A cada tempo que passa uma nova dieta milagrosa surge prometendo mundos e fundos para as mulheres e homens que buscam o seu corpo perfeito. A nova sensação do momento é o HCG para emagrecer, mas como toda novidade não se sabe muito a respeito. Por isso vamos a fundo para esclarecer os fatos e descobrir os riscos. Será que o uso de HCG não atrapalha a fertilidade para aquelas que estão em busca do seu positivo? Quais são os riscos?

Os seres humanos em geral mesmo tendo a opção de seguir uma vida regrada, saudável e assim conseguir buscar seus objetivos de corpo perfeito optam por caminhos mais rápidos e que prometem resultados instantâneos. Opções estas que quase sempre proporcionam riscos muito maiores do que a ação benéfica do tratamento, ainda mais quando o tratamento é direcionado para outras coisas a principio. O HCG ou gonadotrofina coriônica humana como é cientificamente chamado é o hormônio produzido pelo próprio corpo feminino durante a gravidez, ou melhor, formado pelas células que compõem a placenta que irá nutrir o feto. É através deste hormônio que é possível detectar a gravidez alguns dias após a concepção através de exame de urina ou do exame de beta HCG.

O HCG é quem faz a comunicação ate o hipotálamo, local do cérebro responsável pelo metabolismo do organismo onde é solicitado o armazenamento de gordura que será necessário para nutrir a placenta e automaticamente o bebê mantido por ela. Pensando nisso, a dieta do HCG foi criada e com a junção de injeções diárias do hormônio com uma dieta restritiva de 500 calorias por dia visando perder de 450 a 1,300 kg por dia, muitas pessoas se arriscam visando atingir a perca de peso esperada. O HCG em gotas também é utilizado, porém com dosagem menor e menos eficiente se comparado à injeção. Não existe nenhuma evidência que comprove que as injeções de HCG acelerem o emagrecimento, pelo contrário muitos apontam que é a dieta restritiva que faz com que a pessoa perca peso tão rápido. Inclusive esta opção de dieta milagrosa não é nem reconhecida pelo FDA (Food and Drug Administration) que é a instituição responsável por testes e pesquisas de alimentos e medicamentos o qual exigiu que em toda propaganda realizada do tratamento fosse informado que o “HCG não é uma opção confiável no tratamento contra a obesidade”.

Era muito comum encontrar nas prateleiras de farmácias e grandes mercados nos EUA o HCG, sem restrição medica e sem solicitação alguma de indicação. Mas recentemente foi adicionado a lista de medicamentos ou “substâncias proibidas”, já que sua busca esta crescendo cada dia mais , principalmente por usuários de anabolizantes. No Brasil o HCG para emagrecer tem sido vendido através de substância injetável, comprimidos e ate mesmo gotas sem nenhuma segurança e em alguns sites sendo direcionado como tratamento homeopático, portanto todo cuidado é pouco.

O que consiste em atrapalhar a fertilidade, o HCG pode boicotar mulheres em sua fertilidade! Como é um hormônio exclusivo da gravidez, o organismo vai entender que há uma gestação em andamento e assim, não deixará o ciclo hormonal se completar. Estimulação folicular, ovulação e fase lútea. Entre outras palavras, o HCG não deixará a mulher ovular e consequentemente não engravidará.  Também é possível que o HCG ingerido provoque reações adversas e colaterais como, por exemplo, ovários policísticos em algumas mulheres. Portanto antes mesmo de iniciar o tratamento com HCG, uma bateria de exames tem que ser feita rigorosamente pelo médico responsável pelo tratamento. Prevenir possíveis reações indesejadas é fundamental!

Riscos do HCG Para Emagrecer e Quais Sintomas Podem Ocorrer

Como todo tratamento pouco conhecido e menos ainda esclarecido são grandes os riscos que as pessoas optantes pelo HCG para emagrecer correm. Como efeitos colaterais do tratamento dores de cabeça fortes, depressão, alterações intensas de humor, trombose, confusão mental e mal estar são apontados como sintomas recorrentes da medicação. Existindo a chance também de desenvolvimento da síndrome de hiperestimulação ovariana (SHO) onde a mulher sente fortes dores abdominais além de inchaço pélvico, ganho de peso excessivo, náuseas e diarreia.

Veja Também: Dietas para Emagrecer Pós-Parto de Anna Hickmann e Celebridades

Fotos: TipsTimesAdmin