A estomatite infantil é um problema muito comum entre as crianças e algumas mamães se veem assustadas com o choro insistente do bebê e a recusa por alimentos que podem ser os primeiros sinais. A estomatite infantil é uma proliferação viral que infesta a boca da criança, normalmente essa doença é causada pelo vírus do herpes simples.

Características da Estomatite

A estomatite infantil é muito dolorosa e pode causar desconforto extremo ao bebê ou criança afetado. Placas de lesão doloridas que em contato com qualquer alimento pode incomodar e causar dor. A maioria dos casos de estomatite infantil afeta não só a boca da criança, mas também pode acometer a garganta e esôfago.

As aftas da estomatite costumam ser esbranquiçadas e são semelhantes ás aftas que podemos ter durante a vida, com o agravante que são diversas dessas aftas que provavelmente estão “inflamadas”. Grande parte dos casos de estomatite infantil se dá em períodos mais frios do ano. Ambientes fechados e com aglomeração como uma escolinha, por exemplo, é o ambiente perfeito para a proliferação do vírus HSV-1 responsável pela doença.

Vídeo Explicativo

Sintomas da Estomatite Infantil

Muitas crianças afetadas pela estomatite podem ter como primeiro sintoma uma febre insistente que permanece alta e por mais de 3 dias. Logo em seguida a falta de apetite e choro constante pode acontecer.

Crianças maiores saberão dizer que há algo incomodando na boca ou garganta. Os bebês são mais vulneráveis, pois não saberão relatar os sintomas e cabe a mamãe verificar o que está acontecendo e se preciso levar ao médico.

Sinais

  • Falta de apetite
  • Irritabilidade
  • Febre média a alta (pode chegar a 39°)
  • Feridas na bochecha (parte externa)
  • Feridas esbranquiçadas ou avermelhadas na boca com possível presença de placas de pus

Como Diagnosticar a Estomatite Infantil

Diagnosticar a estomatite infantil é relativamente simples, um pediatra do plantão pode detectar com facilidade com um exame clínico simples. O contágio da estomatite em bebê e crianças se dá por vários motivos, inclusive e principalmente baixa imunidade, porém maior parte do contágio se dá em crianças de um a seis anos e mesmo abaixo de um ano, na maioria das vezes em idade escolar ou em creches.

Contágio

O contágio pode acontecer por contato pele a pele e também colocar a mão suja na boca, por isso é importante lavar as mãos das crianças com frequência ou caso ele utilize chupetas ou bicos, os lavar e esterilizar diariamente. Medicação em excesso por exemplo em crianças que fazem algum tipo de tratamento, podem desenvolver a estomatite sem que o contágio precise ser feito. Seria uma reação natural do organismo.

Tratamento

O tratamento da estomatite infantil é feito a base de analgésicos que irão certamente aliviar as dores, porém em casos de vírus, não há mais o que fazer, pois a crise não se cura com antibióticos. Medicamentos orais e tópicos podem ser administrados para ajudar com a dor e a febre.

Também servem para facilitar a ingestão de alimentos e líquidos que nesses casos são recusados pela criança por causarem dor da estomatite, tratamento caseiro inclui alimentos gelados que aliviam. Incluir ingestão de alimentos frios como iogurtes, sorvetes e sucos não cítricos que são de fácil aceitação. Frutas são uma boa pedida assim como sopinhas mais frias bem pastosa para ajudar na deglutição.

Quanto Tempo Dura

As crises de estomatite infantil podem durar de uma semana a dez dias mas abrandando com o passar do tempo. Se a crise persistir mais do que dez dias, a mamãe deve voltar ao médico para verificar a existência de outros vírus ou bactérias que podem se aproveitar e criar novas colônias de doenças. Bactérias como cândida e outras podem apresentar prolongamento das placas e feridas que há essa altura não serão mais virais, pois o prazo para que o vírus fique ativo já se esgotou. Caso a crise de estomatite infantil volte a acontecer um médico deve investigar o que está acontecendo. Crises recorrentes são devido a baixa imunidade geralmente porém uma avaliação de um especialista é fundamental.

Prevenção

Infelizmente não existe uma forma de prevenção que impeça 100% seu filho de contrair a estomatite. Já que o vírus pode ser encontrado tanto em adultos como crianças e é contaminado através do contato. O que pode ser feito é evitar o contato com quem já esta doente, evitando assim os riscos da criança ter também. O mesmo cuidado deve ser tomado quando nossos filhos estão com a estomatite, não os mandando para a escola e passar para os amiguinhos.

Nota da Autora

Meus três filhos tiveram estomatite, e quase ao mesmo tempo. A Joana chegou a ficar internada por conta da febre alta, apenas para controlar a temperatura e não haver maiores consequências porque a temperatura chegou a mais de 40°. Com a Melissa e Eduardo foi mais tranquilo, embora eles não quisessem comer direito, as formas geladas ou frias faziam uma espécie de anestesia e foi relativamente tranquilo. Não tenham medo, as aftas secam sozinhas é questão de tempo. A medicação é sintomática, dar tempo para que o vírus regrida é fundamental, mas a limpeza deve ser feita sempre que possível para evitar piora do quadro.

Veja também: O Que é Asma? O Relato da Nossa Descoberta

Foto: John Allman Dayrit