O hormônio luteinizante ou LH como é mais conhecido, é um dos protagonistas no ciclo fértil da mulher. Ao contrário do que muitos pensam, o LH (Luteinizing Hormone) não está presente o tempo todo no organismo de forma ativa, mas sim mais influente no período fértil. Na mulher, este hormônio é uma espécie de enzima que estimula o amadurecimento dos folículos do período fértil. Já para o homem faz parte na fabricação do espermatozoide e na fabricação da testosterona para ajudar no desejo sexual. Na verdade é um pouco mais complexo nas mulheres. Difícil para entender? Vamos ao passo a passo então…

O corpo inicia o ciclo de fertilidade logo após a menstruação ou mesmo durante ela. O órgão inicialmente responsável pela fertilidade é o cérebro. Mais especificamente uma glândula presente nele, a pituitária. Essa glândula é a responsável por diversos hormônios no organismo, entre eles o GnRh que é um hormônio estimulador do FSH. Este por sua vez, hormônio que estimula a reserva ovariana a qual a mulher já nasce portadora.

A estimulação ovariana acontece pelo FSH e em seguida o estrogênio toma conta da situação fazendo os folículos crescerem e se tornarem belos óvulos com tamanho adequado para eclodir. Cerca de 19 a 30mm de diâmetro. Conforme o tamanho do ovulo avança, o hormônio luteinizante irá aumentar gradativamente e fazer o seu papel, maturar os folículos para se tornarem aptos para a fecundação. Podemos dizer que quanto mais LH tiver no organismo no período ovulatório, mais chances de ovular a mulher tem. Por isso, para quem pretende engravidar é importante identificar o pico de LH no organismo.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Conhecer FamiGel!

Como Detectar a Presença do Hormônio Luteinizante no Organismo?

Um simples exame laboratorial de sangue é possível dosar exatamente as quantidades de hormônio luteinizante no organismo. Segue uma pequena tabela abaixo para ajudar na compreensão dos valores de referencia:

tabela de hormonio luteinizante

Outra forma simples e bastante usada são os testes de fertilidade. O hormônio luteinizante é captado pela tira de teste, assim quanto mais hormônio, mais forte a linha de teste ficará. A quantidade está diretamente ligada ao tempo em que a mulher irá ovular. Se forte como a linha de controle, o período para ovulação é de 24 a 48 horas. Se mais forte que a linha de controle, ovulação entre 12 a 24 horas.

No homem não existe um pico como na mulher, mas ainda sim o hormônio luteinizante é muito importante. Ele ajuda na fabricação do principal elemento para a fertilidade masculina, o espermatozoide. Por isso, homens em processo de investigação da sua fertilidade, devem se submeter à este exame.

O excesso do hormônio luteinizante no organismo sobe consideravelmente em mulheres com problemas em outros hormônios como os ovários policistos por exemplo. Também ficam em níveis maiores em mulheres com apenas um ovário e homens que não são férteis ou fizeram vasectomia. Também é possível que homens que tiveram seus testículos retirados por algum motivo, ter problemas com LH.

Mulheres muito acima do peso, podem ter o hormônio luteinizante além do esperado. Podem apresentar valores acima de 100mUi mesmo sem estarem em períodos de fertilidade. Nestes casos é preciso tratamento médico o quanto antes para equilibrar os níveis hormonais. Se a intenção é engravidar, o tratamento é necessário para equilibrar as quantidades hormonais, assim, o organismo funcionará como qualquer outro. O tratamento em grande maioria dos casos é a base de outros hormônios. Cabe ao médico decidir quais medicamentos são adequados em cada caso, seja de homem ou de mulher. Alguns elementos naturais podem contribuir para o controle do LH, um bom exemplo natural é o tribulus terrestris.

Veja também:  Tentativas, Hipertireoidismo, Hipotireoidismo e Gravidez

Foto: Lotus Carroll