Fome na Gravidez – Dicas para Ter Saciedade e Manter o Peso

O aumento da fome na gravidez é motivo de preocupação para muitas mulheres. Todavia, isso não é sinônimo de aumento de peso excessivo, desde que exista uma alimentação saudável e adequada à gestante.

Grávidas costumam sentir naturalmente mais fome, isso é decorrente de diversas transformações metabólicas que ocorrem no corpo, tal como o aumento da produção dos peptídeos (substância que gera a sensação de insaciedade).

A recomendação de calorias para um adulto é de 2 mil, logo as gestantes devem consumir 300 calorias a mais, no caso de gêmeos dobrar esse número para 600. O aumento do apetite preocupa as grávidas que se questionam maneiras de equilibrar a alimentação de forma saudável para a mãe e o bebê.

As recomendações costumam ser bem simples para uma gestação saudável, como evitar o consumo de alimentos gordurosos, excesso de sal e incluir mais frutas, legumes e hortaliças nas refeições.

Como Controlar a Fome na Gravidez?

Nessa fase é de suma importância ter um acompanhamento de um profissional nutricionista. Não é recomendado nenhum tipo de restrição alimentar, exceto das substâncias prejudiciais, como o álcool, sal e excesso frituras ou gorduras saturadas. Não existe dieta para as grávidas, mas sim dicas para ter um cardápio mais rico e nutritivo para a mãe e o bebê.

O aumento da saciedade pode ser alcançado na realização de pequenas refeições durante o dia. No lugar do café da manhã, almoço e jantar, somente, a gestante pode aproveitar os intervalos e inserir lanches leves sempre que bater a fome. Queijo branco, gelatina, torrada com atum, vitaminas e frutas são liberados.

IMPORTANTE: o controle do peso na gravidez não é apenas uma questão estética. A obesidade na gestação traz dificuldades para saúde da mãe, como o aumento das chances de diabetes gestacional.

Preciso Realmente Comer por Dois?

É comum o velho conselho: “Agora que está grávida precisa comer por dois”, no entanto isso não é verdade. Comer o dobro não é sinônimo de alimentar-se melhor, portanto o que é preciso na gravidez é ter uma alimentação ainda mais saudável e nutritiva.

Muitas mulheres se queixam do excesso de apetite na gravidez, um fator bastante comum ocasionado pela ansiedade do período. A preocupação com tudo, desde os preparativos para o nascimento do bebê, saúde da criança, cuidados após o nascimento, pode também gerar pressão sob a gestante.

Resultado este em uma fome emocional e compulsão pelo consumo de determinados alimentos, infelizmente na maioria das vezes nada saudáveis.

Alimentação Ideal para Cada Período do Dia

É possível alimentar-se bem em todas as refeições, sem exagerar e ainda nutrir-se de forma adequada a fim de levar uma gestação saudável e gerar um bebê saudável. Basta seguir algumas recomendações alimentícias.

Café da Manhã

Para as gestantes o café da manhã também é uma refeição importante, portanto deve ser bastante nutritiva. Proteínas, lácteos, frutas e cereais devem ser inseridos na refeição pela manhã, como sugestões temos: pão integral, ovos mexidos, mingau de aveia, suco natural, torrada e iogurte.

Pequenos Lanches

É muito comum aquela vontade de comer alguma coisa após o almoço ou um pouco antes do jantar. Não há problema nenhum nisso, desde que sejam feitas boas escolhas. Evite cair em tentações de doces industrializados, bolachas recheadas, frituras, bolos recheados ou salgadinhos. Invista nas saladas de frutas, vitaminas, torrada com atum ou um pedaço de queijo branco.

Hidratação

A hidratação aumenta a saciedade, além de ser fundamental para as funções de todo o organismo. Líquidos devem fazer parte da rotina da gestante, inclua sucos naturais, água de coco, mas não exclua a água. A hidratação hídrica é muito importante, beba no mínimo 2 litros ao dia. Uma boa dica para evitar a desidratação do organismo é não abusar do consumo da cafeína, como o próprio café e chás com a substância.

Jantar?

Jantar mais cedo é um comportamento saudável na gestação, lembrando que todo o sistema digestório fica mais lento decorrente da gravidez. Antes da refeição faça os lanchinhos leves recomendados para evitar o consumo excessivo na refeição e indigestão à noite. Saladas verde-escuras, arroz integral, proteínas magras, como o peixe, frango e fígado podem ser intercalados no cardápio.

O que É Malácia?

Quase todo mundo já ouviu falar dos desejos incomuns que algumas gestantes têm por determinados alimentos. Aí vai o marido correndo para achar o cardápio inesperado. Os alimentos desejados na gravidez são geralmente ricos em Hidratos de Carbono, como: sorvetes, bolos recheados, chocolate, entre outros.

As frutas e alimentos ácidos costumam também serem requisitados pelas grávidas que podem sentir maior vontade de inserir no cardápio o limão, abacaxi e laranja. Mas, nem sempre são tão simples as preferências, podendo levar ao consumo de substâncias um tanto estranhas e que não são alimentícias, como o giz, terra, tijolo, areia e vários outros que chegam a indignar.

Alimentação Nutritiva É Fundamental

São inúmeras as dúvidas que as gestantes possuem ao se tratar da alimentação na gravidez e o aumento adequado do peso. O pré-natal é de suma importância para esclarecer todas essas dúvidas, alertar sobre possíveis anomalias e doenças que possam existir e listar recomendações nutritivas para a nova fase.

Os alimentos atuam para suprir as necessidades nutricionais da mãe e do bebê e também possuem participação na prevenção dos enjoos e mal-estar.

Devo comer por duas? Não! É preciso comer melhor, de forma controlada, selecionar bem as opções e ter em mente que o controle de peso na gestação é saudável para a saúde da mãe e do bebê. Em casos de ansiedade excessiva que leva ao consumo de alimentos que não são nada saudáveis experimente eliminar essa tensão com o auxílio de alguma atividade física. Converse com o seu médico e veja a possibilidade da prática de exercícios como a hidroginástica, pilates, caminhada e outros.

Veja Também: Refrigerante faz Mal na Gravidez?

Foto: Bollepret