O glaucoma infantil é um dos principais motivos da cegueira na infância, sendo resultado em 20% dos casos. Quando descoberto precocemente existe grandes chances de tratamento e reversão do quadro. Mas infelizmente a maioria dos pais deixa passar os sintomas despercebidos o que acaba resultando na cegueira total.

Em pesquisas realizadas pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, a cada 10 mil bebês pelo menos 1 é portador de glaucoma congênito. Portanto é muito importante os pais ficarem atentos a cada sinal e sintoma diferente na saúde dos olhos, mesmo sendo sinais de difícil percepção.

Causa do Glaucoma?

Sua causa é hereditária, sendo relacionado em grande maioria dos casos a casamentos entre familiares. O glaucoma é uma doença ocular que ocorre pelo aumento dos níveis da pressão intraocular. Essa pressão provoca sérias lesões no nervo ótico que é o responsável por encaminhar informações nervosas ao cérebro e se não controlado rapidamente compromete totalmente a visão em questão de tempo.

IMPORTANTE: Através do teste do olhinho que é obrigatório para todos os recém-nascidos, é possível diagnosticar o glaucoma infantil precocemente. O exame deve ser realizado até que o bebê complete o seu 1º mês de vida. A descoberta precoce fará toda a diferença no tratamento e na qualidade de vida da criança.

A pressão ocorre porque o espaço de drenagem do humor aquoso do olho para de fazer sua função fazendo com que o líquido fique parado, acumulado dentro do olho. Essa passagem é interrompida por uma pequena membrana que pode surgir dentro de um olho ou dos dois. Essa ocorrência esta relacionada a 80% dos casos que normalmente ocorrem em pessoas com mais idade, acima de 40 anos de idade, mas pode ocorrer na infância também. É esse acumulo de líquido que gera a grande pressão intraocular.

Sintomas do Glaucoma Infantil

Mesmo sendo considerados sinais difíceis de diagnóstico para os pais, é de extrema importância ficar atentos a mudanças comportamentais relacionadas à saúde de nossos filhos. Os sinais do glaucoma infantil podem começar a surgir logo nos primeiros meses de vida, antes mesmo de desenvolver completamente a visão do bebê. Se o glaucoma não for tratado precocemente pode interromper de vez o desenvolvimento da visão e levar o bebê a cegueira irreversível.

Uma dica valiosa de um especialista em oftalmologia infantil é os pais ficarem atentos às primeiras fotos do bebê. Durante as fotos, o flash é disparado e na imagem a pupila dos olhos fica em tom avermelhados, essa é a imagem considerada normal dos olhos. Mas quando a imagem dos olhos fica em tom esbranquiçado ou amarelado pode ser um sinal da doença e é bom ficar em alerta e procurar o pediatra.

O Sinal Mais Comum

O sintoma mais comum e evidente é com a coloração dos olhos. Normalmente bebês com glaucoma infantil perdem o brilho dos olhos, deixando à córnea mais opaca, esbranquiçada ou em tons azulados. Os sintomas sequentes estão ligados com lacrimejamento excessivo, fotofobia e irritabilidade dos olhos.

Outro fator de relevância é na questão do tamanho dos olhos. Bebês e crianças com glaucoma tendem a ter o olho maior que o considerado normal para a faixa etária e pode ser percebido com um mínimo de atenção. O que pode ser um “charme” para algumas pessoas uma criança com olhos grandes aos olhos médicos pode ser sinal de glaucoma.

Vale lembrar que o primeiro exame nos olhos deve ocorrer até o bebê completar 1 mês de vida, o teste do olhinho. Onde através do reflexo vermelho a retina dos olhos do bebê é analisada. Caso seja notado alguma alteração nos olhos pode ser solicitado um mapeamento de retina juntamente de dilatação da pupila e também medição da pressão ocular.

Como Tratar

Infelizmente não existe forma de evitar que o glaucoma infantil aconteça, mas ficar atento a qualquer alteração dos olhos e levar ao oftalmologista na sequência é a melhor forma de prevenção. Como os bebês costumam ainda não ter sua visão totalmente desenvolvida nos primeiros meses é praticamente impossível detectar problemas para enxergar nesse período. Muitos pais só conseguem diagnosticar o glaucoma com a reclamação da criança de incômodos e quando já esta em estágio avançado infelizmente.

Quando detectada a doença é necessário à intervenção cirúrgica para que o líquido acumulado seja escoado e reduza a pressão intraocular. Porém antes da cirúrgia o tratamento segue em conjunto com colírios tópicos que auxiliarão no controle da pressão antes da realização do escoamento. Seguir o tratamento adequado além do acompanhamento com o oftalmologista pediátrico aumentarão as chances de recuperação plena.

Veja Também: Braile – As Palavras nas Pontas dos Dedos

Foto: Tania VDB