A endometriose é uma condição muito conhecida entre as mulheres devido as dores intensas que ela causa, porém pouco se sabe dos seus outros sintomas, de como ocorre e porque causa dores tão fortes, assim como os tratamentos mais adequados.

O que é Endometriose?

Antes de explicarmos o que é endometriose, vamos falar um pouco do sistema reprodutor feminino. Durante o ciclo menstrual, o corpo feminino vai se preparando a cada fase para que seja cumprido o ciclo, e durante essas alterações o endométrio (tecido que se desenvolve na parte interna do útero) vai se fortalecendo para abrigar um embrião.

Porém, quando não ocorre a fecundação, o óvulo é eliminado juntamente desse endométrio através da menstruação. Mas durante este processo, pode-se ocorrer um crescimento considerado anormal do endométrio e que se expande e afeta até mesmo fora do útero.

O crescimento do endométrio atingindo locais como bexiga, reto, ovários e até mesmo o intestino, pode ser causadora de fortes dores abdominais, além de sangramentos intensos e em casos mais graves, a infertilidade.

Causas da Endometriose

A endometriose é apontada como uma condição hereditária, e mulheres de diversas gerações da família podem sofrer com a questão. Mesmo sendo uma condição descoberta ao atingir em torno dos 25 aos 35 anos de idade, estudos afirmam que a endometriose pode ter início logo após a menarca (primeira menstruação).

Porém, existem outras causas apontadas para a existência da endometriose, como deficiência do sistema imunológico. Nesse caso, o sistema imunológico não é capaz de reconhecer o crescimento do endométrio em locais indevidos, o que permite seu desenvolvimento rápido.

Outra causa apontada por médicos é que após alguns procedimentos cirúrgicos se inicie quadros de endometriose, como até mesmo a cesariana. Isso pode ocorrer quando algumas células endometriais entram em contato com o local de incisão cirúrgica, se alojando e desenvolvendo em locais indevidos.

Mulheres com menstruaçao retrograda também apresentaram ocorrências de endometriose. Como no sangramento menstrual existem células do endométrio, um certo “refluxo” na cavidade pélvica pode fazer com que essas células perdidas se instalem em locais indevidos como as paredes pélvicas, do lado de fora do útero.

Sintomas da Endometriose

O principal sintoma da endometriose e tão bem conhecido entre as mulheres é a dor intensa abdominal, sempre associada as cólicas menstruais, mas muito mais intensas durante o período menstrual.

  • Dismenorreia (dores durante a menstruação);
  • Fortes dores durante a penetração na relação sexual;
  • Diarreia;
  • Cólicas intensas até duas semanas antes da menstruação;
  • Fortes dores ao fazer xixi e evacuar.

Fluxo muito forte do sangue menstrual, cansaço excessivo e fadiga durante o período menstrual e dificuldade para engravidar são outros sintomas da endometriose.

A intensidade dos sintomas não está relacionada a gravidade do problema. Algumas mulheres que possuem quadros intensos de endometriose simplesmente não sentem sintoma algum. Já outras, com início da endometriose, sentem dores fortíssimas.

A variação dos sintomas também é um fato, não é todos os meses que as dores podem ocorrer e com isso pode complicar ainda mais para descobrir do que se trata e fechar um diagnóstico. Os sintomas podem ser facilmente confundidos com outras doenças, por isso é essencial que ao suspeitar, procure seu ginecologista.

Diagnóstico da Endometriose

O diagnóstico da endometriose não pode ser fechado somente através dos sintomas, pois como já relatamos acima, são sintomas que são facilmente confundidos com outros problemas de saúde. Mas os sintomas podem levar a suspeita do ginecologista, que solicitará os exames adequados para investigação da causa.

Os exames indicados são:

  • Ultrassom – Através das imagens do ultrassom não é possível confirmar a existência da endometriose, mas é possível analisar se existe a presença de cistos específicos que indicam a endometriose;
  • Exame de toque – Através do exame de toque tanto vaginal como retal, é possível detectar anormalidades da área;
  • Ressonância Magnética – Através do exame de ressonância é possível confirmar a existência da endometriose, desde os cistos até a endometriose profunda. No exame é possível fazer o mapeamento completo da pelve e verificar a existência de lesões.

Em casos extremamente raros e onde os exames não são suficientes para confirmar a endometriose é indicado a laparoscopia para diagnóstico. Na verdade, o procedimento de laparoscopia é recomendado para solucionar o problema, já que através de uma pequena abertura no abdômen é possível procurar a presença de cistos da endometriose e já fazer a retirada imediata.

