A embolia ou embolo como é conhecido pela medicina, é uma partícula que se move em nossos vasos sanguíneos, seja nas veias ou nas artérias. O êmbolo pode ser formado pelos mais variados elementos, como: bolhas de gás, grumos bacterianos, pequenos projéteis de arma de fogo, agulhas, entre outros.

O que é Embolia?

Mas, a maioria dos casos a embolia é composta de células de sangue coaguladas. Um coágulo de sangue é chamado de trombo e um coágulo sanguíneo em movimento é chamado de tromboembolo.

À medida que a embolia se move através dos vasos sanguíneos do corpo, é provável que chegue a uma passagem na qual ele não possa passar. Ele fica lá, bloqueando o sangue atrás dele.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

As células que normalmente recebem o seu suprimento de sangue através desta passagem estão famintas de oxigênio (isquemia) e morrem. Esta condição é chamada de embolia.

Tipos de Embolia

Existem vários tipos de embolia:

Embolia Pulmonar: um embolo, geralmente formado na perna (às vezes conhecido como trombose da veia profunda ou TVP ), se aloja em uma das artérias dos pulmões. Muitas embolias são dissolvidas pelo corpo e saem sozinhas; no entanto, a embolia pulmonar grave pode causar a morte.

Embolia Cerebral: se um coágulo de sangue viaja para o cérebro, isso causa um acidente vascular cerebral (AVC) ou um ataque isquêmico transitório (AIT) também conhecido como mini AVC.

Embolia Retiniana: pequenos coágulos que não bloqueiam uma grande artéria podem bloquear os pequenos vasos sanguíneos que alimentam a retina na parte de trás do olho. O resultado geralmente é cegueira súbita em um olho.

Embolia Séptica: ocorre quando as partículas criadas por infecção no corpo atingem a corrente sanguínea e bloqueiam os vasos sanguíneos.

Embolia Amniótica: nem todos os êmbolos são feitos de sangue coagulado. Na gravidez, o útero é preenchido com líquido amniótico, que protege o feto. O líquido amniótico pode embolizar e alcançar os pulmões da mãe, causando embolia amniótica pulmonar.

Embolia Gasosa: os mergulhadores que voltam rapidamente à superfície podem desenvolver uma embolia de ar. Essas bolhas de ar podem bloquear o fluxo sanguíneo arterial.

Embolia Gordurosa: se as partículas de gordura ou medula óssea forem introduzidas na circulação sanguínea, elas podem bloquear os vasos sanguíneos da maneira como um coágulo de sangue ou uma bolha de ar.

Causas da Embolia

A maioria das embolias acontece com pessoas que têm predisposição ou fatores de risco para formação de coágulos sanguíneos. Esses fatores podem ser o tabagismo ou doença cardíaca.

Além deles, existem outras causas para os diversos tipos de embolia, e incluem pressão arterial elevada, aterosclerose (acumulação de placa gordurosa nos vasos sanguíneos) e colesterol alto.

A principal causa da maioria das embolias pulmonares é a trombose venosa profunda (TVP). Esta é uma condição em que as veias das pernas desenvolvem coágulos.

Os agentes naturais no sangue geralmente dissolvem pequenos coágulos sem causar nenhum efeito de bloqueio. Alguns coágulos são muito grandes para se dissolver e são grandes o suficiente para bloquear grandes vasos sanguíneos dos pulmões ou do cérebro.

Condições onde o fluxo sanguíneo fica lento nas pernas, podem promover a coagulação. Algumas pessoas podem desenvolver uma trombose venosa ou embolia pulmonar depois de ficarem sentadas em voos longos ou após a imobilização da perna em um molde, ou depois do repouso prolongado na cama sem mover as pernas.

Outras causas associadas à TVP ou à embolia pulmonar incluem câncer, cirurgia prévia, perna quebrada ou quadril e condições genéticas que afetam as células do sangue, onde a chance de formação de coágulos sanguíneos é bem maior.

