Mesmo com um ótimo acompanhamento médico durante a gestação, alguns problemas podem aparecer, mas ele com certeza será a ajuda para que esses problemas não se agravem e não se tornem nada sério na vida da grávida. Dentro os problemas dessa fase, a extra sístole fetal talvez seja um que muitas pessoas não sabem o que realmente é, mas que não é tão incomum de acontecer.

Problemas com o batimento cardíaco do bebê que está dentro de uma mulher sempre vão deixar os pais assustados ou até mesmo apavorados. É bem compreensível, já que se trata de algo acontecendo no coração da criança que ainda nem está nascida.

Mas ao mesmo tempo em que isso pode gerar esse medo, é necessário ter um pouco de cautela. Nem todo problema que ocorre é tão grave assim, mesmo se tratando de um problema no coração e a extra sístole fetal não é motivo para pânico.

É claro que o acompanhamento médico é essencial, mas isso todas as mães e pais precisam saber antes de descobrirem qualquer problema durante a gravidez. Mas para entendermos melhor essa alteração, precisar saber o que ela é, quais são suas causas, quais as complicações e quais são os tratamentos necessários para a extra sístole fetal.

O Que é a Extra Sístole Fetal?

Trata-se de uma doença cardíaca, onde o ventrículo (uma câmara inferior do coração) se contrai mais rápido do que deveria, antes de se encher completamente de sangue. Isso faz com que o batimento cardíaco do feto seja muito mais rápido do que o normal, causando alguns problemas. A extra sístole ocorre em 4 fases, são elas:

  • O batimento cardíaco comum
  • Uma contração ventricular prematura (CVP)
  • Pausa
  • Batimento em um ritmo mais forte do que o normal

Essa sequência não é exatamente um padrão e pode ocorrer aleatoriamente. Quando ocorrida em fetos, a extra sístole não é necessariamente prejudicial, contanto que o coração do bebê esteja saudável.

Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!

Causas da Extra Sístole Fetal

Não se sabe exatamente qual é a causa principal dessa doença, mas se sabe que ela pode ocorrer devido a atrasos de formação em alguma estrutura mínima do coração. O excesso de adrenalina também pode ser prejudicial, por isso é sempre recomendado que as mães não passem por situações onde os nervos se agitem.

Outra possível causa para o surgimento da doença é uma grande ansiedade por parte da mãe que pode fazer com que o desenvolvimento do feto apresente certos atrasos. Por esse motivo, não é recomendado a ingestão de muita cafeína e nem de diversos tipos de chás para mulheres grávidas.

Esses fatores que causam a extra sístole fetal também podem afetar a mãe e fazer com que ela desenvolve a extra sístole, por isso os cuidados devem ser redobrados.

E se o Bebê Nascer com a Extra Sístole?

Em muitos casos, a extra sístole fetal é corrigida ainda dentro da mãe, com a formação correta de todas as estruturas do coração. Se isso não ocorrer, diversos problemas cardíacos podem aparecer no bebê e é muito importante que sejam feitos exames assim que ocorrer o nascimento para detectar quais são esses problemas e qual é a melhor forma de trata-los. Ainda nos primeiros dias de vida da criança, o médico vai dizer quais são os procedimentos a serem seguidos.

Como Evitar a Extra Sístole Fetal

Existem alguns remédios naturais que podem ser tomados pelas gestantes para que a extra sístole fetal seja evitada. O principal objetivo deles é inibir o estresse e a ansiedade, já que são fatores que podem levar um feto a desenvolver a doença.

Alguns chás podem acalmar a mulher, mas é necessário ficar atenta a quais tipos de chás são recomendados ou não para grávidas, já que muitos podem contribuir para a má formação do feto. Praticar exercícios específicos para gestantes também é uma atividade recomendada que além de aliviar o estresse e a ansiedade, também ajuda a mulher fisicamente durante a gravidez.

IMPORTANTE: Nunca tente se automedicar para tratar da extra sístole fetal, isso pode ser extremamente prejudicial tanto para você quanto para o seu bebê.

Lidar com problemas cardíacos não é das coisas mais confortantes, ainda mais quando estamos falando de uma vida que ainda está em formação dentro de uma mulher. Ainda assim, mesmo que todas essas informações pareçam muito assustadoras, manter a calma é essencial em situações como essa.

E isso vale tanto para a mãe quanto para quem está em volta dela, já que o medo dos outros pode acabar assustando a mulher também. Pesquisar sobre a complicação e conversar com seu médico especialista são sempre caminhos importantes a serem seguidos em situações assim. Dessa forma, a mulher vai entender melhor o que é a extra sístole fetal e como ela pode resolver esse problema.

Veja Também: Gravidez e Obesidade – Conheça os Riscos
Foto: Rizome