Quando uma mulher decide que chegou a hora de engravidar, o ginecologista encaminhará uma sequência de exames para avaliação, que determinarão a possibilidade de conseguir engravidar de forma natural ou se será necessária alguma “ajudinha extra” para facilitar. Quando constatado certa dificuldade, pode ser indicado um exame especifico, conhecido como histerossalpingografia.

O que é a Histerossalpingografia?

A histerossalpingografia é um exame de imagem, realizado com o aparelho de raio x, mas com a ajuda do contraste para verificação mais detalhada. Normalmente indicado para analisar a anatomia uterina e das trompas, verificar más formações e até mesmo possíveis cicatrizes ou presença de algo que impeça o desenvolvimento de um embrião, assim como se existe algum impedimento de uma gestação acontecer.

Através do contraste injetado durante o exame, é possível analisar a trajetória do liquido e se existe algum impedimento na passagem, inclusive obstruções do funcionamento das tubas uterinas. É um dos melhores exames para diagnosticar problemas ginecológicos, ligados a fertilidade.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

IMPORTANTE: O exame de histerossalpingografia não causa dor na mulher, mas pode causar leve incomodo durante e após o procedimento.

Como é Realizado a Histerossalpingografia?

O exame de histerossalpingografia normalmente é realizado no próprio consultório do ginecologista. Caso o especialista não tenha o aparelho em consultório, pode ser indicado a realização em clínica especializada.

O procedimento deve ser realizado uma semana após a menstruação e antes da ovulação ocorrer, por garantia que a mulher não esteja grávida. Com a mulher em posição ginecológica, é inserido um cateter com um pequeno “balão” na ponta, que é inflado ao chegar no útero, causando fixação da sonda.

Após instalada a sonda, é iniciada a injeção do contraste a base de iodo. Com a ajuda da imagem do raio x, o especialista acompanhará toda a trajetória do contraste e fazendo as anotações pertinentes, que serão dadas no laudo.

É comum, durante a realização do exame de histerossalpingografia, que o médico peça para a mulher mudar de posição, para facilitar a leitura da imagem e ajudar a distribuir o contraste injetado.

Antigamente, eram usadas sondas mais grossas e metálicas, o que deixam o exame doloroso para as mulheres. Com a modernização das instrumentações medicas, o calibre da sonda também foi ajustado, para um material mais flexível e mais fino, que permite realizar o procedimento de forma mais confortável.

O exame não causa dor, mas pode provocar certo incomodo tanto durante como depois a realização. Por isso, pode ser indicado o uso de analgésicos antes de iniciar para reduzir esses desconfortos.

O incomodo sentido pela paciente durante a realização do exame é parecido com uma leve cólica menstrual, que passa com a finalização do procedimento. Normalmente, sentida durante o momento de injetar o contraste.

IMPORTANTE: A realização do exame tem durabilidade de em média 30 minutos.

Após injetar o contraste, será necessário o tempo certo para o líquido se espalhar pelo sistema reprodutor e poder ser mapeado todo seu trajeto. Logo após, são realizadas as imagens de raio x como uma sequência, onde será avaliado o caminho feito pelo liquido, e constatado a existência de qualquer anomalia.

Cuidados Para Realização do Exame de Histerossalpingografia

Algumas recomendações são dadas e necessárias para a realização do exame de histerossalpingografia. Além do período exato para a realização do procedimento que já citamos acima, que deve ser após a menstruação e antes da ovulação, é indicado também o uso de um laxante na noite que antecede o exame.

O uso do laxante é para garantir que gases ou fezes na área pélvica não venham atrapalhar a visualização na hora do exame e nem forneça um resultado insatisfatório.

Antes de ser iniciado o exame de histerossalpingografia deve ser ingerido, caso prescrito, um analgésico para reduzir os incômodos durante a realização do exame e após o procedimento também.

Resultado da Histerossalpingografia

O resultado da histerossalpingografia é fornecido através de um laudo que acompanha as imagens realizadas durante o procedimento. Através desses resultados, o ginecologista analisará as condições uterinas e trompas e indicará o melhor tratamento.

Caso no laudo e imagens, o resultado informe que não existe nenhuma irregularidade no sistema reprodutor que cause infertilidade, outros exames serão solicitados, inclusive para investigação de infertilidade masculina.

Muitos casais passam por meses e até anos realizando exames na mulher para investigar sua infertilidade, quando na verdade, a causa da infertilidade do casal, está no homem. Por isso, é essencial que após descartar problemas no sistema reprodutor feminino, o homem realize os exames para avaliação de espermatozoides.

Uma alteração comum de ser detectada no resultado da histerossalpingografia é a de obstrução de trompas. Que por sinal, pode ser resolvido durante o procedimento da histerossalpingografia.

Vantagens da Histerossalpingografia

O exame pode assustar um pouco as mulheres, pelo método utilizado, por injetar contraste e até mesmo pelos relatos de incômodos durante a realização. Mas ainda sim, é o melhor método de análise do sistema reprodutor feminino, já que o contraste permite verificar com precisão a trajetória pelo útero e trompas.

Outra vantagem importante é, que o exame de histerossalpingografia é rápido e com poucas chances de complicações, e que pode ser controlado imediatamente e com facilidade pelo médico a realizar o procedimento. Além, de ser comprovado que aumenta as possibilidades de a mulher conseguir engravidar após a realização do exame.

Histerossalpingografia Com Sedação

Para as mulheres que tem medo do procedimento e só de ouvir os relatos pensa em desistir de fazer, existe a alternativa de realizar a histerossalpingografia com sedação. Porém, não é tão fácil encontrar clinicas que façam, ainda mais de confiança e que seja indicada pelo seu ginecologista.

Muitos especialistas acreditam ser desnecessário a sedação para realizar o procedimento e por isso, não é algo tão comum. O incomodo causado durante a realização do exame é totalmente controlada e em alguns casos, mulheres relatam não ter sentido dor alguma.

Histerossalpingografia Ajuda Engravidar?

Devido a diversos relatos sobre mulheres que conseguiram engravidar de forma natural logo após o procedimento da histerossalpingografia, foi chegado à conclusão que o método pode sim em alguns casos, auxiliar na desobstrução das trompas ou de qualquer outro impedimento, quando existente.

Mas temos que alertar, que essa não é a finalidade do exame. Sua única função é a de diagnóstico de problemas no sistema reprodutor feminino que possam estar ocasionando a infertilidade.

Tratamentos Recomendados Após a Histerossalpingografia

Logo após confirmação do diagnóstico, o ginecologista indicará o melhor tratamento, que se adequa ao seu resultado. Os tratamentos normalmente indicados são através de medicamentos, indução ovulatória, intervenção cirúrgica ou até mesmo métodos como coito programado ou reprodução assistida como FIV em situações que não consigam ser solucionadas com maior facilidade.

Em caso de anomalia no útero, onde seja incapaz da mulher engravidar, mesmo passando por qualquer tipo de tratamento ou procedimento, mesmo que seja de fertilização in vitro. Pode ser indicado o método conhecido como barriga solidária.

Atualmente o método no Brasil é legalizado, caso a barriga solidaria seja um parente de até quarto grau do casal. Neste caso, os espermatozoides do pai e os óvulos da mãe são fertilizados em laboratório e o embrião é implantado no útero da mulher que fará a barriga solidária, para que possa gera-lo.

Foto: jemsweb