O Herpes genital em gestantes é um dos problemas mais sérios que podem ocorrer durante a gestação podendo trazer sérios danos ao desenvolvimento do bebê como também durante o parto. Porém a transmissão para o bebê não ocorre em 100% dos casos, podendo a mulher que possui a doença gerar e dar a luz a bebês saudáveis.

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível, e pode ser adquirida através do  sexo oral também. Existem dois tipos de herpes, a HSV-1 e a HSV-2, a mais comum é a de tipo 1 que ataca normalmente via oral, e pode ser transmitida para o parceiro pelo beijo e pelo ato sexual, a de tipo 2 é a que se manifesta nos órgãos genitais feminino e masculino. Quando a mulher já teve herpes genital, ou melhor, já é portadora do vírus do HSV e engravida é aconselhado que seja informado ao seu ginecologista durante a primeira consulta de pré- natal. Dessa forma serão recomendados os cuidados necessários para que seja evitada a contaminação do bebê, pois quando adquirido o vírus, dificilmente conseguirá elimina-lo do seu corpo podendo manifestar a qualquer momento.

No primeiro sinal de manifestação do herpes genital em gestantes, a mulher deve comunicar imediatamente seu medico, importante ficar alerta aos sintomas como bolhas vermelhas na vagina que podem se alastrar por toda região à volta, como virilha, pernas e barriga causando coceira. Podem ocorrer também sinais parecidos com o de uma gripe comum, como febre, dor de cabeça e dores musculares.

Qual o Tratamento para o Herpes Genital em Gestantes?

Nos dias atuais é utilizado o tratamento com antivirais para controlar e combater a herpes genital em gestantes, sendo receitados medicamentos como Aciclovir, Fanciclovir e penciclovir que são considerados remédios que apresentam baixo risco a gestação. O tratamento durará em média 10 dias não podendo ser interrompido para melhor eficácia e diminuindo ainda mais as chances de contaminação do feto, devendo ser acompanhado e realizado com orientação de seu obstetra. Além dos medicamentos  é aconselhado que a gestante mantenha relações sexuais somente com o uso de preservativo, além dos cuidados com a alimentação e boas horas de sono. É comprovado pelos especialistas que o stress, o cansaço físico e a exposição solar excessiva dão mais força ao vírus, tornando-o mais ativo ainda e se manifestando de forma mais agressiva.

Riscos da Herpes Genital na Gravidez

herpes genital em gestantes 1

Quando a mulher nunca teve a doença e a primeira manifestação do herpes genital ocorre na gravidez, é a mais preocupante, pois a primeira aparição da infecção é sempre a mais agressiva pelo fato da mulher ainda não possuir anticorpos suficientes para combater o vírus. Quando acontece no primeiro trimestre da gestação, pode ocorrer aborto espontâneo e também lesões no feto, já quando ocorrem no final da gravidez os riscos são ainda maiores, podendo transmitir o vírus para o bebê na placenta ou ate mesmo durante o parto, por isso é aconselhado nesses casos que seja realizada uma cesárea para diminuir as chances de contaminação do bebê.

Quando o bebê é contaminado pelo vírus pode ocorrer prematuridade no nascimento, afetar aos olhos ocasionando cegueira e apresentar microcefalia (diminuição do crescimento da cabeça), podendo também atingir o sistema nervoso central, causando meningite, convulsões e fortes dores na cabeça que poderá já se manifestar nas duas primeiras semanas de vida. Em 45% dos casos dos bebês contaminados pelo vírus do herpes, é apresentadas bolhas por todo corpo e se não diagnosticado precocemente e tratada devidamente, a criança pode vir a falecer após poucos dias de nascido.

Veja também: Candidíase na Gravidez – Sintomas e Tratamentos

Foto: mahalie stackpole