Sintomas da Embolia

Os sintomas da embolia dependem do local de onde ela foi desenvolvida e todos eles são devidos à súbita interrupção da irrigação sanguínea. Alguns desses sintomas incluem:

  • Falta de ar, respiração rápida ou sibilância
  • Escarro sangrento
  • Tosse
  • Vertigem, Tonturas
  • Perda de consciência
  • Dor no peito
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Dor nas costas e dor lombar
  • Pernas cansadas, pesadas ou a pele quente nas pernas, veias visíveis, inchaço nas pernas, e dor ou cansaço nos pés.

Complicações de uma Embolia

As complicações de uma embolia variam de acordo com o tipo de êmbolo e podem ser:
O bloqueio sofrido no vaso pode não ser total e desse modo se estabelecem simples insuficiências circulatórias locais. Uma vez que o êmbolo é dissolvido pelo vaso, sobre ele pode se desenvolver um trombo secundário, que muitas vezes mascara o primeiro.

Se a obstrução do vaso é total e a circulação sanguínea insuficiente, ocorrem infartos. Se os êmbolos contem pus, aparecem os abscessos metastáticos.

Se os êmbolos são constituídos de bactérias patogênicas vivas, surgem os focos de septicemia. Se os êmbolos são de células cancerosas, surgem as metástases das neoplasias.

Diagnóstico da Embolia

Há várias formas de diagnosticar a embolia. Primeiro, são verificados os sintomas descritos pela pessoa que apresenta a condição e, quando adequado, são também analisados os fatores de risco e a probabilidade de ocorrência de trombose.

Para Embolia Pulmonar por vezes, é necessário um exame de raio x (chamado flebografia). É injetado contraste em uma veia do pé e o refluxo pode ser seguido por imagens de raio x. Tenta-se criar uma imagem da circulação do sangue no pulmão.

Além dessa radiografia de tórax, uma varredura de perfusão de ventilação (V / Q) pode ser realizada para ver se alguma coisa está bloqueando o fluxo sanguíneo através dos pulmões. Outros testes incluem tomografia computadorizada ou angiografia pulmonar.

Se houver razão para suspeitar de trombose, o primeiro passo é, em geral, prescrever uma ecografia da rede vascular (Doppler). Este exame dá uma imagem da corrente sanguínea. Atualmente, há instrumentos modernos e operadores experientes capazes de fazer um relatório definitivo.

Para a trombose venosa profunda, os estudos Doppler das pernas, venogramas ou pletismografia de impedância (IPG) das veias podem ser feitos para detectar um coágulo sanguíneo.

É frequente haver aumento de formação de coágulos no sangue, que pode ser medido com base no valor Dímero D (Teste de triagem para trombose venosa profunda; avaliação de infarto agudo do miocárdio, angina instável, coagulação intravascular disseminada).

Nos doentes com trombose/embolismo, os valores Dímero D costumam ser significativamente elevados. No entanto, um valor Dímero D elevado não é prova conclusiva de trombose.

Tratamento e Prevenção

O tratamento para tromboembolismo (embolia de coágulos sanguíneos) envolve medicamentos anticoagulantes ou trombolíticos. Anticoagulantes, como heparina * ou varfarina, são os principais medicamentos administrados para embolia pulmonar.

Os anticoagulantes previnem uma maior coagulação do sangue. Os trombolíticos, como a alteplase e a estreptoquinase, ajudam o organismo a dissolver o coágulo original.

A forma mais eficaz de prevenir a embolia pulmonar é evitar que a trombose venosa forme ou comece a se mover nos vasos sanguíneos. Se você tiver TVP, pode ser prescrito um anticoagulante.

Anticoagulantes também podem ser administrados a pessoas com embolia para prevenir a condição. Eles também podem proteger contra acidentes vasculares cerebrais.

Os métodos não medicamentais para ajudar a prevenir a trombose e embolia incluem o uso de dispositivos de compressão e meias de compressão (para garantir que o sangue não se acumule nas pernas) e frequentemente esticando, massageando e movendo os músculos da perna, se você estiver inativo há muito tempo.

Você também pode reduzir seus fatores de risco para obter coágulos sanguíneos, como por exemplo:

  • Evitar o uso de cigarros
  • Manter uma dieta equilibrada
  • Manter peso compatível com estatura
  • Fazer exercício físico diariamente
  • Controlar a pressão arterial

Veja Também: Trombofilia – Na Gravidez ou Fora Dela Tem que ser Tratada
Fotos: Bruceblaus