Poucas pessoas sabem da existência desse problema que afeta as tubas. Ela é relativamente silenciosa, mas quando o diagnóstico vem,vem também várias dúvidas. Afinal, algumas vezes o sonho de ser mãe pode depender de um diagnóstico correto e de um tratamento adequado com bom profissionais. O diagnóstico correto é essencial por esta ser uma uma doença menos frequente.

O que é a Hidrossalpinge?

A hidrossalpinge nada mais é do que um acúmulo de líquidos em uma ou ambas as tubas. Normalmente esse líquido se acumula por causa de uma infecção na região, por bactérias, por doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia ou sífilis, ou outras causas de inflamação.

Um dos principais problemas que a hidrossalpinge traz é impedir uma gravidez. A tuba fica dilatada, inflamada e bloqueada. Todo este processo inflamatório torna a tuba um ambiente hostil para o encontro do espermatozoide com óvulo. É na trompa que a fertilização acontece.

A hidrossalpinge também pode obstruir a tuba. Isso faz com que nem o óvulo nem o espermatozoide possam chegar no local apropriado para a fecundação. Mas nem todos os casos de trompas obstruídas são por conta de hidrossalpinge. Em grande parte das vezes, uma obstrução da trompa pode ser resolvida com um pequeno procedimento, mas isso é assunto para outro post.

O líquido presente na trompa por conta da hidrossalpinge também pode atrapalhar na hora da implantação do embrião, caso a fecundação tenha ocorrido na trompa saudável. Há estudos que revelaram que esse líquido pode ir para o útero, ou para o fundo do saco de Douglas, tornando estas áreas hostis para a nidação

Caso a implantação ocorra, este ambiente hostil pode acabar causando um aborto espontâneo. Quanto mais a tuba está dilatada e inflamada, mais líquido ela pode liberar e mais grave o caso pode ser.

Nos casos de hidrossalpinges cheias de líquido, um procedimento para corrigir o problema pode fazer com que o líquido pare de se espalhar. Dessa forma, a as chances de engravidar se tornam maiores, e diminuem a necessidade de procedimentos como a FIV. Tudo vai depender do grau de gravidade do problema.

Sintomas da Hidrossalpinge

Os sintomas mais comuns são  dores abdominais, inchaço e corrimento vaginal de aspecto e cores diferentes do que é o comum para um muco cervical saudável. Mas também pode acontecer da hidrossalpinge ser assintomática. Dessa forma, muitas mulheres apenas descobrem o problema quando tentam engravidar e não conseguem. Ao fazer os exames para verificar as causas, vêm a surpresa nas tubas.

Diagnóstico e Como Tratar a Hidrossalpinge

O diagnóstico é feito por exames de imagem, como a histerossalpingografia,ou uma tomografia uterina. Em casos mais complicados, uma opção é a videolaparoscopia diagnóstica. Normalmente, o tratamento para esse tipo de problema é alguma forma de  desobstrução das trompas. Caso esse procedimentos não dê resultado, a opção é a retirada parcial ou completa da tuba afetada.

Caso as duas tubas sejam afetadas, a retirada total ou parcial delas vai depender do grau do problema.  A avaliação de um bom especialista é fundamental para uma boa recuperação e total eliminação do problema.

Um procedimento bem feito, para quem tem o problema em apenas uma das trompas pode levar a uma futura gravidez natural. Caso as duas trompas forem retiradas a gravidez apenas acontecerá por meio de fertilização in vitro.

Sucesso no Tratamento

Antes de se desesperar, a portadora de hidrossalpinge deve conversar com o seu médico e analisar mais profundamente as condições de saúde das tubas. Muitas vezes, se há a necessidade de retirar completamente as tubas isso também significa que o problema será eliminado.

Se o problema for em uma das tubas, ainda há a chance de uma concepção natural caso a tuba afetada seja removida. Se o problema for em ambas as tubas, a única opção é a FIV. No entanto, o tratamento ainda é necessário, para que a hidrossalpinge não torne o útero um local hostil para o embrião.

Lembre-se de que investigar é muito importante e se o prazo de 1 ano para engravidar esteja esgotado, o casal deve ir ao médico para exames.

Enfrentar um problema como a hidrossalpinge não é fácil. Ao tentar engravidar com esses entraves no caminho, é recomendável utilizar todas as ferramentas disponíveis a seu favor. Uma dica são os polivitamínicos especiais para tentantes. Desta forma é possível ajudar o organismo a se preparar, mesmo em situações mais sensíveis. O FamiFerti é prático e completo, com as principais vitaminas e sais minerais na quantidade ideal. Você pode adquirir seu FamiFerti aqui, em nossa loja virtual.

Entrevista com uma leitora com hidrossalpinge

A leitora Mariana (apelido) recebeu recentemente o diagnóstico de hidrossalpinge. Segundo ela, o médico deu a ela 50% de chances de engravidar, já que ela tem uma das trompas perfeita e saudável. Veja o relato a seguir:

Trocando Fraldas: Como foi a descoberta da Hidrossalpinge?
Mariana: Descobri com um ultrassom transvaginal, onde encontraram uma bolsa d’agua que o médico que fez o exame não soube explicar. Após esse resultado fiz a Histerossalpingografia, que por sinal é muito dolorida. Foi com esse exame que deu para saber com exatidão do que se tratava.

Trocando fraldas: Qual foi a orientação do médico?
Mariana: Ele disse que eu ainda poderia ter filhos, mas que a chance estaria reduzida pra 50 %. Me mandou tomar o regulador de menstruação, pois meu ciclo também não é regular… Aqueles de 28 dias 30 dias etc… Até porque também tomei durante muitos anos anticoncepcional (mais ou menos 10 anos seguidos, sem pausa). Agora, após 5 meses tomando o regulador, resolvi que não vou mais tomar nada, absolutamente nada. Esse é o primeiro ciclo sem nada.

Trocando Fraldas: E o Psicológico como ficou depois da noticia.
Mariana: Eu entrei em crise. Achei que não poderia ter filhos e ainda estou perturbada. Sei que não é o fim do mundo, que mesmo com essa dificuldade ainda há uma chance. Mas todo termino de ciclo fico muito chateada, e perdendo as esperanças de ter normalmente… Não quero ter que recorrer à fertilização em vitro… Até porque não tenho grana para tal procedimento ainda!

Vejam meninas, o melhor mesmo é procurar um médico de confiança. A orientação correta e rápida é tudo nesses casos mais complicados.

Veja também: Infertilidade masculina e espermograma – quais os principais problemas.

Foto: Hey Paul Studios