Estava aqui observando minha bebê de 1 ano e 4 meses e o quanto ela gosta dos irmãos e os imita em tudo! Outro dia estávamos nós duas na sala e ela me pediu a caneta em que eu estava na mão e dei para ela, e também um papel. Ai ela desceu do meu colo e assim como Dudu deitou no chão de barriga para baixo e começou a desenhar! Segurava a caneta com muita precisão e os dedinhos apoiados no papel, confesso que até marejou meus olhos por ver que minha bebê está crescendo tão rápido…

As vezes parece que a geração atual já nasce curiosa e até mesmo sabendo mexer em tecnologias que para mim são novas, mas que para eles já estão mais que acostumados. Dia desses Mel sentou na minha cadeira e começou a mexer no mouse e no teclado, mais parecia gente grande! Parece que ela já faz isso há muito tempo, acho que ela não escapa da herança materna, a gama por computadores e seja qual for outra tecnologia, eu estou sempre a par.

Dudu com 3 anos também já tinha interesse por computadores e celulares, agora o pedido de natal dele foi um celular e com apenas 6 anos de idade! Onde estão os carrinhos, o pião, a brincadeira com bola? Parece que essas coisas, essas brincadeiras saudáveis se perderam com o passar do tempo, mas há uma razão, o local que seria ideal, e já foi local de brincadeiras está muito perigoso. Houve uma época em que essas brincadeiras eram apenas o que tínhamos nas férias e nos fins de semana, a vizinhança toda se reunia para jogar queimada e tantos outros jogos que hoje em dia, a meninada nem sabe mais do que se trata…

Quero ver meus filhos que são da geração touch brincarem como eu e meu marido fazíamos antigamente, ainda tenho essa esperança! Quem sabe essa cena ainda possa acontecer, mesmo que seja em um condomínio fechado. Levei-os ao Zoo parque perto de casa e nem brincar no parquinho eles sabiam! Era desconfortável para eles mexerem na terra, e balançarem em um lugar onde sujariam suas roupas e dividir brinquedos com outras crianças. Quero que eles saibam o que é brincar verdadeiramente, se sujar como eu me sujava, e quem sabe apresentar aos carrinhos de rolimãs.

Bem, falando em geração touch, os bebês de hoje tem a facilidade de ter na pontinha de seus pequenos dedos, uma série de entretenimentos e ainda quando se trata de filhos mais novos e de famílias grandes como a minha, acredito que aprendem ainda mais rápido. Me recordo que Joana era muito mais quietinha por ser a primeira e não ter professores para ensinar traquinagens como a Melissa tem, então nem tenho como comparar, mas acredito que os filhos mais velhos ou até mesmo únicos tem uma chance maior de serem crianças mais tranquilas. Veja, não sou psicóloga nem pedagoga, apenas é uma impressão que eu tenho por ter alguma experiência com crianças.

Vi em algum lugar um vídeo de uma menininha, um bebê tentando mudar a página de uma revista como se fosse um ipad, ri muito! Essa é realmente a geração do imediatismo, do aprendizado acelerado e de muita informação a mãos e certamente na ponta dos dedinhos miúdos dos que um dia serão os mais privilegiados tecnologicamente.

Mais que uma herança cultural, uma forma de imortalizar a nossa geração e mostrar para as crianças de hoje em dia como era não ter um computador, um ipad, um videogame sempre a mão. Ter mesmo de fato uma infância proveitosa e inesquecível como a minha foi…

Veja também: Brincadeiras Educativas – Brincando e Aprendendo de uma só vez

Fotos: Anita Kids, Mamães em Rede