelo casal e pelo médico já que cada caso tem sua particularidade.

Acompanhem o próximo post que sairá na próxima segunda feira. Mais uma parte da entrevista do Dr Felipe Lazar sobre método de fertilização in vitro, ICSI e Inseminação artificial.

Dr Felipe Lazar atende em São Paulo na Clinica Lazar na Rua Vergueiro 3086 cj 12, 13 e 14 vila Mariana SP.
http://www.clinicalazar.com.br/

Veja também: Dicas da Nutróloga Ana Luiza Vilela – Gravidas Tentantes e Crianças

Foto: Acervo Pessoal