Muitas vezes nós acreditamos que problemas com os dentes se resolvem facilmente em uma ida ao dentista uma vez a cada 6 meses para fazer limpezas e, talvez, tirar uma ou outra cárie. Porém, ainda que isso seja o recomendado, outros tipos de doenças e problemas podem surgir e exigir tratamentos muito mais intensos e complexos, como é o caso da endodontia. Mas o que é esse processo cirúrgico? Quando ele é realmente necessário? Vamos responder essas e outras questões no texto de hoje. Confira!

O que é a Endodontia?

Podemos definir endodontia como uma área da odontologia que trata da polpa dos dentes, assim como seus nervos e vasos sanguíneos. Porém, esse é também o nome dado à cirurgia que consiste basicamente na retirada do nervo interior da câmara pulpar e dos canais radiculares, o famoso tratamento endodôntico. Se você não está acostumada com esses termos, não tem problema. Vamos explicar passo a passo como esse tipo de procedimento é realizado, indicando também quais as áreas dos dentes que são afetadas.

Como a Endodontia é feita?

Podemos separar a endodontia em 3 etapas simples. Cada uma delas representa uma fase do tratamento e é essencial para que ele seja feito da maneira correta. Essas três etapas existentes são:

  • Abertura Coronária
  • Preparação dos Canais Radiculares
  • Selamento dos Canais Radiculares

Vamos falar com mais profundidade sobre cada um desses pontos, explicando melhor os termos mais técnicos e mostrando para você como esse tipo de tratamento é realizado a cada passo.

Abertura Coronária

A chamada coroa do dente é a parte superior, que abrange diversas outras partes menores, como a dentina e o esmalte, chegando até perto da polpa, ou canal radicular. Portanto, a fase de abertura coronária serve exatamente para que a dentista possa chegar até essa parte.

Preparação dos Canais Radiculares

Como já explicamos, os canais radiculares nada mais são do que a polpa dos dentes, tecido que se estende até a raiz e conta com diversos nervos e vasos sanguíneos. A preparação dos canais radiculares serve para que a dentista possa retirar o nervo em questão. Antes disso, uma dentista costuma retirar conteúdos como detritos e microrganismos para que o procedimento seja feito de forma mais limpa.

Selamento dos Canais Radiculares

Após a retirada do nervo, uma dentista vai “fechar” o dente mais uma vez, para evitar que haja qualquer tipo de infecção ou problema nele. Para isso, ela normalmente utilizará um material especial, que pode variar de acordo com suas preferências.

Quando ela é necessária?

A endodontia é um processo necessário quando o nervo pulpar é afetado de alguma maneira. Quando isso ocorre, o mais comum é que os dentes sejam extremamente sensíveis ao calor, ao frio ou mesmo ao toque na mastigação. Dependendo do caso, isso pode ser bastante prejudicial, fazendo com que a pessoa tenha problemas para comer e a impedindo de viver plenamente. Por isso, o mais recomendado é que, assim que você sentir os primeiros sintomas de sensibilidade nos dentes, procurar um dentista para verificar e fazer um tratamento mais rápido possível, evitando assim situações extremas como a que acabamos de mencionar.

A Endodontia é Dolorosa?

Essa é uma das principais dúvidas que surgem quando falamos da endodontia. O tratamento em si não costuma ser doloroso, uma vez que ele é feito com anestesia aplicada ao local do procedimento. Ainda assim, o paciente pode sentir um desconforto no dente por alguns dias após a endodontia ter sido realizada. Se esse desconforto for muito grande, uma dentista receitará medicamentos que ajudam a alivia-lo.

Podemos concluir então que, a maior dor é que se sente quando não se trata do problema no nervo, já que isso pode afetar uma pessoa de diversas maneiras. Compara com essa, as pequenas dores que podem ser sentidas por conta do tratamento são leves.

moça no dentista

Resultados do Tratamento

A endodontia costuma trabalhar com casos e diversos níveis, desde os que ainda estão no início do problema até os mais complicados. Ainda assim, a taxa de sucesso desse tipo de tratamento costuma ser bastante grande, cerca de 95% na maioria dos casos.

Porém, quando falamos dos casos mais graves, essa taxa pode diminuir consideravelmente, ainda mais se levarmos em conta variáveis como se os dentes já passaram por outro tipo de tratamento parecido, se há infecções crônicas ou mesmo se os dentes do paciente forem muito curvos ou calcificados.

Existem tratamentos alternativos?

Quando os problemas que você possui ainda não atingiram a polpa do dente, é possível resolver através de outros tipos de tratamento, como a restauração, por exemplo. Todavia, quando o problema atinge a polpa dentária, não existe nenhuma outra alternativa a não ser a endodontia. É apenas dessa forma que você pode recuperar o dente e voltar a ter uma boa saúde bucal.

Como você pôde perceber, problemas com os dentes podem ser muito mais sérios e perigosos do que simples cáries. Cuidar da saúde dentária é importante não só porque ela pode afetar a sua saúde como um todo, mas também porque os próprios dentes são uma parte importantes do nosso corpo e que merecem essa atenção especial. Nem sempre é necessário chegar ao ponto de se realizar um procedimento cirúrgico de endodontia, mas para isso, entender como cuidar de seus dentes é essencial. Como dissemos, tomar esse tipo de atitude é também pensar em uma vida melhor para si mesmo.