Episiotomia – Necessidade ou Desrespeito a Mulher?

Quando nós mulheres descobrimos estar grávidas, inevitavelmente um dos primeiros pensamentos é sobre o dia do parto. Como será? Vou sentir muitas dores? Tudo ocorrerá bem? E infelizmente é um passo que não tem como planejar, pois tudo pode mudar dependendo da situação inclusive durante uma cesária eletiva. No caso do parto normal uma das grandes preocupações é em relação à episiotomia.medico

O que é a Episiotomia

A episiotomia é um procedimento cirúrgico bem temido pelas mulheres e não informado em suas consultas de pré-natal, onde acabam tendo consciência dele somente após passar por ele. É um corte com cerca de cinco a seis centímetros feitos na região do períneo, entre a vagina e o ânus onde é totalmente formado por músculos.  O procedimento é utilizado para facilitar a passagem do bebê durante o parto normal, porém será que sempre é feito com necessidade?

Quando Fazer a episiotomia

Antigamente o procedimento era realizado em praticamente todos os partos normais, visando ajudar a mulher durante a expulsão e diminuindo os riscos ao bebê, porém após estudos atuais o método foi visado mais como prejudicial do que benéfico à mulher, sendo indicado somente em casos específicos e realmente necessários.

Porém muitos médicos ainda utilizam do procedimento gerando uma discussão incansável sobre necessidade X desrespeito a mulher. Fatos já foram comprovados, que mesma que a mulher passe por uma laceração do períneo durante o parto, a cicatrização é mais rápida do que de uma episiotomia e são mínimas as chances de ter que levar pontos no local.

Que momento é realizado a Episiotomia

A realização da episiotomia é feita durante a expulsão, onde já é possível visualizar a cabeça do bebê e após o parto, realizada a sutura para fechamento. A cicatrização pode levar até 6 semanas e a mulher deve evitar esforços físicos e principalmente relações sexuais. Caso não cicatrizado adequadamente, o local pode ocorrer fibrose, dor prolongada e em casos mais graves, perca de sensibilidade do local e frouxidão do períneo, causando inclusive problemas intestinais.

Indicações para Episiotomia

Claro que toda a regra tem sua exceção e não é diferente para a episiotomia. Existem as situações que exigem uma intervenção medica e ajuda para que o bebê nasça mais rápido focando na saúde de mãe e filho.  As indicações mais comuns são para mulheres que possuem alta rigidez no períneo que dificultam a passagem do bebê, para partos pélvicos onde o bebê não se encontra de cabeça para baixo e sim sentado e em caso de bebês muito grandes e com excesso de peso.

Durante partos muito difíceis onde é necessário o fórceps ou vácuo extrator, a episiotomia também é indicada para evitar uma laceração mais grave na mulher. Por isso cada caso deve ser avaliado em suas circunstâncias e reais necessidades para evitar transtornos ainda maiores.

Como Evitar o Procedimento

Alguns estudos sobre o assunto apontaram uma forma de evitar a episiotomia e o parto normal ocorrer da forma esperada, sem lacerações e pontos que é a massagem no períneo. A massagem do períneo visa relaxar os músculos da região melhorando a elasticidade do local e evitando rompimento local.

O procedimento deve ser iniciado a partir da 34º semana de gravidez e deve ser feita uma ou duas vezes durante a semana. A massagem visa além de fortalecer os músculos do períneo, a reduzir a dor intensa do parto normal.

A massagem deve ser feita na parte interna da vagina e com mãos devidamente lavadas, limpas e unhas cortadas. Com a ajuda de vaselina liquida ou pastosa ou até mesmo óleo vegetal puro com os dedos deve-se lubrificar a região da vagina. Os dois polegares devem ser introduzidos em torno de 3 cm virados para baixo e devem ser pressionados para baixo e para os lados no sentido do ânus até sentir a região formigar, quando atingir manter pressionado por 2 minutos.

Conversar com seu obstetra durante as consultas de pré-natal para tirar todas suas dúvidas também é uma forma de entender sobre todos os procedimentos realizados durante o parto. Caso não deseje a realização da episiotomia você pode solicitar ao seu medico ou até mesmo informar no seu cartão de gestante que será entregue a maternidade no momento de entrada do hospital.

Veja também: Parto Natural – Nascendo sem Intervenções

Foto: « м Ħ ж »

_

Caixa de Informações Chave:

  1. A episiotomia é um procedimento cirúrgico bem temido pelas mulheres e não informado em suas consultas de pré-natal, onde acabam tendo consciência dele somente após passar por ele.
  2. Antigamente o procedimento era realizado em praticamente todos os partos normais, visando ajudar a mulher durante a expulsão e diminuindo os riscos ao bebê.
  3. cicatrização pode levar até 6 semanas e a mulher deve evitar esforços físicos e principalmente relações sexuais.
  4. As indicações mais comuns são para mulheres que possuem alta rigidez no períneo que dificultam a passagem do bebê, para partos pélvicos onde o bebê não se encontra de cabeça para baixo.
  5. massagem deve ser feita na parte interna da vagina e com mãos devidamente lavadas, limpas e unhas cortadas.