As doenças mentais são uma realidade em nossas vidas. Não importa qual seja a causa delas, é algo que muitos de nós temos que conviver juntos, com amigos, parentes ou conhecidos que muitas vezes precisam de algum tipo de ajuda. Uma das doenças que atinge de forma muito intensa não só a pessoa, mas quem convive em volta dela, é a esquizofrenia, que muitas vezes é incompreendida e alvo de comentários maldosos.

Para entender melhor como lidar com uma pessoa que sofre da doença, quais são suas causas e como são feitos os tratamentos, primeiramente precisamos entender o que é a esquizofrenia.

O que é a Esquizofrenia?

A esquizofrenia é um dos transtornos psiquiátricos mais complexos de que se tem conhecimento. A doença normalmente se manifesta na adolescência ou no início da vida adulta.

Trata-se de uma alteração no cérebro, onde a pessoa tem dificuldades para julgar o que é real, além de ter surtos psicóticos, o que pode alterar a capacidade da pessoa atingida de sentir, pensar e se comportar normalmente. Nos casos mais graves, a pessoa cria uma própria realidade dentro de sua mente, onde não consegue distinguir o que é real ou não.

mulher assombrada

Sintomas da Esquizofrenia

A esquizofrenia é uma doença que apresenta sintomas graduais, ou seja, que apresenta sintomas mais leves no início da doença e que podem ir piorando com o tempo. Por isso, podemos listar as fases dos sintomas em:

  • Sintomas Iniciais
  • Sintomas Positivos
  • Sintomas Negativos

Sintomas Iniciais

Como sintomas iniciais, podemos listar:

  • Hiperatividade
  • Ansiedade
  • Humor Depressivo
  • Dificuldades de Aprendizado

Como esses sintomas iniciais são muito genéricos, eles são facilmente confundidos com outras doenças como transtorno de ansiedade ou até a própria depressão. É preciso consultar um especialista para se ter certeza do que se trata e então, começar o tratamento o mais rápido possível.

Sintomas Positivos

A fase dos sintomas positivos é caracterizada pelo primeiro surto psicótico da pessoa, ou seja, a primeira vez em que a pessoa apresenta uma desorganização psíquica grave, onde não consegue distinguir o que é real e o que não é. Nesse surto psicótico, ou delírio, a pessoa apresenta os seguintes sintomas:

  • Mania de Perseguição
  • Criação de um Mundo Fantasioso
  • Ideias de Cunho Religioso
  • Ver e ouvir coisas inexistentes

É importante entender que a criação dessas fantasias não é proposital e a pessoa não tem controle sobre as coisas que vê ou ouve. É um estado mais grave da doença onde a atenção precisa ser redobrada, já que, em alguns casos, a pessoa pode até ficar perigosa.

Sintomas Negativos

Os sintomas negativos aparecem em uma fase onde a doença começa a se tornar crônica, causando até mesmo deficiência em algumas funções do cérebro, como a afetividade, por exemplo. Os principais sintomas são:

  • Falta de vontade de Realizar Tarefas do Cotidiano
  • Dificuldade em demonstrar Afeto
  • Falta de Lógica na Fala

Apesar da doença como um todo afetar a vida social da pessoa, é nessa fase que as consequências mais agudas acontecem, principalmente pela perda de comunicação que a pessoa doente tem com as outras.

Como é Feito o Diagnóstico da Esquizofrenia?

O diagnóstico da doença é feito através de uma consulta com um psiquiatra. Não existem exames que acusem a doença, por isso o processo até se descobrir o que está acontecendo é delicado, se baseando em entrevistas com a pessoa e com sua família, para descartar a possibilidade de outros tipos de doenças mentais e, consequentemente, de outros tipos de tratamentos.

Apesar de não existirem exames que diagnostiquem a esquizofrenia, ressonâncias magnéticas e tomografias podem ajudar a descartar a possibilidade de outras doenças mentais. Uma vez que o paciente é diagnosticado com esquizofrenia, o psiquiatra precisa avaliar a gravidade do caso para ter certeza sobre qual é o tipo de tratamento adequado.

Causas da Esquizofrenia

Não se sabe exatamente como a esquizofrenia se desenvolve no cérebro de uma pessoa, apesar de já se saber que se trata de uma doença em que alterações nos neurotransmissores e vias neuronais cerebrais acontecem. Sabendo disso, podemos lista alguns fatores que ajudam a desencadear a doença, como:

  • Histórico familiar
  • Uso excessivo de maconha
  • Ter pai com idade avançada
  • Falta de oxigênio no parto

É muito importante lembrar que esses são apenas fatores que servem como um gatilho para a esquizofrenia e não são coisas que necessariamente vão causar a doença, já que existem diversos outros fatores internos e externos para determinar se a pessoa possui ou não a doença.

Quais são os tipos de Esquizofrenia?

A esquizofrenia não se manifesta em apenas um tipo nas pessoas. Podemos listar alguns como:

  • Esquizofrenia Simples
  • Esquizofrenia Paranoide
  • Esquizofrenia Desorganizada
  • Esquizofrenia Catatônica

Cada um desses tipos apresenta um nível de desordem e podem exigir diferentes tratamentos.

Esquizofrenia Simples

Nesse tipo de esquizofrenia, o paciente normalmente fica isolado dos outros vivendo em seu próprio mundo. A pessoa que sofre desse tipo normalmente não possui muito pouco ou não possui afeto com os outros, dependendo do estado em que se encontra.

Esquizofrenia Paranoide

Na esquizofrenia paranoide o isolamento social também acontece, porém ao sentimento de que está sendo perseguido por pessoas ou até mesmo por seres sobrenaturais.

Esquizofrenia Desorganizada

Tipo de esquizofrenia onde a pessoa apresenta um comportamento infantilizado, com falas sem sentido e comportamentos também sem nexo.

Esquizofrenia Catatônica

A esquizofrenia catatônica acontece quando o paciente demonstra um comportamento de total isolamento não com as pessoas, mas o com mundo, podendo ficar horas na mesma posição por muitas horas, o que pode até mesmo ocasionar perda das atividades motoras.

Tratamentos da Esquizofrenia

O tratamento da esquizofrenia de qualquer tipo precisa ser feito pela vida inteira, mesmo se os sintomas desaparecerem. Ele ocorre com uma junção de medicamentos controlados e psicoterapia social, o que ajuda o paciente a voltar a realidade e entender o mundo ao seu redor.

Existem momentos em que a internação é necessária, o que chamamos de momentos de crise, mas quem define qual é o momento certo para a internação deve ser sempre o psiquiatra responsável pelo paciente.

A esquizofrenia é uma doença que atinge cerca de 50 mil pessoas por ano no Brasil. Sendo assim, é uma realidade que precisamos aceitar e não fingir que não existe ou tratar como se fosse uma aberração.

O grande problema das doenças mentais é a falta de conhecimento que as pessoas têm sobre esses transtornos e o preconceito que acontece em volta deles. É preciso entender para conseguirmos melhorar esse problema e aprender a lidar com quem sofre com a esquizofrenia.

Veja Também: Terapia Assistida por Animais – TAA
Foto: Marco Castellani