Um bebê traz muitas alegrias para a casa e os pais são essenciais para prover todas as necessidades do bebê. Ao longo do crescimento e desenvolvimento dos bebês, é importante que os pais permitam que a criança, aos poucos, possa realizar outras atividades e, assim, conquistar mais autonomia.

Durante toda essa fase, é normal que os pais tenham dúvidas acerca da criação dos filhos e se sintam inseguros acerca de incentiva-los ainda mais quanto à autonomia. Por isso, ao longo desse artigo vamos falar sobre como incentivar a autonomia das crianças e possibilitar o desenvolvimento saudável delas. Vamos lá?

Mas o que é autonomia?

A autonomia pode ser definida como a habilidade de se realizar algo sozinho, seja para si quanto para os outros. Essa habilidade é desenvolvida a partir das experiências de vida, levando em conta as interações da criança com ela mesma, com os outros e com aquilo que está em volta dela.

Mesmo que o fato da criança frequentar a creche ou escola facilite a busca da autonomia, quando os pais participam ativamente na construção do desenvolvimento da criança, ela se desenvolverá com muito mais facilidade.

criança sorrindo

Como estimular a autonomia das crianças?

Há muitas formas de estimular e incentivar a autonomia infantil. Algumas delas estão listadas abaixo.

  • Incentive as crianças a pensarem sobre suas atitudes: após as crianças cometerem algum erro, é importante que elas sejam incentivadas a pensarem, refletirem e reverem sobre o que fizeram para que, posteriormente, elas possam evitar cometer os mesmos erros. Essa é uma forma de incentivar cognitivamente o desenvolvimento infantil.
  • Explique os prós e contras para que a criança faça boas escolhas: se uma criança quer dormir mais tarde, é importante que seja explicada a ela o porquê da necessidade de ir dormir no horário correto, assim, o “não” vem junto com uma explicação, facilitando a compreensão das regras. Quando a criança tem noção dos prós e contras de alguma escolha, ela consegue visualizar as consequências e, assim, entender o que é melhor ou não.
  • Incentive-a a ajudar nas tarefas de casa: as crianças devem ser incentivadas a ajudarem em casa. Há muitas vantagens relacionadas à prática de ajudar em casa. Por meio das tarefas, a criança é estimulada a desenvolver sua independência e responsabilidade, além de permitir que a criança aguce a sua coordenação motora. É importante que apenas atividades apropriadas para a idade de cada criança é que sejam ordenadas, evitando assim sobrecarga.
  • Tenha um ambiente favorável em casa que estimule seu filho: toda criança gosta de brincar! Por meio das brincadeiras, ela desenvolverá a imaginação e outras inúmeras áreas importantes. Por isso, ter um ambiente em casa que seja propício à criança desenvolver suas brincadeiras é essencial para que ela possa potencializar seus estímulos.
  • Ensine a lidar com as frustrações: todos nós já passamos ou vamos passar por situações frustrantes em nossa vida. E por que não ensinar as crianças desde cedo a lidarem com as frustrações? Ouvir um “não” é uma das situações dolorosas para uma criança que, dependendo de sua personalidade, podem reagir de diversas formas. Por isso, o controle dos pais acerca de tais atitudes é fundamental para ensinar a elas a melhor forma de se lidar com tais frustrações. Ajudar no controle das emoções e mostrar que tudo tem uma solução, são possibilidades para ensinar a criança nesses momentos de raiva.
  • Encoraje a comunicação: conversar com seu filho fará com ele se sinta mais seguro e próximo, o que o estimulará a se sentir mais autônomo.
  • Desenvolva e estabeleça limites: essa dica caminha junto com o fato de ensinar a lidar com as frustrações. As crianças necessitam de limites e regras para que possam saber até onde podem ir e, assim, desenvolver autonomia.
  • Valide as conquistas, sem exageros: a cada nova conquista, valide-as elogiando o seu filho. Pode não parecer nada, mas amarrar o sapato é um desafio para as crianças, e quando elas finalmente aprendem, é importante que sejam elogiadas para que se sintam motivadas a continuarem aprendendo novas coisas.

Estabelecer limites, ensinando o certo e o errado são passos essenciais para que uma criança cresça com confiança e limites. Alguns pais, por medo de parecerem autoritários, podem escolher não estabelecer limites e sempre dizer sim às crianças. Essa é uma atitude que, no futuro, trará consequências difíceis, pois a criança crescerá sem limites e sem saber lidar com a frustração.

Não existem regras prontas e, felizmente ou infelizmente, não existe um manual com todas as regras para educar bem uma criança. Entretanto, é possível seguir alguns caminhos para que o desenvolvimento da autonomia delas seja explorado o máximo possível.