Até que ponto ter um segundo filho é uma opção saudável para a família? Pensando nos prós e contras muitos casais entram nesse dilema de ter ou não um segundo filho e no que isso pode acarretar, tanto em benefícios, como em dificuldades.

A escolha de ter um segundo filho, primeiramente deve partir do diálogo e acordo entre o casal, jamais por pressões sociais externas ou do próprio primogênito. Pesquisas recentes publicadas pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que em 2010 a taxa de estatística de fecundidade era de 1,86 filho por mulher, contra 2,38 em 2000.

O declínio foi decorrente, sobretudo dos métodos contraceptivos mais acessíveis para toda a população. A análise ainda reforça que na década de 90 uma em cada dez mães tinham apenas um filho. Atualmente, esse índice é de uma a cada três. Portanto, a escolha de ter apenas um filho se torna cada vez mais comum, o que inclui diversos motivos que levam a essa decisão. É mais saudável ter um Filho Ou Mais?

Qual A Melhor Opção Para A Sua Família? Dicas Para Ajudar Na Decisão:

Não Reaja Por Impulso

Essa é uma escolha muito pessoal e pautada para cada família. É preciso analisar o tempo disponível do casal para suprir com todas as necessidades que acarretam na chegada de um novo bebê. É um caminho que deve ser decidido com racionalidade e também pela vontade da família. Avaliar os prós e contras com cautela ajudará na tomada dessa decisão sem nenhum arrependimento futuro.

Escolha De Toda A Família

Nunca para atender a necessidade de uma das partes, como do pai, mãe, ou do filho único. Cuidar de um bebê é um trabalho que exige disposição para inúmeras tarefas, portanto toda a família deve estar preparada para receber e contribuir como pode no dia a dia. Quando uma das partes não está devidamente disposta para encarar tamanha responsabilidade um novo filho no lugar de trazer alegrias, pode gerar aborrecimentos e sobrecarga.

Preparar-Se Para Transformações

Todas as regras e rotina familiar serão modificadas a partir do nascimento de um bebê. Antes de decidir pela chegada de outro filho esteja ciente dessa transformação e readapte aos poucos a nova rotina familiar. A relação do casal sofre mudanças, tal como o dia a dia com o primogênito que passará a ter que dividir a atenção com o irmão e possuir maior autonomia com as próprias tarefas.

Avalie A Estrutura Física Do Lar E Emocional Dos Pais

Terá que pensar num ambiente bacana para acomodar outra criança, sua casa se dispõe de espaço adequado para esse cenário? Com o tempo, possa ser que um quarto para ambos não seja o suficiente, além dos gastos no geral multiplicados por dois.

Quando o casal trabalha fora a chegada de um novo bebê deve ser avaliada com maior cautela, pois corre o risco de sobrecarregar os pais. Avaliar cada detalhe ou situação no dia a dia é imprescindível para evitar eventuais problemas. Considere:

  • Quem vai cuidar das duas crianças?
  • Vou precisar contratar também uma empregada para os afazeres domésticos?
  • Estamos com recursos financeiros disponíveis para esse tipo de gasto?
  • O que ainda posso aproveitar do último enxoval?
  • Está preparado para abrir mão de um momento que considera importante na sua vida, como a carreira profissional?

IMPORTANTE: Avalie Se Terá Condições De Arcar Com Todos Os Gastos.

Agora não mais uma criança, mas duas que irão exigir os mesmos cuidados e gastos. Avaliar quais são os seus planos é muito importante quando for decidir pela chegada de um bebê. Existe pais que organizam para os filhos projetos, como estudar em escola bilíngue, cursos ou fazer um intercâmbio. Será que vai ter condições de arcar com os dois da mesma forma? Se não, o quanto isso é importante para você e qual a saída que sugere.

Tempo Para Se Dedicar

Como anda a sua atenção com um único filho? A partir daí já se tem uma ideia de como será a sua reação com a chegada de mais um. Se a rotina do casal é bastante corrida com um único filho, agora imagina com dois? É importante observar muito bem a rotina da família, levar em conta que um bebê requer 100% de atenção e cuidados que serão começados do zero.

Levar em conta a vida do bebê que virá é um ato responsável e necessário, não pense apenas em si mesmo ou na vontade pessoal, mas em como será a rotina dessa criança e se estarão dispostos a dividirem toda a atenção com dois filhos, seja no setor financeiro, como também emocional. O casal está disposto a dividirem todas as tarefas domésticas, cuidados com as crianças e educação? Tudo isso deve ser muito bem avaliado.

Veja também: Segundo Filho – Dividir o Amor ou Aumentar?

Foto: sathyatripodi