Muito se fala sobre Herpes zóster, mas você realmente sabe o que é? Há aproximadamente 1 milhão de novos casos estimados por ano em países como os EUA.

De acordo com pesquisas, estima-se que, aos 85 anos, 50% das pessoas terão apresentado um episódio de herpes zóster em algum momento da vida. Embora a maioria das pessoas que desenvolve o herpes zóster tenha apenas um único episódio, há alguns que desenvolvem casos recorrentes da doença.

O Que é Herpes Zóster?

Herpes zóster, popularmente conhecido como cobreiro, é uma infecção viral que causa uma erupção cutânea dolorosa. Embora possa ocorrer em qualquer lugar do corpo, as lesões geralmente aparecem como uma única faixa de bolhas que envolve o lado esquerdo ou direito do tronco.

Causas do Herpes Zóster

O herpes zóster é causado pelo Vírus Varicela-Zoster(VVZ), o mesmo que causa varicela (catapora). Depois de ter acometido a pessoa, o vírus fica inativo no tecido nervoso perto da medula espinhal e do cérebro. Anos mais tarde, pode se reativar causando o herpes zóster. Porém, nem todos os que tiveram varicela desenvolverão herpes.

O Vírus Varicela-Zoster faz parte de um grupo de vírus chamados Herpes Vírus Humanos (HSV), que inclui os que causam feridas labiais e o herpes genital. A razão para o herpes zóster não é clara, mas pode acontecer devido à imunidade reduzida por causa do envelhecimento. É mais comum em adultos mais velhos e em pessoas que têm sistema imunológico enfraquecido.

Embora não seja uma condição fatal, o herpes zóster pode ser muito doloroso. As vacinas ajudam a reduzir o risco de infecção, enquanto o tratamento precoce ajuda a encurtar o tempo da doença, diminuindo a chance de complicações.

Sintomas do Herpes Zóster

Os sinais e sintomas do herpes zóster geralmente afetam uma pequena parte de um dos lados do corpo. Estes sinais e sintomas podem incluir:

  • Dor, ardor, entorpecimento ou formigamento
  • Sensibilidade ao toque
  • Erupção cutânea vermelha que começa alguns dias após a dor
  • Bolhas cheias de líquido que estouram e descascam
  • Coceira

Algumas pessoas também experimentam:

  • Febre e calafrios
  • Dor de cabeça
  • Sensibilidade à luz
  • Fadiga
  • Mal estar
  • Náuseas
  • Dores no corpo
  • Glândulas linfáticas inchadas

A dor geralmente é o primeiro sintoma da doença. Para alguns, pode ser intensa. Dependendo da localização da dor, às vezes pode ser confundida com sintomas de problemas cardíacos, nos pulmões ou rins. Algumas pessoas experimentam a dor do herpes zóster sem desenvolver a erupção cutânea.

Apesar do herpes zóster ter como ponto principal o tronco, muitas vezes a erupção cutânea ocorre em torno de um olho, de um lado do pescoço ou rosto.

O Herpes Zóster é Contagioso?

Uma pessoa com herpes zóster pode passar o vírus para outras pelo contato direto com o fluido das lesões bacteriana ativa. Portanto, os indivíduos suscetíveis devem evitar o contato com pessoas que possuem a condição, especialmente mulheres grávidas, aquelas que nunca tiveram varicela e indivíduos com sistema imunológico comprometido.

Não pode ser transmitida por tossir ou espirrar , e não é contagiosa antes que as bolhas apareçam. Uma vez que a erupção cutânea do herpes secou e desenvolveu cascas, não é mais considerado contagioso.

Existem alguns pontos importantes a serem considerados ao discutir o vírus da varicela zoster e sua transmissão. Se uma pessoa que nunca teve varicela ou não tomou a vacina tem contato direto com o fluido da erupção cutânea do herpes zóster, ela pode desenvolver varicela, mas não desenvolverá imediatamente o herpes zóster.

É possível, no entanto, que ela desenvolva herpes zóster mais tarde na vida, assim como acontece com outros que já foram expostos ao vírus e desenvolveram varicela.

Fatores de Risco do Herpes Zoster

Quem já teve varicela pode desenvolver o herpes zóster. A maioria dos adultos no Brasil já contraiu a varicela quando criança. Bem antes do advento da vacinação na infância que agora protege contra a doença. No entanto, algumas pessoas podem ser mais suscetíveis a desenvolver o herpes zóster. São elas:

  • Adultos com mais de 50 anos – É mais comum em pessoas com mais de 50 anos pois a idade é um fator de risco. Alguns especialistas estimam que a metade das pessoas de 85 anos ou mais terá herpes zóster.
  • Portadores de doenças imunossupressoras – Doenças que enfraquecem o sistema imunológico, como HIV / AIDS e câncer, podem aumentar o risco de herpes zóster.
  • Pacientes em tratamentos contra o câncer – A radiação ou a quimioterapia podem diminuir a resistência às doenças, o que torna o paciente vulnerável a doença.
  • Pessoas que utilizam certos medicamentos – Os medicamentos utilizados em pessoas recém transplantadas para inibir a rejeição podem aumentar o risco de herpes zóster, assim como o uso prolongado de esteroides, como a prednisona.

Quando Devo Consultar um Médico?

É importante buscar ajuda médica caso suspeite de herpes zóster, mas especialmente nas seguintes situações:

  • Se a dor e a erupção cutânea ocorrem perto de um olho. Se não for tratada, esta infecção pode causar danos oculares permanentes.
  • Se tem 60 anos ou mais, porque a idade aumenta significativamente o risco de complicações.
  • Se você ou alguém em sua família tem um sistema imunológico enfraquecido (devido a câncer, medicamentos ou doenças crônicas).
  • Se a erupção cutânea é generalizada e dolorosa.

Tratamento Para Herpes zóster

O tratamento é destinado a diminuir os efeitos do vírus, bem como o controle da dor. Quanto mais cedo seja diagnosticada, mais cedo o médico poderá iniciar o tratamento com medicamentos antivirais.

Se for iniciado imediatamente após o início dos sintomas (erupções), é possível ter uma chance menor de complicações.

Os tratamentos mais comuns incluem:

  • Medicamentos antivirais, para reduzir a dor e a duração das lesões
  • Medicamentos para a dor
  • Prevenção das infecções secundárias das lesões da pele
  • Banhos frios ou frescos e compressas úmidas na região das lesões podem ajudar a aliviar a coceira e dor.

Quais as Complicações do Herpes Zóster?

As Complicações podem incluir:

  • Neuralgia pós herpética – Para algumas pessoas, a dor continua muito depois que as lesões cicatrizam. Esta condição é conhecida como neuralgia pós herpética, e ocorre quando as fibras nervosas danificadas enviam mensagens confusas e exageradas de dor da pele para o cérebro.
  • Perda de visão – As lesões dentro ou ao redor de um olho (herpes zóster oftálmico) podem causar infecções oculares dolorosas que podem resultar em perda de visão.
  • Problemas neurológicos – Dependendo de quais nervos são afetados, o herpes zóster pode causar inflamação do cérebro (encefalite), paralisia facial ou problemas auditivos ou de equilíbrio.
  • Infecções cutâneas – Se as lesões não forem devidamente tratadas, podem ocorrer infecções bacterianas da pele.

Veja Também: Labirintite: Principais Causas, Sintomas e Tratamentos
Fotos: melvil