Tratamento da Endometriose

Como já sabemos, a endometriose é um problema que causa dores intensas na mulher, mas como o quadro pode variar de mulher para mulher, assim como os sintomas, o tratamento também pode ser diferente de uma para outra.

Todo o quadro deve ser analisado, juntamente dos exames solicitados pelo ginecologista para encontrar o melhor tratamento e solucionar de vez a situação ou ao menos controlar as dores intensas até encontrar a melhor solução ou tratamento. A endometriose não tem cura, mas tem tratamentos aptos ao controle.

Normalmente são receitados medicamentos para controle da dor e também para reduzir o progresso da doença. Entre os medicamentos, além dos analgésicos e anti-inflamatórios, pode ser receitado o uso de anticoncepcionais de uso continuo para interromper o ciclo menstrual, ocorrendo um efeito parecido ao de uma gestação, e a endometriose sendo controlada.

Esse tratamento costuma dar bons resultados no controle das dores, mas causar efeitos colaterais, como ganho de peso, náuseas e descontroles hormonais. Vale alertar que também não trata das aderências já existentes, só irá controlar os incômodos causados pela doença.

Outro tipo de tratamento da endometriose é o uso de medicamentos à base do hormônio GnRH, que atuam no impedindo da produção de estrogênio pelos ovários. Normalmente esse tratamento dura em média de 6 meses a 1 ano.

Por ser um tratamento muito intenso, pode provocar efeitos colaterais fortes como: perca precoce no cálcio dos ossos e sintomas da menopausa precoce, como calor excessivo, secura vaginal e alterações no humor.

Caso os medicamentos não façam o efeito esperado ou o quadro de endometriose esteja avançado, o tratamento cirúrgico pode ser indicado. A cirurgia de laparoscopia é indicada para tratar as áreas lesionadas, retirando todos os focos de endometriose e cistos endometriais, inclusive fazer a retirada de resíduos em alguns órgãos quando existentes, como bexiga e intestino.

Em casos extremos e onde nenhum dos outros tratamentos surtiu efeito, a cirurgia de histerectomia (retirada do útero, ovários e trompas) pode ser indicada. Sempre é considerado antes da decisão se a mulher já possui filhos ou não.

Tipos de Endometriose

Quando falamos de endometriose, imaginamos ser uma doença única que pode ser classificada em leve e grave. Mas na verdade, a endometriose possui alguns tipos e cada uma delas merece uma atenção especial ou diferenciada.

Endometriose Superficial – Tipo de endometriose mais comum, a endometriose superficial é aquela que a aderência acomete áreas pélvicas e na cavidade abdominal.

Endometriose nos Ovários – Também conhecida como endometrioma, é aquela que a aderência acomete os ovários, ocasionando fluxo menstrual intenso, dores intensas pélvicas e dores durante a relação sexual.

Endometriose na Parede Abdominal – Esse tipo de endometriose acomete as áreas internas do abdômen, como a área do umbigo. Costumam provocar fortes dores abdominais durante operíodo menstrual, por isso é mais fácil de detecta-la durante esse período através de exames de imagem.

Endometriose Profunda – Considerada endometriose profunda, quando as aderências acometem áreas com mais de 5 milímetros, sendo possível até mesmo dividir a área da vagina e do reto. Nesse caso, somente com intervenção cirúrgica é possível solucionar a situação.

Endometriose e Fertilidade

Quando o assunto é endometriose x fertilidade é um pouco preocupante, já que a endometriose é considerada atualmente a principal causa de infertilidade feminina. Porém, graças à grande evolução da medicina, os tratamentos propostos têm oferecido grandes efeitos neste quesito.

Na verdade, a endometriose só causa infertilidade irreversível caso a doença seja descoberta muito tarde e as trompas já tenham sido acometidas, além de claro ter causado alterações imunológicas e hormonais que dificultariam de uma gestação ocorrer.

Caso tenha descoberto a doença ainda no início, faça os tratamentos indicados pelo seu ginecologista e converse sobre seu desejo de engravidar. Alguns procedimentos como a laparoscopia podem ajudar as mulheres que desejam engravidar naturalmente, já que é feito uma “limpeza” da aderência e deixando o corpo da mulher adepto a engravidar.

Porém, é dado um prazo de em média 12 meses para que essa gravidez aconteça naturalmente e a aderência volte a ser um obstáculo. Nessas situações é recomendado a fertilização in vitro, para que o desejo de ser mãe seja realizado.

Em caso de suspeita de endometriose devido a sintomas que tem notado durante seu ciclo menstrual, converse com seu ginecologista. Não espere confirmação quando não tiver mais aguentando com as dores intensas. Quanto mais cedo a descoberta, mais sucesso terá o tratamento.