Icterícia Neonatal – Mais Comum Do Que se Pensa!

Icterícia neonatal é uma patologia que acomete muitos bebês ainda na maternidade. Essa doença tão antiga é conhecida e já era tratada desde os tempos das bisavós, hoje em dia ganhou tratamentos mais eficazes e com chances de alta do bebê com icterícia neonatal junto com a mamãe, muito maiores do que há 10 anos atrás. Mas afinal de contas o que icterícia e como é feito o tratamento?

A icterícia ou hiperbilirrubinemia nada mais é do que a coloração amarelada da pele, olhos e urina e que são causados pelo excesso de bilirrubina no organismo do bebê. O fígado que é responsável pela captação da bilirrubina no organismo do bebê não dá conta da demanda e por isso sempre acaba ficando em excesso no organismo e precisa de uma ajuda para conseguir eliminar toda a bilirrubina. Amarelão ou icterícia neonatal podem não ser doenças graves e nem mesmo podem ser consideradas doenças, é uma condição natural do corpo que grande parte dos recém-nascidos passam. A incidência da icterícia neonatal nos recém-nascidos é bem grande, cerca de 1 a cada 3 nascimentos resultam em bebês que tem excesso de bilirrubina no organismo, em casos de prematuros esse número pode ficar ainda menor, cerca de 1 a cada 2 nascimentos.

Normalmente a icterícia neonatal aparece de 3 a 10 dias do nascimento em primeiro lugar na membrana dos olhos, logo mais passando para o rosto, peito, barriga e finalmente braços e pernas e além do amarelo, um simples exame de sangue pode detectar e determinar o grau da icterícia. Porém dependendo do grau da icterícia não é preciso tratamento médico, apenas alguns casos de alteração muito maior do que o normal precisará ser tratado.

Tratamento Para Icterícia – O Sol é a Fonte da Vida

O tratamento para icterícia neonatal é muito simples, basta um tratamento de fototerapia com luzes violetas ou branca no hospital caso o caso seja mais intenso, ou banhos de sol em casa para casos mais comuns e assim reduzir absurdamente a bilirrubina do corpo do bebê. Mas como a luz pode ajudar nesses casos então? A luz ultravioleta ou a luz do sol agem na pele do bebê transformando o excesso de bilirrubina em substâncias mais facilmente captadas pelo fígado.

O tratamento de icterícia neonatal na maternidade pode variar do caso do bebê, então se ele necessitar de fototerapia, poderá ficar mais um ou dois dias no hospital para ajudar o organismo a eliminar a o amarelão. Porém se o caso for mais suave, banhos de sol durante a manhã e ou a tarde podem ser suficientes. A melhora do caso pode se perceber muito rápido já que a pele que antes estava bem amarela começa a tomar tons mais normais já no segundo banho de sol, ou primeiro dia de fototerapia da icterícia. Porém existem casos em que a icterícia neonatal pode se tornar perigosa, por isso o pediatra tem que investigar se é um caso de icterícia obstrutiva a qual é mais comum em adultos. O acumulo de bilirrubina no organismo pode ser perigoso e trazer danos neurológicos, mas isso em casos muito extremo. É de importância fundamental que em qualquer sinal de amarelo, o bebê seja levado para avaliação do pediatra da maternidade ou de confiança e claro tomar banho de sol.

Gisele é mamãe de 3 crianças e todos eles tiveram icterícia neonatal e precisaram passar por fototerapia para ajudar o organismo a processar a bílis. Ela conta um pouco da sua história. Icterícia neonatal 1“Quando a Manu nasceu nós nem sabíamos que a icterícia existia. No nosso ultimo dia no hospital a médica suspeitou e pediu que fizessem exames para saber se era um caso de fazer o tratamento de luz ultravioleta . Nós ficamos com medo pois até então era desconhecido e foi quando a pediatra disse que ela teria que tomar o tal banho de luz. A Manu ficou por lá no berçário tomando o banho de luz por 2 dias e como já havia vencido o tempo de internação na maternidade, tive que ir para casa antes dela. Só no terceiro dia ela pode ir para casa e continuei o tratamento com banho de sol e vitamina D. Com o Rafa foi igual, ele só teve alta depois de 3 dias mas desta vez estávamos mais tranquilos porque já sabíamos que não era grave. Com o Rodrigo foi diferente, ele ficou tomando banho de luz no quarto da maternidade, não saiu do meu lado uma minuto se quer e foi muito mais tranquilo pois nos tivemos alta juntos, mesmo que ele tivesse que ficar mais 1 dia fazendo o tratamento.”

Mamães apenas atentem aos sinais que aparecem após chegar em casa já que a icterícia neonatal pode aparecer do 3º ao 10º dia de vida do bebê. Mesmo que o bebê não apresente sinais de amarelão, é importantíssimo que ele tome banhos de sol de manhã para evitar que apareça. Alguns tratamentos do tempo da vovó podem ajudar além do banho de sol claro, dizem os mais velhos que banho de água de picão (uma folha muito comum e vendida em casas de produtos naturais) pode ajudar a eliminar o excesso de amarelo e baixar consideravelmente a icterícia neonatal. Ou mesmo o mito de que uma colher de café fraco poderia ajudar o amarelo a ser filtrado pelo fígado … mito ou verdade?

O que importa mesmo é o bebê tomar banho de sol independente de ter ou não sinais da icterícia neonatal e sempre usar a vitamina D antes do solzinho da manhã.

Veja também: Refluxo em Recém Nascido – Como Diagnosticar e Tratar

Foto: Justus Hayes