A gestante pode comer pimenta e não há uma comprovação científica de que a pimenta pode provocar má-formação do feto ou aborto, mas é importante que a mulher fique atenta a alguns problemas e desconfortos que podem surgir devido ao consumo deste alimento estimulante.
O que torna a pimenta um alimento não muito recomendável na dieta da gestante é a capacidade que este condimento tem de alterar o pH estomacal e na gestação em si, a mulher já sofre com problemas como: intestino mais lento, azia, refluxo e sensação de inchaço no corpo por conta da retenção de líquidos.

Sendo assim, o consumo de comida apimentada poderia trazer mais prejuízos à digestão da gestante e intensificar principalmente, o mal-estar da azia. Vale lembrar que a pimenta in natura é rica em nutrientes, incluindo a vitamina C, mas isso não quer dizer que possa ser consumida sem restrições.

Advertências e Problemas Relacionados à Pimenta

Hemorróidas – Em casos em que a mulher tenha o histórico de hemorróidas ou já tenha tido hemorróidas em alguma fase da gestação, o ideal é não incluir a pimenta na alimentação de maneira alguma. Principalmente no final da gestação, o surgimento de hemorróidas é comum e o quadro pode se agravar ainda mais se a mulher come muita pimenta.

Histórico de azia – Se mulher já sofria com azia até mesmo antes da gestação, provavelmente já foi orientada sobre o fato de que o consumo da pimenta agrava a irritação estomacal provocando sensação de mal-estar.

Pimentas prontas ou em conserva – O ideal se a mulher gosta do sabor da pimenta é respeitar a quantidade diária de 5 gramas ao dia, o que equivale a um pedaço pequeno da pimenta propriamente dita. Os molhos de pimenta pronto, repletos de conservantes ou as preparações que levam pimentas, óleo, sal e vinagre, devem ficar fora da alimentação da grávida. As sementes são as responsáveis pela ardência da pimenta, o ideal é retirar as sementes em caso do consumo da pimenta fresca.

Pimenta-do-reino – A grávida pode comer pimenta-do-reino, se não tem problemas ou desconfortos por conta da ingestão do condimento, mas ainda assim, é recomendável o consumo com parcimônia para prevenir o mal-estar.

Combinação de sódio e pimenta – Um dos grandes desconfortos na gestação é a retenção de líquidos e sensação de inchaço. O consumo de sódio é o grande vilão à saúde já que aumenta a sede e propicia o mal da retenção de líquidos. Mas os malefícios do sódio podem ser potencializados se estiver unido à pimenta e principalmente em dias mais quentes, a mulher pode ter a sensação de mal-estar devido ao inchaço ainda mais acentuada.

Aproveitando quero dar uma dica para as gestantes: quer melhorar o prazer do sexo durante a fase gestacional? Use gels lubrificantes a base de água que fazem o papel do muco cervical e ainda controlam o pH vaginal, reduzindo as chances de proliferação de fungos e bactérias responsáveis por infecções. A Famivita desenvolveu o lubrificante perfeito para as tentantes e gestantes, o FamiGel. Você pode compra-lo aqui em nossa loja virtual.

Cuidados com a Dieta na Gravidez

Alimentação equilibrada – Por muitos anos foi alimentado o mito de que a mulher na gestação poderia comer o que quisesse ou se alimentar por dois, mas atualmente é de conhecimento mundial a necessidade de que a mulher na gestação cultive hábitos alimentares saudáveis.

Mudança de estilo de vida – Um estilo de vida nocivo que inclui tabagismo e excesso de álcool só pode prejudicar a saúde da gestante e da criança, aliás, representa um grande risco de que a gestante não consiga levar a gravidez até o final por conta de morte gestacional.

Excesso de alimentos industrializados – O ideal é que a gestante evite ao máximo o consumo de alimentos industrializados como carnes embutidas, sucos de caixinha, refrigerantes, comida enlatada, entre outros. O recomendado é ingerir o máximo de alimentos naturais (frutas, verduras, legumes, sementes oleaginosas, grãos integrais, massas e pães integrais etc.).

Prefira água – O suco industrializado possui excesso de conservantes e açúcar, o refrigerante também é rico em substâncias nocivas e pode prejudicar a absorção de cálcio. Muitos nutricionistas alertam que o ideal é o consumo da fruta in natura e que ao realizar o suco, as fibras geralmente são coadas e vitaminas e minerais são perdidos rapidamente, restando principalmente a frutose (açúcar da fruta). Em caso de grávidas que tenham diabetes fica o alerta de que o suco coado e que não foi preparado na hora, na verdade, só trará prejuízos à saúde, pois ao ser ingerido, se transformará rapidamente em açúcar no sangue, podendo levar a picos glicêmicos.

Tudo em excesso prejudica – O indicado seria que toda gestante tivesse um acompanhamento nutricional e uma dieta específica, ainda assim, em um momento ou outro pode-se quebrar a dieta e consumir outros alimentos, mas o importante é que não se torne uma rotina.

Veja Também: O Que Mulheres Grávidas Podem e Não Podem Fazer?

Fotos: Filipe Rivelli